em reforma

Disponibilizo lentes de aumento

Gabriel Santin

Pois a delícia de sentir o cheiro de tinta fresca é a delícia de ouvir o barulho de uma parede caindo.

Resgate Jorge

Você ainda precisa ouvir aquela canção do Roberto


Dizem que quem é rei nunca perde a majestade. Roberto Carlos e suas 13 milhões de visualizações da música Esse cara sou eu no Youtube estão aí para validar o ditado. Muitos podem dizer que qualquer vídeo amador consegue esse número de acessos, ou que a dupla Munhoz e Mariano conseguiu 30 milhões a mais. Mas como se trata de um cantor septuagenário disponível em uma rede majoritariamente juvenil, a constatação não é tão frívola assim, e disso podemos extrair muito mais.

Esse Cara Sou Eu é tema de Théo (Rodrigo Lombardi) e Morena (Nanda Costa), o casal protagonista da atual novela das nove Salve Jorge da Rede Globo. A trama que envolve o enredo central é o tráfico de pessoas. Morena é iludida por criminosos e viaja à Turquia com a promessa de trabalho digno e rentável. Mas o que encontra quando chega ao país é um regime de escravidão. Nas mãos dos traficantes, a mocinha é obrigada a se prostituir. Nos capítulos de algumas semanas atrás, reviravoltas no enredo fizeram Morena voltar ao Brasil (ainda na condição de escrava). Quando chega e encontra seu amado, a paixão recomeça e se inicia uma torrente de amabilidades entre os dois. Momentos regados a muitos beijos, abraços e Roberto Carlos.

O homem da música de Roberto Carlos é o exemplo mais concreto do que, dizem, as mulheres desejam. Aquele que pensa na amada o tempo todo, que acorda no meio da noite pra dizer que a ama, que está sempre ao seu lado, que acaricia seus cabelos depois do sexo. Como o próprio personagem da música diz, o herói esperado por toda mulher. Fica evidente o caráter protetor desse homem, aquele que ama sem condições, que aceita todas as intempéries.

Na nova novela de Glória Perez, quando Morena volta fragilizada, marcada pela violência sofrida na Turquia, Théo a acolhe, diz que não permitirá que viaje novamente, faz juramentos. Ora, o homem de Esse Cara Sou Eu é o próprio Théo, a cabeça do pescoço. Não se trata de submissão, mas sim de disposição. A mocinha sofre com a submissão perante as outras mulheres, as que a traficaram. A violência é praticada de mulher para mulher. Em Théo, que etimologicamente significa Deus, Morena encontra segurança, conforto e estabilidade, escassos a ela até então.

Assim, Salve Jorge diz muito sobre a relação homem-mulher. Desde os primeiros capítulos, a figura feminina foi retratada, de modo geral, com muita liberdade: roupas curtas, bailes dançantes, mães solteiras. Já a figura masculina é talhada com severidade e lucidez, próprias do ambiente em que Théo vive, a cavalaria do exército. O primeiro contato do mocinho com a amada se deu em um momento propício: Morena pede ajuda ao cavaleiro depois de testemunhar um acidente. Ao mesmo tempo em que a mulher goza de sua plena liberdade de escolha, o homem lhe proporciona apoio, parâmetros para direcioná-la ao caminho das flores.

Raphael - Saint George and the Dragon (1504 - 1506)

Esperando o esperado, o casal de Salve Jorge sofreu outro golpe: Morena voltou para a Turquia e Théo se interessará por outra saia nos próximos capítulos. Mesmo assim, o mocinho continua sendo o herói. Até porque, todo herói que se preze deve passar por alguns estágios de sua jornada como o chamado, a recusa, provação, regresso.

Por mais encomendada que seja, a música de Roberto Carlos parece ser a melhor tradução para Théo e Morena, o que qualifica, mais uma vez, o cantor como o Rei tradicional da música popular no Brasil. Interessante notar também que a comoção vista e comprovada das mulheres em relação a Esse Cara Sou Eu diz tanto quanto a novela sobre os desejos e anseios femininos. E parece mesmo que eles serão atendidos por um guerreiro do alto de seu cavalo branco, com a lança cravada no dragão.


Gabriel Santin

Pois a delícia de sentir o cheiro de tinta fresca é a delícia de ouvir o barulho de uma parede caindo..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/// @destaque, @obvious //Gabriel Santin