esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Genialidade e Loucura, dois lados da mesma moeda?

Que a genialidade cruza-se com o excentricismo todos sabem, porém, seu flerte com a loucura e outros problemas mentais pode ser mais próximos do que aparenta.


Thomas Bethune não era um menino normal, mas não somente por ser escravo, ele havia nascido cego quando ainda havia os domínios da escravidão em 1850. Logo ficou conhecido por Blind Tom, mas, sobretudo por apresentar capacidades simplesmente inacreditáveis a um humano comum, sendo capazes de realizar feitos onde era capaz de ler por volta de 20 páginas de partituras e reproduzi-las num piano, conseguindo memorizar nada menos do 7 mil músicas quando ainda tinha apenas 16 anos. O jovem fora apenas o primeiro de muitos jovens que sofriam do chamado autismo, uma doença que apesar de limitar a si próprio o mundo exterior destes indivíduos os fazem apresentar habilidade fantásticas como de memória fotográfica, imensa capacidade com números e até mesmo calcular datas e dias de semanas séculos à frente. A questão do próprio autismo, tal como da sua variante mais sutil, o Asperger, permanece um grande incógnita sobre a mente humana e suas capacidades. Sob tal aspecto, não existe tampouco uma compreensão plena da inteligência humana de modo que os Testes de Q.I. apenas dá uma noção da medida do intelecto, permitindo calcular aproximadamente a média de QI populacional sendo este normalmente entre 100, segundo pesquisas, variando entre 85 e 115, mas nem sempre muitos se enquadram neste padrão, cujo Asperger é apenas um dos exemplos, pois não obstante variam os tipos de inteligência tanto quanto a criatividade em sua prática. Em 2009 uma criança britânica de apenas dois anos de idade chamada Oscar já exibia um vocabulário de 600 palavras, sendo que antes já falava sobre a formação do sistema solar e sobre o nascimento dos pingüins. Com apenas 4 meses já dava indicio de que ria das piadas dos pais e cerca vez aos dois anos acordou chamando os pais durante a madrugada para conversar sobre o Império Romano! A lista de Gênios da humanidade é extensa onde vivos ainda hoje podemos encontrar o físico engenheiro Kim Ung-yong que com apenas 3 anos aprendeu cálculo diferencial, já sabendo ler japonês, coreano, inglês e alemão com quatro quando já compunha poemas nestes idiomas entrando para o Guiness Book com o QI de 210. Já Christopher Michael Langan com os seus 195 de QI é considerado no inicio do milênio como o homem mais inteligente da América que atualmente trabalha como autônomo em seu rancho após criar a Cognitive-Theoretic Model of the Universe (CTMU) que formula uma tese de relacionamento entre a mente e a realidade. Outros gênios são comuns no meio da computação como Philip Emeagwali, um engenheiro de computação e geólogo nigeriano que com seu QI de 190 levou o prémio do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos por trazer grandes avanços nos ramo no ramo do petróleo. Abaixo uma lista de personalidades de todos os tempos mediante seu QI:

Sir Isaac Newton - QI de 190 pontos Voltaire - QI de 190 pontos Leonardo Da Vinci - QI de 180 pontos Michelangelo - QI de 180 pontos Johannes Kepler - QI de 175 pontos Blaise Pascal - QI de 171 pontos Michael Faraday - QI de 170 pontos Antoine Lavoisier - QI de 170 pontos Lutero - QI de 170 pontos Galileu Galilei - QI de 165 pontos Johann Sebastian Bach - QI de 165 pontos Thomas Hobbes - QI de 165 pontos John Locke - QI de 165 pontos Ludwig van Beethoven - QI de 165 pontos Renè Descartes - QI de 162 pontos Albert Einstein - QI de 160 pontos Robert Boyle - QI de 160 pontos Benjamin Franklin - QI de 160 pontos Linus Pauling - QI de 156 pontos Rembrandt - QI de 155 pontos Miguel de Cervantes - QI de 155 pontos Charles Darwin - QI de 153 pontos Wolfgang Amadeus Mozart - QI de 153 pontos Nicolau Copérnico - QI de 150 pontos Abrahan Lincoln - QI de 150 pontos Napoleão Bonaparte - QI de 145 pontos George Washington - QI de 140 pontos Stephen W. Hawking - QI de 160 pontos. Paul Allen - um dos co-fundadores do Microsoft, QI de 160 pontos. Sharon Stone - QI de 157 pontos. James Woods - QI de 180 pontos.

