escritos da ansiedade

Ideias de alguém tentando não viver o futuro no presente

Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC

A ansiedade na 7ª arte

A abordagem dos transtornos de ansiedade no cinema atual


Numa cena de Homem de Ferro III, Tony Stark estava tentando relaxar com seu copo de whisky em um bar, quando ao levantar-se para dar um autógrafo para um pequeno fã, sente-se desconfortável, com uma sensação horrível, falta de ar, dores no peito, e um aperto brutal no coração. Apesar de parecer um principio de infarto, isto na verdade são sintomas de outra enfermidade: as crises de ansiedade.

A ansiedade não sendo cuidada pode gerar outros distúrbios psicológicos e neurológicos incômodos, como TOCs (Transtornos Obsessivos Compulsivos), síndrome de pânico, depressão, falando das mais conhecidas. Doenças que por vezes nos paralisam e sem a devida atenção, se tornam um tremendo incomodo na rotina diária. Acessos de nervosismo, insônia, mudanças de humor repentinas, tudo isso girando em torno da ansiedade. Graças ao ritmo agitado dessa vida regida por obrigações e tempo curto cheio de prazos, vamos sendo programados como maquinas neste mundo onde todos querem ser precisos, perfeitos e exatos como as horas do relógio.

Outros filmes que recentemente trataram sobre doenças psicológicas foram “O Lado Bom Da Vida ” e “As Vantagens De Ser Invisível . Em O Lado Bom Da Vida, os personagens vividos por Bradley Cooper e Jeniffer Lawrence retratam fielmente as dificuldades encaradas por quem acaba saindo de um surto psicológico forte graças a problemas emocionais e a difícil volta ao convívio social com os familiares, amigos e o meio ao qual está inserido, em conseguir ser aceito novamente e buscar voltar a ter uma vida normal.

cinema.jpg

No longa As Vantagens De Ser Invisível, o personagem central encarado pelo ator Logan Lerman tem a difícil situação de lidar com seus temores após ser internado graças a um ataque psicótico devido a morte do seu melhor amigo, e na sua fragilidade em se enturmar com as pessoas de seu colégio. Ambos seguem a mesma linha, de demonstrar a problemática sobre enfermidades que apesar de a principio não demonstrarem , podem e as vezes são mais devastadores que doenças que causam sintomas e dores físicas.

Jogar Luzes neste tipo de doença é uma forma de quebrar o senso comum burro e ignorante sobre este tipo de enfermidade. Expõem um problema que graças ao ritmo desgastante da vida moderna impõe as pessoas, se torna cada vez mais comum, e quebra profundos preconceitos e paradigmas sobre estas doenças. As pessoas passam a ver que não é apenas frescura ou uma desculpa para as pessoas se esconderem atrás dos problemas, porque no final das contas o problema é a própria doença, que inviabiliza o individuo a levar uma vida normal. Graças a essa exposição na mídia, principalmente em filmes de grande visibilidade como O Lado Bom Da Vida (que deu o Oscar de Melhor atriz para Jennifer Lawrence) quebram os paradigmas e a forma de enxergar a situação de quem sofre com dores de cunho psicológico.

Discutir e perceber que qualquer ser humano está sujeito a ser acometido por este tipo de doença e de, o mais importante, que podemos viver tranquilamente com elas, desde que tratadas, é um passo melhor para percebemos que o melhor remédio para este escuro lado da força de nossos cérebros agitados que na maioria das vezes Entram em Pânico, é de fato, tolerância, paciência, compreensão e acima de tudo, entendimento sobre a real gravidade da doença. Obviamente não é fácil conceber tudo isto, mas o que seria da Música, por exemplo, se David Gilmour desistisse do Pink Floyd por achar que Syd Barrett mexia demais na franja graças ao TOC e suas manias da ansiedade criativa?


Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// //Guilherme Lima