escritos da ansiedade

Ideias de alguém tentando não viver o futuro no presente

Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC

A História do brother alemão de Chico

O novo livro de Chico Buarque e as contribuições para a obra do historiador João Klug.


Você acorda para mais um dia rotineiro de sua vida acadêmica enquanto aluno de graduação do curso de História da UFSC( Universidade Federal de Santa Catarina). Transito intenso de Florianópolis no começo da manhã, mas ainda assim tem-se disposição, ainda que sonolenta, de buscar estar com corpo e alma presentas na aula de Historia Moderna as 08:20 da manhã. Até Ai tudo vai indo sem surpresas, seu professor também está ali para dar inicio a sua aula, mas eis que, este começa a relatar sua proximidade com um grande ídolo seu: Chico Buarque. Mais do que isso, seu professor o ajudou a escrever e contribuiu com uma pesquisa para a formulação de sua mais recente obra literária: Irmão Alemão. chico.png Meu professor, o historiador João Klug, acabou por ir atras de todo o enredo histórico da saga do meio-irmão germânico de Chico Buarque, filho do também historiador Sérgio Buarque De Holanda. O Pai de Chico, Sérgio, teve papel importantíssimo nos estudos históricos e historiográficos brasileiros. Autor de um dos clássicos da história brasileira "RAÍZES DO BRASIL", Sérgio Buarque de Holanda teve uma contribuição inestimavel para a configuração das pesquisas históricas usando as mais variadas fontes, principalmente de cunho cultural. Ai entra mais uma coincidência destas que ocorrem dentro dos caminhos nada precisos da História: seria um historiador que acabaria por desvendar os mistérios envolvendo a vida do filho de um historiador. O irmão de Chico Buarque foi fruto de uma relação de seu pai com uma alemã no período em que este foi correspondente de um jornal na Alemanha entre 1929 e 1930.

Atendendo a um pedido da editora Companhia das Letras e do próprio Chico Buarque, João Klug começou a percorrer os passos da vida do meio-irmão alemão do artista brasileiro. Foi uma pesquisa minuciosa , seguindo os rastros pouco evidentFilho alemão de Sérgio Buarque de Holanda, indo atrás de arquivos antigos do governo da extinta Alemanha Oriental comunista, e até mesmo numa irreverente visita ao bar frequentado pelo meio irmão de Chico Buarque frequentava com seus amigos. O nome deste homem é Sergio Günther, que como o pai e irmão, trabalhou nos meios de comunicação e no campo artistico da Alemanha Oriental, tendo inclusive sido cantor nas rádios e TV estatais. Em conversas trocadas com Chico, João Klug até mesmo lhe enviou gravações do irmão Cantando, ao qual Chico Buarque disse que o " alemão até que tinha um swing". 018078181_30300_1.jpg (Professor João Klug)

Pelo que João Klug conseguiu obter de informações sobre Sergio Günther, conseguimos perceber que realmente os frutos não caem longe do pé, por assim dizer. O gene artístico ao que parece foi transferido para estes dois filhos de Sérgio Buarque de Holanda, e tanto Chico Buarque quanto Sergio Günther construiriam carreiras ligadas a musica. A medida em que a pesquisa foi se desenvolvendo, a relação entre o professor João Klug e Chico Buarque que a principio eram profissionais, evolui para amizade. A relação intimista que o trabalho desenvolvido pelo professor influenciou nesta questão, pois afinal das contas, a pesquisa era relacionada com motivos familiares para Chico Buarque.

O trabalho realizado pelo Professor João Klug assume um papel primordial na construção do livro. Com ele, Chico Buarque teve a possibilidade de usar uma fonte histórica veridica da propria história familiar e com isso, se inspirar nas partes ficcionais de seu livro. Basta ver o titulo da obra, para compreendermos a magnitude do trabalho exercido pelo Historiador João Klug, como peça-chave na construção do mais novo trabalho artístico de Chico Buarque.


Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/literatura// //Guilherme Lima