ensimesmices

Se fico mudo, não mudo o que fica em mim

Paulo Zoppi

Contista bissexto, tem um punhado de escritos numa encadernação espiral. Ama Star Trek, cinema, leitura, jazz e Star Trek

paulopaz

Paulo Zoppi

Sou, antes de tudo, leitor: não apenas no sentido de que mantenho o gosto e o hábito da leitura, mas também numa acepção mais ampla. Sinto-me uma espécie de leitor do mundo.

E sou, quase que por consequência direta, escritor. Se pela leitura aprendo e apreendo o mundo, é sempre a escrita que se me insinua como o melhor, senão o único, caminho inverso.

A escrita é a forma pela qual meu espaço íntimo toma consciência de si e se comunica com o mundo externo. Ela vem e quer dizer-me ao mundo e dizer dele o que penso, já que o que penso surge antes na forma da palavra planejada para ser depositada no papel do que na daquela a ser proferida.

Escrita de mundo, escrita do meu mundo, gestos que reafirmam meu estar no mundo. Esse é o ENSIMESMICES, e espero que sua leitura alimente mundos outros fora e em volta do meu.

Últimos artigos publicados