esconderijo

Quando tudo é matéria e é sombra

Margarete MS

Eu tenho um coração um século atrasado.

O Amor no Mundo Contemporâneo

As ligações entre as pessoas se tornam empobrecidas quando as convenções e a superficialidade dos contatos estabelecem relações impessoais e impedem o autêntico encontro amoroso.


René Magrite - Os Amantes.jpg
Os amantes de René Magritte


Na sociedade contemporânea, fala-se e escreve-se muito sobre sexo e quase nada sobre o amor.

Talvez seja pelo fato de que o amor, sendo um enigma, não se deixa decifrar, repelindo toda tentativa de classificação ou definição. Por isso, a poesia, campo mítico por excelência, encontra na metáfora a compreensão melhor do amor. Efetivamente, a literatura nunca deixou de falar do amor.

Talvez o vazio conceitual se deva à dificuldadede de expressão do amor no mundo contemporâneo. O desenvolvimento dos centros urbanos criou o fenômeno da "multidão solitária": as pessoas estão lado a lado, mas suas relações são de contiguidade, seus contatos dificilmente se aprofundam, sendo raro o encontro verdadeiro.

Talvez o falar muito sobre sexo seja uma tentativa de camuflar a impessoalidade fundamental dessas relações, na medida em que o contato físico simula o encontro.

No entanto, não só as relações entre duas pessoas (na clássica relação amorosa) se acham empobrecidas. O afrouxamento dos laços familiares - não importa aqui analisar as causas nem preocupar a validade da situação - lançou as pessoas num mundo onde elas contam apenas consigo mesmas. Ainda que sejam válidas as críticas ao autoritarismo da família, esta ainda é o lugar da possibilidade do afeto. Ou, pelo menos, o sair dela não é garantia de ter o vazio de amor preenchido.

Além disso, o trabalho na sociedade capitalista, estimulado pela competição e pelo individualismo, exige um ritmo exaustivo, mesmo para os que têm melhores chances, e mergulha a maior parte das pessoas no trabalho alienado, rotineiro, repetitivo, de onde é impossível extrair algum prazer ou estabelecer vínculos.

Do ponto de vista da política, a situação também não é das mais reconfortantes. Se considerarmos que todo regime autoritário subsiste em função da força e da opressão, o ambiente que daí decorre é de medo e ódio.

***
Os trechos acima foram retirados do livro “Filosofando - Introdução à Filosofia” de Maria Lúcia de Arruda Aranha e Maria Helena Pires Martins, Editora Moderna, 2002, p. 322.

Margarete MS

Eu tenho um coração um século atrasado..
Saiba como escrever na obvious.
version 11/s/Filosofia// @destaque, @obvious //Margarete MS