encontros

quando uma vida encontra outra e a palavra encontra a carne

Carlos Feitosa Tesch

Historiador, especializado em política, ética e linguagem. Atuando como professor, escritor, editor e revisor acadêmico.

A ANIQUILAÇÃO DO SER

O ser meramente por ser não sustenta mais o humano. Tardamos em evoluir conscientemente o gênero humano.


Marketing-Digital-o-abismo-entre-o-ser-e-o-fazer-midia-boom (1).jpg

Algo na genética humana anda perpassando uma cultura de isolamento e desconfiança, uma autodefesa que comumente se transformou em um velado ataque ao Outro. Esperamos o pior dos outros com uma facilidade aterradora, ainda que não nos tenham feito mal algum, que sequer tenham interagido conosco, esperamos mal do Outro, nos colocamos em posição de ataque e dissimulamos emoções. O amor ao próximo virou uma falácia da caridade cristã. Esperamos o pior de familiares, dos amores, dos amigos e dos desconhecidos.

Regredimos à condição de carniceiros – carniceiros de emoções – sacudimos o que há de pior nos outros e empesteamos tudo o que ele poderia oferecer, quando não o atacamos pelo apressado julgamento, criamos uma nódoa sobre o Outro por intermédio do ente, que por sua vez, transformamos em algoz. Já não interessam palavras, ações e posturas, nem a honra sempre bem montada. Apenas queremos o pior do outro, as vezes por inveja da autenticidade dos que se expõem, as vezes por mera crueldade/diversão, em outros momentos simplesmente por seguirmos um fluxo negativo que sorrateiramente nos envenena. São tantos os negativistas que consentimos por necessidade de conviver.

Daí resulta uma emergência que tomou muito das minhas indagações de hoje e me fez mergulhar em um profundo silêncio; carecemos do humano, é urgente que sejamos o melhor do humano. É imprescindível que nos apresentemos com o melhor de nós e que nos empenhemos para encontrar o melhor do Outro. Fidelidade, boa-fé, doçura, honestidade, carecemos de pessoas virtuosas como nunca antes na história da humanidade. Nos esforçamos nesse intuito ou sucumbiremos sádicos em nós mesmos, frígidos, isolados e superficiais.


Carlos Feitosa Tesch

Historiador, especializado em política, ética e linguagem. Atuando como professor, escritor, editor e revisor acadêmico..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Carlos Feitosa Tesch