entre a loucura e a razão

Por que para ser considerado normal, deve-se estar entre os extremos da racionalidade e insanidade.

Prescila Rizzardi

Uma leitora compulsiva, cinéfila por natureza e amante de todas as formas de arte

UM GUIA PARA A FELICIDADE!

Talvez esse seja o mais clichê dos filmes considerados cult da atualidade nem tão atual assim, visto que ele foi produzido no ano de 2001 e lá se vão 13 anos já, mas ainda sim, "Le fabuleux destin d'Amélie Poulain" ou O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é a obra-prima mais singela e inquietante que já vi. O roteiro de Guillaume Laurant e a direção de Jean-Pierre Jeunet agregados a expressividade do olhar da bela Audrey Tautou e a extasiante trilha sonora de Yann Tiersen, fizeram dessa obra a mais bela forma de demonstração de como a felicidade pode ser encontrada nas pequenas alegrias cotidianas da vida.


amelie.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Quem de nós não tem alguma daquelas pequenas manias, que até então parecem ser insignificantes mas, que são capazes de proporcionar a nós portadores de uma insatisfação crônica, momentos de total plenitude até por que eles são responsáveis por promover nossas alegrias diárias.

A doce e quase angelical Amélie cultiva alguns desses prazeres, e fico muito feliz em saber que compartilhamos alguns deles, como por exemplo, enfiar a mão bem fundo no saco de cereais, e sentir os grãos passarem por entre seus dedos.

amelie_068.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Ir ao cinema sozinha, observar os “estranhos” e olhar para traz, para ver suas reações ao filme, assim como usar sua capacidade impar para reparar nos pequenos detalhes do longa-metragem os quais somente ela é capaz de perceber.

006-O-Fabuloso-Destino-de-Amélie-Poulain-thumb-600x450-12649.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Quebrar a cobertura do "creme brúlee" com a colher, nessa por estarmos no Brasil fico de fora, mas raspar da panela o resto do brigadeiro com a colher, na minha humilde opinião pode ser equivalente a sensação sentida por Amélie.

creme-brulee-amelie-poulain (1)-thumb-600x463-12647.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Ou colecionar pedras que encontra em seu caminho para joga-las no canal Saint Martim, além de toda sua forma de ver o mundo de maneira única ao se fazer perguntas as quais, provavelmente ninguém mais irá fazer, como a clássica “quantos casais...? ” Sim se você ainda não viu o filme essa é uma forma de instigar você a vê-lo, mas posso lhe adiantar a resposta, 15.

amelie5.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Amélie com sua personalidade peculiar encanta a todos, mesmo quando tenta não chamar a atenção, afinal boas ações não precisam ser anunciadas, e assim seu destino é traçado, pois ela é aquela que faz o bem sem se anunciar, o tipo mais raro de altruísmo já encontrado. Mas nem só de alegrias vive Amélie, pois até mesmo ela ou melhor principalmente ela, cresceu em uma bolha e por segurança manteve essa redoma na vida adulta, até que em um dia no café o qual trabalha lá está ele... bom o resto é a história, “pois o que importa é que sim, ainda há uma esperança para os sonhadores nos tempos de hoje”.

Amélie-Poulain2.jpg FONTE: Imagem retirada da internet

Espero que esse breve resumo do que esse filme representa, seja suficiente para despertar sua curiosidade, garanto que não será tempo perdido, e sim tempo de vida ganho, pois nele você encontrará se não o caminho, ao menos boas dicas de como a felicidade é simples e fácil de ser encontrada, basta olharmos do jeito certo.

“Estranho o destino dessa jovem mulher, privada dela mesma, porém, tão sensível ao charme das coisas simples da vida…”


Prescila Rizzardi

Uma leitora compulsiva, cinéfila por natureza e amante de todas as formas de arte.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/cinema// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Prescila Rizzardi