entre meios

que vão do lapso à memória

Priscila Yamany

o mundo entre telas, versos, notas musicais, páginas, capítulos e livros pode sim ser mais envolvente que aqui.

Raul Seixas, um grande fã de Beatles

Raul Seixas nunca negou sua admiração pelo rock internacional. Manifestando sua paixão, ele mostrou ao público que nada surge do nada e que o rock brasileiro só poderia começar de uma maneira: buscando inspiração nos grandes nomes que deram origem ao estilo que hoje conhecemos como Rock'n Roll.


raul-fã-de-beatles.jpg

Reza a lenda que em uma tarde qualquer lá em Nova Iorque, Raul Santos Seixas se encontrou com John Winston Lennon. Verdade ou não, o fato é que Raulzito foi grande fã de Beatles e, para nossa sorte, foi daqueles que buscam ou buscaram na essência de seus ídolos o melhor para se inspirar.

Raul foi um dos pioneiros do rock nacional. Desde criança, sua paixão maior era a música americana, tanto que ele, aos 16 anos, fundou o primeiro fã clube brasileiro para o Elvis.

Já seu encanto pela banda inglesa, ninguém sabe ao certo quando começou. O que a gente sabe é que ele existia mesmo antes do lançamento do seu primeiro disco Raulzito e os Panteras (1968), cuja capa é muito parecida com a do álbum With The Beatles (1963):

raulzito-e-os-panteras.jpg Capa do disco do Raul, 1968

with-the-beatles.jpg Capa do disco With Beatles, 1963

Nesse primeiro disco, inclusive, é apresentada ao mundo a música "Você ainda pode sonhar", uma versão do hit "Lucy in the Sky With Diamonds". A composição criada por Raul foi lançada em 1968, enquanto a canção que lhe inspirou chegou às rádios no ano 1967, o que mostra a perspicácia de Raul Seixas em buscar inspiração nas melhores fontes, ou seja, no som que ele admirava e em clássicos, mesmo sem saber que esta música seria comentada, cantada e ouvida até hoje e sabe-se lá até quando.

Outra música de Raulzito que possui melodia muito parecida, para não dizer igual, com uma canção de Beatles é "Peixuxa" (Novo Aeon, 1975). Dessa vez, a fonte utilizada pelo músico brasileiro foi a música "Ob la di Ob la da", do álbum The Beatles ou Álbum Branco, de 1968.

Se não bastasse homenagear seus ídolos fazendo versões de suas músicas ou mesmo introduzindo solos e riffs às suas composições, Raul Seixas, hora ou outra, mencionava os Beatles em suas canções e shows. É o caso de "A Verdade Sobre a Nostalgia":

Além disso, Raulzito regravou músicas da banda inglesa, criando versões caseiras para letras como "Honey Don’t" (composta por por Carl Perkins e gravada por Beatles no disco Beatles for Sale, em 1964) e "I’ll cry instead" (composta por John Lennon e lançada no disco A Hard Day's Night, também em 1964. A regravação feita por Raul traz a voz de sua ex-esposa, Glória Vaquer).

Só resta a conclusão de que sim, Raul Seixas foi um grande fã de Beatles. Sendo possível dizer que uma coisa leva à outra: os que curtem as músicas do Maluco Beleza não podem dizer que não gostam de Beatles, enquanto os fãs da banda inglesa devem reconhecer que Raulzito fez um bom trabalho, permitindo que brasileiros, de alguma maneira, conhecessem Beatles.

Para encerrar, outra consideração a partir desse sem número de citações e referências de Raul para Beatles é que todo grande artista sempre terá suas inspirações/influências. Afinal, os próprios Beatles fizeram o mesmo com os seus ídolos e os cantores de amanhã farão igual, dando continuidade ao ciclo artístico que sempre apresenta ao mundo diferentes formas de ver e falar sobre o mais do mesmo.


Priscila Yamany

o mundo entre telas, versos, notas musicais, páginas, capítulos e livros pode sim ser mais envolvente que aqui..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 5/s/música// @destaque, @obvious //Priscila Yamany