escritos da ansiedade

Ideias de alguém tentando não viver o futuro no presente

Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC

O Estado Voraz

O totalitarismo e suas nuances apresentadas na Trilogia "Jogos Vorazes".


Muito já se foi falado sobre toda a ideia perpassada na história de Jogos Vorazes. De fato, o mundo criado pela autora Suzanne Collins se assemelha muito a eventos acontecidos ao longo da história humana, ou que ainda, infelizmente, ainda ocorrem. A ficção de Jogos Vorazes nos envolve e fascina, sobretudo porque sua trama possui aspectos de uma eventual realidade possível de voltar a acontecer e nos forçar a estarmos enclausurados, com os passos coordenados arbitrariamente por um governo totalitário e opressivo: o Estado Voraz. Jogos Vorazes - Em Chamas_thumb[1].jpg O totalitarismo de Estado é ideia antiga e usada desde os primórdios para impor a população um governo de base opressiva que dita, faz, refaz e cria todo um aparato repressivo para ter o controle sobre a massa dos cidadãos que estão sob seu julgo. Dos ditadores romanos, Ao estado nazifascista De Adolf Hitler e a cortina de ferro de Joseph Stálin sobre a União Soviética: todos vão partir da premissa de obediência total e cega da população em torno da causa do Estado. Causa esta que o cidadão nunca a sabe, mas caso não esteja indo de acordo com a mesma, saberá através das correções e punições que o governo acabara lhe impondo.

Este Estado é voraz e seu estomago é insaciável, necessita mais e mais da vitalidade e força de trabalho de sua população, para manter-se de pé e continuar a explorar da maneira mais eficiente possível a seu bel-prazer, o trabalho do cidadão que paulatinamente torna-se uma massa semelhante a cabeças de gado obedientes, com horário marcado na linha de produção, virando enlatado de carne humana. Usando o terror como arma eficiente, o estado obtém a obediência da população que teme represálias e castigos dos mais variados, de físicos a psicológicos, uma ferramenta necessária e crucial para manter tudo sob controle, resumida em uma palavra: MEDO.

Outro aspecto importante visto em Jogos Vorazes é a comunicação e sua importância neste processo de amedrontamento do povo. Manter a população alienada com algo a sua frente, para distrai-la dos infortúnios e problemas do cotidiano, tal como os jogos vorazes e seus tributos heróis aparecendo a todos os habitantes de Panem (semelhante a Pedro Bial e seus “heróis” do Big Brother para todo o Brasil, rs), ignora-se a realidade deplorável em que se vive, com uma mente ocupada e controlada para divertir-se na desgraça desenrolada nas telas de LED, o pensamento de lutar e revoltar-se contra a situação imposta é sufocado. jogos2.png Existe também a utilização da figura de um grande líder e herói. O presidente Snow em Jogos Vorazes é retratado sempre em suas aparições como benevolente, simpático, querido, um senhor afável semelhante ao bom velhinho papai Noel. Sua Imagem é construída de tal forma perante aos habitantes da capital de Panem que estes não desconfiam e se alienam na ideia passada pelo belo sorriso do mandatário enquanto o restante do país arde em chamas. Não só Snow se apropria do discurso de imagem, pois os rebeldes usam a Imagem de Katniss para convencer a população a se juntar a causa, e o governo da capital utiliza Peeta para o contrário.

É realmente interessante perceber e analisar todos os processos de poder e os instrumentos utilizados pelos personagens em Jogos Vorazes, e relacionar com nossa realidade. Pode servir para atentar-nos as medidas restritivas que a própria sociedade impõe a si mesmo. Leis controlando o que cada ser humano faz com seu corpo; cerceamento de liberdades de pensamento e do agir individual; proibições de reuniões de grandes coletividades; tudo isto vai tecendo o pano de fundo que deriva numa sociedade totalitária. Portanto, nunca é demais fazer uma reflexão sobre os erros do passado da História humana, ou mesmo tirar lições de um filme que teoricamente, seria mera exploração para os lucros de uma grande bilheteria.


Guilherme Lima

manias acompanhadas de TOC.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/cinema// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Guilherme Lima