Giovana Damaceno

Jornalista e cronista. Produtora de conteúdo digital do UniFOA. Autora de "Mania de Escrever" e de "Depois da chuva, o recomeço". Membro da Academia Volta-redondense de Letras.

Silêncio da lama

Lá naquele canto onde ela é pura matéria orgânica reina um silêncio de vida.


lama2.JPG

Na quarta-feira de cinzas o mangue é puro silêncio. A lama que cobriu corpos no bloco do sábado de carnaval está assim, assim. Placas de massa orgânica gelatinosa parecem mover-se lentamente. Muito lentamente.

O pouco de água que chega em poucas ondas faz ruído de creme.

No dia em que do lado de lá todos dormem suas ressacas, do lado de cá o mangue repousa. Silêncio de floresta, de vento. De mangue. Silêncio que força o cerrar dos olhos e o suspiro bem fundo. Silêncio que não quer voltar pra casa.

No canto da praia onde o mar vira lama, termina a caminhada em busca de não quero mais barulho. Não quero mais barulho interno.

Silêncio de vida microscópica. Vidinhas bem pequenininhas que regulam aquele vidão marinho.

Silêncio pra regular o áudio aqui de dentro, sem folia. .


Giovana Damaceno

Jornalista e cronista. Produtora de conteúdo digital do UniFOA. Autora de "Mania de Escrever" e de "Depois da chuva, o recomeço". Membro da Academia Volta-redondense de Letras..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Crônica// //Giovana Damaceno