Victor Silveira

Estudante de psicologia, que aspira Filosofia e Artes Visuais. Gosta de palavras assim como de silêncios. Costuma ser o intangível do que mostra ao vê-lo.

Em memória de Yumi Faraci

Esse texto é de alguns anos atrás. Não sou mais o mesmo desde que escrevi. Todavia, a história de Yumi continua à me falar de forma especial. Republico, na esperança de que fale algo a alguém.

Yumi Faraci.jpg "Estava tudo dando tão certo em 2009." Essas foram as palavras ditas por Sonia Faraci mãe de Yumi, numa entrevista exclusiva dado ao repórter Tino Marcos. Yumi Faraci, de 18 anos foi morta no soterramento que atingiu a pousada Sankay, na enseada dos Bananais em Ilha Grande (RJ). Ela cursava a faculdade de Arquitetura na UFMG.

Mas enfim, você deve estar pensando: O que eu tenho a ver com isso? ou Qual o objetivo desse texto? Ou talvez, essa noticia já e antiga!; pois bem, eu desconhecia a existência de Yumi até à sua morte; mas independente disso é impossível não se comover com o falecimento de uma menina de apenas 18 anos. Mas devido a minha curiosidade pude pesquisar um pouco sobre a vida dela na internet, e conhecer e perceber, o que até então não tinha visto nos jornais e nas noticias de toda a tragédia na mídia.

E isso me levou a fortes pensamentos que queria compartilhar de forma que darei um breve resumo informativo dela e do contexto, para que você entenda onde quero chegar. Ao conhecer melhor um pouco da vida e história de Yumi, pela procura de noticias , pude entender o seu modo de ver as coisas pelas marcas “eternas” que ela deixou no mundo virtual e inevitavelmente não houve como não ter certeza de uma luz e um sentido diferente que norteava toda a sua vida. Yumi conheceu a música muito nova e logo se interessou; e em apenas alguns meses de aula como pôde afirmar sua mãe na entrevista, ela já estava tocando violão, e já o fazia muito bem devido a sua dedicação. Em 6 de maio de 2007 ela posta seu primeiro registro no youtube, um cover da música Kiss Me, da banda Sixpence None The Richer. (Gostaria se possível, que antes de continuar a ler visse o vídeo)

Ela dominava o inglês fluentemente mesmo sendo tão jovem; a prova disso está em um outro perfil social direcionado a músicas dela na rede My Space onde se concentram suas composições e melodias em belas músicas. Em sua bio no perfil do my space , ela registra em inglês palavras que definem sua paixão pela música desde sua infância, quando os seus avós a ensinaram músicas em japonês; e também o apoio e incentivo que recebeu dos seus pais quando começou suas aulas de violão aos 13 anos. A tradução da frase "I felt like it was a good way of expressing myself!" do seu perfil define toda sua sensibilidade musical, "Eu senti como se essa, fosse uma boa maneira de me expressar!"

Seu próximo objetivo era iniciar aulas de piano, mesmo que muitos pensassem que ela estivesse velha para aprender. “As long as you make the best you can, anything is possible! Just put this challenge in mind and carry on!” ela termina assim sua descrição no my space dizendo: “Tudo é possível quando você faz o seu melhor. Basta colocar o desafio na mente e prosseguir!”

Assim que eu tomei conhecimento de tudo isso apesar de ser de uma forma distante e até fria devido o meio ser a tela do computador, e ouvir ver e rever cada um dos seus 17 uptades em sua conta do youtube. Fui submetido por um sentimento que jamais havia experimentado dessa forma por alguém desconhecido. Uma das coisas que mais me tocou foi a forma tão intensa das marcas que esta jovem menina conseguiu deixar mesmo num mundo tão injusto, desigual e frio de sensibilidade humana e fé; e não necessita-se de um estudo minucioso e crítico da historia de Yumi para perceber, mas sim uma simples visita nos seus perfis sociais (myspace , youtube, blog), ouvir a sua voz, ler as suas breves palavras para entender que ela viveu como se fosse morrer a qualquer momento. 

Viveu intensamente entregando sua vida às suas verdades, seus sonhos e desejos, realizando aquilo que a fazia feliz e uma pessoa melhor para o próximo; e não tão somente de palavras e músicas bonitas e uma bela voz, mas percebe-se que ela estava lutando independente até da condição sustentável que tinha, ela fazia o seu melhor, aquilo que ninguém podia fazer por ela para alcançar os seus objetivos e sonhos. Infelizmente ela não viveu até esse dia mas deixou de uma forma tão linda e emocionante uma lição de vida, garra e determinação. Um exemplo vivo de que o tempo que passaremos aqui é totalmente vulnerável na incerteza dos dias. Sendo que a única certeza que podemos ter, é que um dia a morte irá chegar, e que se ficarmos parados vendo tudo passar e não realmente viver, não ficará nada mais que um número nas estatísticas de habitantes de determinado lugar sobre nós. Por isso, pare agora e faça uma releitura do seu caminho até aqui. Você tem realmente convicção do verdadeiro sentido de viver? O que nos traz a verdade da vida e sentir todas as emoções de nossas experiências individuais, sociais, e espirituais de uma forma verdadeira e convicta.

A vida deve ser sinônima de amor, e isso deve ser uma escolha trazendo em nós as ações decorrentes do mesmo, na qual independente da situação não encontramos um comodismo. O medo se torna distante quando se existe o desejo de viver intensamente; e não esperamos os dias passarem ao ponto de percebermos que já é tarde demais. 

A vida é um presente de Deus, é preciosa, e a cada manhã ela nos dá uma chance de desfrutá-la. Sendo assim tome um banho de chuva, sorria diante da tristeza por mais que isso não mude nada, use as roupas novas que comprou na segunda feira no trabalho; role no chão como uma criança, contemple as paisagens belas da natureza, se relacione mais com o criador da vida, observe o amor, esforça-te para demonstrar o que sente às pessoas mesmo que tenha dificuldades para isso; ajude quem está do seu lado, cante uma canção mesmo que digam que você não canta bem; ouça mais o seu coração, gaste mais tempo a favor da sua alma do que do seu corpo; faça seus amigos saberem o quanto são importantes pra você, leia a Bíblia sempre que puder, demonstre mais o seu amor aos seus pais e seus filhos, ajude quem você não conhece mas sabe que precisa; diga eu te amo para as pessoas que realmente ama quando te der vontade, aprenda a perdoar... 

Enfim não há como definir um meio ou caminho correto, a não ser seguir o seu coração e a sua verdade, através de grandes e pequenas ações, prazeres vontades e até mesmo renúncia, mas que podem proporcionar uma felicidade ímpar. Viva e faça viver no real sentido da palavra, para que você possa no futuro, ou amanhã quando a morte bater à porta da sua existência, deixar aqui marcas, para aqueles que estiveram do seu lado ou ate mesmo um exemplo para uma geração como foi Yumi Faraci, de que vale apena sim acreditar e lutar pelos seus sonhos por mais que você morra antes de alcançá-los; mas enfim, deixando como ultimo registro na terra bem mais que memórias mortas e sem luz, mas lembranças carregadas de um sorriso e uma bela canção. Quando desfrutamos a vida intensamente, descobrindo o verdadeiro sentido do viver.

O vídeo abaixo foi postado por Yumi Faraci em sua conta no YouTube 24 dias antes de sua morte.


Victor Silveira

Estudante de psicologia, que aspira Filosofia e Artes Visuais. Gosta de palavras assim como de silêncios. Costuma ser o intangível do que mostra ao vê-lo. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/Música// @destaque, @obvious //Victor Silveira