cerebro.jpg

Porém o homem considerado mais inteligente de todos os tempos seria William James Sidis, um nova-iorquino que nasceu em 1898. Tendo seu aprendizado aguçado por métodos de hipnose graças a seu pai Boris Sidis começou a falar a primeiras palavras quando ainda tinha poucos meses de nascido, já lendo jornais com um ano de idade e sabendo comer normalmente com talheres, aos dois anos já lia livros de escritores famosos e sobre ciências vindo a começar a escrever com cinco anos de idade onde fazia suas cartas e quando começou a aprender sozinho seis línguas - latim, grego, hebreu, russo, alemão e francês. Mesmo que só tenha começado a estudar o primário aos 6 anos rapidamente ascendeu sendo transferido para o ano seguinte graças as suas habilidades quando finalmente sua história foi relatada no jornal New York Times, e tendo quatro livros publicados com apenas nove anos de idade, em 1907. Entregando não foi aceito em Havard por considerarem que ainda não tinha idade emocional suficiente sendo aceito aos 11 anos, dois anos após. Em 1910 fez um discurso para cerca de cem pessoas sobre a quarta dimensão se formando quatro anos depois quando tinha 16 anos. Porém o comum a pessoas superdotadas como eles não se enquadrava facilmente realizando vários cursos sem completar nenhum, e não abria mão do crescimento social típico de sua idade para adquirir maiores conhecimentos, se tornando um desajustado e chegando a ser preso por ser a favor do socialismo que era proibido na época. Passou então a ser perseguido e acabou procurando empregos medíocres para se esconder no anomimado, como balconista enquanto mantinha o hábito de escrever publicando seus livros sobre filosofias e outros temas sob um pseudônimo como se acreditou ser Okamakammesset, quando já sabia 40 línguas incluindo uma própria chamada Vendergood processou várias mídias vindo a falecer em aos 46 anos por um possível derrame cerebral em 1944 quando já tinha elaborado diversas teses em diversos ramos como da física, matemática e outros. Não é de hoje que muitas vezes gênios são confundidos com loucos e loucos com gênios. Muitas vezes por conceitos excêntricos ou adiantados ao seu tempo mediante rótulos e concepções que levavam até mesmo a condenação a exemplo de Galileu Galilei em sua prerrogativa de que era a terra que se movia. O mesmo sucedeu em terras brasileiras quanto Santos Dumont do qual constantemente era taxado de ridículo e louco pelos colegas ao afirmar que um objeto mais pesado que o ar pudesse voar. Outros exemplos similares se sucederam a preencher tal lista de gênios injustiçados pela história ao menos em seus primórdios como Cristóvão Colombo sobre a terra ser redonda, Louis Pasteur em suas associações das doenças serem provocadas por microrganismos. Entre estes também seria impossível não se citar como Nikola Tesla do qual sua genialidade frequentemente flertava com o excentricismo e a própria loucura, sendo constantemente sufocado por seus opositores, e teve muitas patentes deliberadamente roubadas e morreu na pobreza como exemplo da intolerância e injustiça. Estudos mais recentes atribuem o excentricimo destes gênios tal como Van Gogh e Picasso - gênios da pintura - a loucura onde uma linha tênue liga a criatividade com esta, podendo ser muito próximas. Grande parte de tal talvez se desse pelo fato de sua sensibilidade e percepção diferenciada do mundo a sua volta mesmo que alguns valores morais lhes fossem comuns aos demais seres humanos. Mesmo que conforme Platão acreditava e dito em 'Ecce Libro' de onde advém o termo platonismo, tal era concebido por uma inspiração divina, tornando a própria busca por compreender o fenômeno da genialidade como promissora busca no século XX levando a conclusões de que alguns males psíquicos favoreciam a genialidade, passando pelos estudos nos anos 70 da psiquiatra Nancy Andreasen da Universidade de Iowa, testando 30 escritores considerados talentosamente comprovados. Num estudo divulgado em novembro de 2009 na revista Australasian Science diz que o índice de pessoas mal humoradas com maior inteligência são maiores do que as que não são. Segundo este estudo o mau humor favorece o senso crítico, atenção, e raciocínio tal como a própria memória ao passo que seu oposto favoreça melhor a criatividade. Talvez possa haver uma relação entre as súbitas mudanças de humor destes gênios com tais estudos como um modo de dosar seus contrapostos.

Trecho de ‘Oposcinio’ de Gerson Avillez – 2012®

Querem conhecer o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Gerson Avillez