Victor Silveira

Estudante de psicologia, que aspira Filosofia e Artes Visuais. Gosta de palavras assim como de silêncios. Costuma ser o intangível do que mostra ao vê-lo.

O sussurro de um instante

A noite me sussurrou poesia.

757px-Van_Gogh_-_Starry_Night_-_Google_Art_Project.jpgA Noite Estrelada - Van Gogh

Gosto que veja, mas ao mesmo tempo quero te observar sabendo que não me vês. E quando assim fico, vulnerável na omissão dos teus olhos, a passagem deste instante do que quero. Fazer-me visto por ti.

Quando dormes, e te observo, a fixação do meu olhar se remonta em dois caminhos. A primeira é saber que és visto por mim no exato momento em que te vejo. Seguida de uma segunda ação, um gesto, um movimento fino dos meus dedos a tocar seus pés, que é tido apenas como dado da minha consciência, quando já te toquei, uma passagem ao ato.

Vejo-me então preso a ti, sem que tu me vejas, e por mais que tu me sintas te tocar, sua pele mente para ti, tendo como álibi teu sono. E tu não me vês, pois dormes, e se neste momento porventura não sonhas, eu o faço por ti.


Victor Silveira

Estudante de psicologia, que aspira Filosofia e Artes Visuais. Gosta de palavras assim como de silêncios. Costuma ser o intangível do que mostra ao vê-lo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/geral// //Victor Silveira