esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Diferente Olhar sobre o evolucionismo

Esqueçam a "lei" do mais forte.


Por simplesmente adequar-se melhor dentro do âmbito especulativo, as hipóteses que visem responder o porque de não haver leis aparentes na dita biologia evolucionária parece ter respaldo quando Darwin encontra Heinsenberg e perde para o último. Estudos recentes, porém, parecem indicar o descrito por ciências marginais como a Telelogia que a biologia pode ser descrita como informação assim como a Física Biológica (ph physics.bio). As propostas de emanharamento quântico mesmo que aplicáveis a este nível poderiam ter implicações ao macro na formação de moléculas e mesmo proteínas? Experimentos mais recentes parecem indicar que o mesmo fazendo barras vibrarem se responderia com a pergunta "porque não?"

Reações químicas podem ser induzidas por emissão de sinais eletromagnéticos mesmo que conhecidos mais comumente na fotosintese. Entre estes exemplos estão a bactéria E. coli que transmite tais sinais como intermediário entre nivéis de energia elétrica e mesmo entre bactérias diferentes, similarmente ao Quoron Sensig, podendo ser descrito como um tipo de "wireless" intercelular graças a eletrons em variações de AM e FM

Algo parecido pode ser descrito com a comprovação da hipotese da relação dos numeros de correção de computadores com o DNA. Recentemente provado em estudo realizado por brasileiros ao notarem que (T), guanina (G), citosina (C) e adenina (A) das bases nitrogenadas timina organizam-se de acordo com tal lógica numérica, curiosamente perdendo tal valor numérico quando perde a função, sendo curioso elo de ligação entre a informática e biologia como informação Telelogica como descrito no hipotético e-Quantic de 'Sindrome Celestial'.

As relações destes eventos a nível macro sabe-se as consequências, mas não quando em nível micro perante a mecânica quântica, mesmo que experimentos mais recentes parecem comprovar que a interação da mecânica quântica com o mundo visível sejam comprovadas, e quais os desdobramentos de fenômenos como a do bosón de higgs? Em 16 de março de 2011 a ScienceDaily divulgou que o Large Hadron Collider pode ser o primeiro a comprovar a existência do fenômeno e sua relação atemporal tornando o LHC na primeira máquina do tempo conhecida ainda que em escala micro. Tom Weiler e Man Ho Chui, propõe que partículas surgidas deste bosón, batizadas por singlet de Higgs, podem se locomover tanto para frente quanto para trás no tempo podendo saltar para a quinta dimensão, esta fora do tempo surgindo virtualmente em outros pontos do mesmo. Fenômeno similar é sentido no mesmo dito emaranhamento onde a interação de particulas pela supercondutividade pode expressar-se em pontos extremos e aparentemente desconexos simuntaneamente pela transmissão de informação permetindo perfeitamente a troca de informações, e quem pode afirmar por evidências que tal não interfira em formas de vidas biológicas sabendo-se ser fenômenos naturais?

Não se tratando dos absurdos mal explicados de teletransporte de partículas se não de informações quânticas a indicar comportamentos quase onipresentes como efeito borboleta a nível micro, os mesmos que suportam em tese as propostas de computadores quânticos, quando não de rompimento linear com o tempo, poderiam fornecer respostas - caso comprovado - não somente para propostas da teoria do caos, mas a fornecer respostas para os padrões onipresentes de formas e números do Pi, Proporção áurea e Mesmo o fato de baleias cantarem na mesma freqüência que as estrelas de neutrinos, a expor não somente a ligação entre a biologia e a física, se não do micro ao macro e as estranhas demais relações termodinâmicas com a entropia, demonstrando-se deste modo não como um passo, mas salto conceitual para teoria definitiva da ciência vigente, e a comprovar que a vida por fim não é mera resultante de fenômenos aleatórios e casuais se não fenômeno em si a justificar o universo como legislado por leis inteligentes.

A simetria é sem dúvidas ao lado da ação e reação peça-chave neste mosaico fomentando algo presente aos fascinantes fractais onipresentes em escala por todo universo por padrões comuns. A própia representação do sexo é simetrico, por isso oposto. A perpetualidade essencial a reprodução nada mais signifique que a hegemonia das simetrias em escala maior e crescente por ramificações. O mesmo se aplica sobre a reflexologismo em relação de simetria entre a matéria e antimatéria novamente comprovando fator de oposição inteligente. Propostas conceituais hipotéticas das relações que podem levar a mais alguma equação de relação interagente entre a mecânica quântica e biologia similarmente as propostas contidas no livro 'Kairos: O Livro do Tempo' sobre as concepções do tempo ondular ressoante, não por menos semelhante se não provavelmente complementar a esta.

"A semelhança não implica uma relação genética" Dr. Walt Brown, "In the Beginning", 2001, p. 290

Naturalmente que tais representações de semelhanças não representam deste modo a ligação a concepção a um único tronco de origem cujas semelhaças de fases evolucionários tenham relação ao desenvolvimento de embriões, ideias desqualificadas em 1874 por Wilhelm His.

