esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Mistérios do Cérebro

Os principais estudos sobre os mistérios do cérebro e a paranormalidade podem abrir campo para tecnologias inovadoras?


Dos mistérios da mente que mais chamam a atenção são os relacionados à chamada paranormalidade como o próprio sentido humano perdido. Fenômenos como a telepatia mesmo que jamais compreendidos ou comprovados pela ciência abrem precedentes de discussão até hoje, mesmo que não aceito pela maioria dos cientistas e céticos. O termo cunhado em 1882 pelo fundador da Society for Psychical Research (Sociedade para Pesquisa Psíquica) Fredric W. H. Myers vem do grego 'tele' (distância) e 'patheia' (sentir ou sentimento) é definida para o estudo da parapsicologia como uma forma de contato ou comunicação além dos sensores comum do ser humano (seja, imagens, sinais ou som) como transferência de pensamentos como era chamada originalmente. Inicialmente tratada como uma anomalia cognitiva, a percepção extra-sensorial e outros fenômenos parapsicológicos como premonição, clarividência e empatia ganharam estudos sérios especialmente sobre a glândula pineal que seria fonte de tais supostos poderes. Desde René Descartes tal é vista como centro do ser humano onde residia a sua alma apresentando funções transcendentais como um tipo de antena cujas vibrações seriam de acordo com as ondas eletromagnéticas captadas, tal como escritores como o pseudônimo Lobsang Rampa e Allan Kardec os associam nas principais religiões e seitas espíritas como uma espécie de 'terceiro olho' de expressão do corpo etéreo e centro de dois chakras para os hindus, mas que estaria atrofiado. Tal crença talvez inicialmente por ter a aparência em sua estrutura com o olho humano, especialmente em outros animais vertebrados por ter pigmentos fototranscudutor, que leva a alguns biólogos a crer que teriam origem nas células da retina. De fato há paralelos ainda não esclarecidos sobre algumas formas de percepção como a orientação das andorinhas e até mesmo de baleias e cardumes de golfinhos com uma percepção inteligente não comum a nós e ainda não compreendida, mas funcionando de forma similar a uma bússola. A epífise neural, como também é chamada, se localiza entre os dois hemisférios do cérebro preso a diversos pedúnculos e é responsável pela regulação dos ciclos vitais (circadianos) como do sono e das atividades sexuais, mesmo que concepções inerentes a fotossensibilidade sejam controversos, tal como sua própria concepção vestigial. Segundo o pesquisador Aaron Lerner descobriu que a presença de melatonina nesta glândula ocorre pela inibição da luz. Tal nos humanos se ligaria ao Córtex o que aumenta as crenças de ligação a paranormalidade, esta seria maior em crianças e diminuindo sua função após, a puberdade, na fase adulta, e poderia ter uma curiosa influência sobre o uso das drogas como cocaína e antidepressivos. Porém se reconhece entre os próprios parapsicólogos que tais estudos padece de meios de detecção mediante a ciência formal do qual ainda não reconhece a parapsicologia como uma ciência exata empírica. Mas em 2004 a chamada tecnicolepatia descobriu meios da criação de uma neuroimagem capaz de identificar os padrões de pensamentos como de sede, ou à vontade de se mover um braço ou um cubo. Por meio de eletrodos implantados as atividades de dos respectivos neurônios e impulsos eletromagnéticos são detectados permitindo o desenvolvimento de tecnologias notáveis como se mexer num computador com o pensamento e até mesmo mover objetos robóticos. Num artigo publicado pelo jornal USA Today relata sobre um experimento realizado por um novo equipamento que seria capaz de utilizar destas ondas cerebrais para mover objetos. O brinquedinho chamado “The Force Trainer” tem como parte um headset do qual “canaliza” tais ondas cerebrais a mover uma esfera dentro de um tubo transparente de 25 cm de altura. Já em 1 de abril de 2009 em Tóquio, Japão, a Honda e o Instituto de Ciências e Desenvolvimento do Japão exibiu a Máquina de Interface Cerebral do qual similar a um capacete este é capaz de controlar um robô remotamente apenas pela "força do pensamento". O sistema que lê as ondas elétricas do cérebro pelo couro cabeludo e do fluxo de sangue permite