"Essa ideia foi gerada por Ernest Haeckel, um biólogo alemão que estava tão convencido que tinha resolvido o enigma da vida, que acabou falsificando seus desenhos das fases embrionárias para provar seu ponto" William R. Fix, "The Bone Peddlers: Selling Evolution", 1984, p. 285

Erros comuns são presentes desde a formulação da Teoria da Evolução das Espécies por Charles Darwin, que agregaram como vício erroneo a lei do mais forte a sobrevivência do mais apto perante a chamada seleção natural que não obstante parece tão pouco responder as premissas evolucionárias de espécies, algo que apesar de ter relevância no estado selvagem não é regra, muito menos lei, a exemplo da aleatoriedade predatória quando a exemplo das baleias devoram enorme cardumes de peixes sendo os restantes não necessariamente os mais aptos ou fortes. Similarmente tal adequa-se ao ser humano que ao exemplo da infância representa o estágio mais vulneravel do ser, igualmente em qualquer outra criatura. O próprio homem está longe de ser entre as criaturas mais fortes do mundo. A lei do mais forte é para os fracos de inteligência. "A seleção natural pode ter um efeito estabilizador, mas não promove a especiação (a chegada a uma nova espécie). Não é uma força criativa como muitas pessoas têm sugerido." Daniel Brooks "A downward Slope to Greater Diversity", Science, vol. 217, 24 de setembro de 1982, p. 1240

Porém, deste mesmo modo permanece inegável os padrões biológicos que pipocam por todo o mundo similarmente aos fenômenos escalares demonstrando que poderiam deste modo ser perfeitamente resultantes de algum fenômeno singular não descrito por quaisquer leis conhecidas se não por algum tipo de interação que somente poderia preencher tal lacuna vindo do micro quântico.

"Não há um fóssil sequer que poderia ser usado como um argumento conclusivo. A razão é que as declarações sobre ancestralidade e linhagem não são aplicáveis ao registro fóssil". Colin Patterson, Paleontólogo Chefe do Museu Britânico de História Natural e editor de uma revista científica de grande prestígio

A miscigenação genética aparentemente tem respaldo quântico pelas propostas presentes como parte conceitual o evolucionismo não ditado pela seleção natural ou a suposta lei do mais forte. Tal palavra parece não por menos deter semelhanças com entropia e caótica que acrescida ao nível biologico ganha este nome-status. Ed Wiley e Daniel Brooks, autores do livro 'Evolução como entropia' (Evolution as Entropy) de 1986 atesta a condição de relação aparente com a diversidade evolucionária advém do aumento do nível entropia. Sabe-se que não somente fatores ambientais e climáticos influem no desenvolvimento das espécies se não a física em escala macro onde mesmo pode ter sido responsável pelo fim abrupto de espécies de acordo com estudo divulgado pela NASA em associação com uma universidade do Kansas. Segundo estes explosões no espaço que atingiram a Terra há 450 milhões de anos poderia ter dizimado espécies por raios gama. Colhendo dados do observatório espacial Swift em funcionamento desde 2004 em estudo publicado na Astrophysical Journal Letters, estes tendo por base a modelagem atmosférica calcularam a quantidade da radiação gama provocada por uma explosão estelar chegando a conclusão que apenas 10 minutos de intensidade seriam suficientes para destruir metade da camada de ozônio da atmosfera levando cerca de cinco anos para se recuperar hipoteticamente, mas sendo tempo suficiente para expor toda a cadeia alimentar aos nocivos raios ultravioletas solares. Mesmo sendo raros estima-se que tal tenha sido responsável pela morte de trilobitos cujos fosséis encontrados parecem denunciar extinsão massiva. “Uma explosão de raios gama com origem a menos de 6 mil anos-luz da Terra teria um efeito devastador na vida do planeta” Adrian Melott, do Departamento de Física e Astronomia da Universidade do Kansas

De acordo com a Scientific American explosões de raios gama são relativamente comuns no espaço mesmo que raras em proximidade com a Terra. A maior jamais registrada fora a de 9 bilhões de anos luz da Terra produzindo grande emissão da GRB que podem se dividir em emissões curtas e longas são registradas pelo satélite BeppoSAX específico para detectar emissões do tipo. "Dizer que somos o que somos por conta do acaso é uma estupidez. Nosso organismo, como de todos os seres vivos, é suscetível aos efeitos no meio em que estamos inseridos." Máximo Sandín

Das mutações comprovadamente ocorridas por emissões dos mais variados tipos de radiação, mesmo que demonstrados como resultadores em monstros e criaturas gigantescas e exageradas na ficção científica comprova-se que tal pode resultar em anomias não somente aberrantes, fora os casos incomuns relatados no livro ‘A Ciência do Desconhecido’ como minhocas fora do comum, grandes, a outros casos naturais de mutação por heredietariedade, se não de aspectos que podem ser desconhecidos em maior escala para o homem. A vida pode ser algum tipo de padrão legislativo similarmente resultante pelos fractais e as proporções variadas presentes por todo o universo a exemplo tanto citados mesmo na natureza quer seja meramente resultante da entropia ou algo mais poderoso e ainda plenamente fora de nosso conhecimento. Quem garante que a própria entropia não varie por resultante destes fenômenos?

“Não sabemos exatamente quando o fenômeno teria ocorrido, mas estamos certos de que ele ocorreu – e que deixou a sua marca. A informação mais surpreendente resultante do estudo foi descobrir que apenas dez segundos de exposição àquela radiação pode ter causado anos de destruição à camada de ozônio” Melott

Querem conhecer o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Gerson Avillez