que, ao serem interpretados tais sinais são convertidos em comandos diretamente ao robô. Tais tecnologias utilizadas por nomes como Miguel Nicolelis, traz consigo o conhecimento de terras estrangeiras para desenvolver a interação mente-máquina, e assim, permitir que membros paralisados possuam próteses que entendam os comandos do cérebro para se movimentar. Porém, não se existe conhecimento de outro meio de detecção por meras captações de ondas cerebrais sem a utilização destes eletrodos ou da mesma por outra mente humana, numa transferência mais clara de pensamentos não meramente ligados à área motora meramente. Ou seja, apenas uma pequena parte destes pensamentos foram detectados, e decifrados deixando uma margem imensa nesta área ainda como ciência em crescimento, mas promissora. Na Universidade Carnegie Mellon em Pensilvânia, utilizando-se apenas um equipamento de ressonância magnética consegue interpretar sinas emitidos pelo cérebro do qual pela detecção de sua movimentação em paralelo ao que se pensa, o computador divide o cérebro em cerca de 20 mil partes chamadas voxels onde as variações determinariam o que estariam pensando nas áreas específicas onde existem maior movimentação do fluxo sanguíneo por representações de cores como o azul que demonstra atividade e amarelo atividade mais intensa formulando um tipo de dicionário cerebral, segundo o pesquisador brasileiro Augusto Buchweitz. As aplicações de tal tecnologia segundo Marcel Just favorece tratamentos exato de moléstias psicológicas associadas a elementos negativos, mesmo que tal não seja capaz ainda de “ver” com exatidão o que se pensa de modo complexo. Tais avanços sugerem que será possível algum dia se criar um aparelho que seja capaz de realizar leituras de mentes a distância, onde se utilizando um laser, por exemplo, pode-se ler parcialmente a mente alheia até me local público. Óbvio que tal concepção abre precedentes legislativos em relação à ética da utilização da tecnologia, pois tal poderia se enquadrar como um novo nível de crime, uma invasão de privacidade-mental! O uso da tecnologia por meios nada éticos abrem precedentes terríveis contra a humanidade, conforme já se constatou inúmeras vezes anteriormente. No Japão, no Instituto de Pesquisas em Telecomunicações Avançadas de Quito, alguns pretendem conforme proposto no livro de ficção 'Sleepners' criar uma máquina capaz de gravar os sonhos. O autor do projeto Yukiaso Kamitami diz "A minha meta é gravar os sonhos" onde por experimentos estes começam a identificar imagens formadas pelo cérebro onde as cobaias visualizavam figuras dentro da ressonância magnética sendo lida pelo equipamento que gerou a imagem que este pensava mesmo que com uma resolução muito baixa. O que revelaria tal equipamento na mente de pessoas perversas? Já entre experimentos que visam estudar apenas os possíveis efeitos das suposições da paranormalidade o Projeto Ganzfeld é a mais difundida pesquisa sobre o assunto. Criado em 1971 pelo parapsicólogo Charles Honorton e utilizando-se de ambientes fechados e protegidos contra interferências que favoreçam o relaxamento mediante apresentação de imagens aleatórias, o experimento visava recriar condições para favorecer as condições do despertar das atividades extra-sensoriais que se consideraria normalmente adormecidos pela utilização do demais sentidos no cotidiano, pois segundo estes tais 'poderes' na realidade seriam natos, mas 'adormecidos'. Porém, todos os experimentos científicos sérios determinariam que se tais capacidades fossem verdadeiramente existentes seriam incontroláveis conscientemente. Outros experimentos foram realizados em 1917 na Universidade de Stanford por John E. Coover que se utilizava de métodos advinhatórios de cartões dos quais os resultados não foram significativamente satisfatórios para uma conclusão positiva sobre o tema, e mais: foram curiosamente decaindo a exatidão de experimentos similares posteriores, demonstrando uma possível influência entre a exaustão e repetição monótona destes, como se estagnasse. De forma semelhante o livro "Percepção Extra Sensorial" de J. B. Rhine que popularizou o termo 'ESP' publicou uma série de experimentos realizados em 1927 utilizando-se dos chamados Cartões de Zener por métodos mais rigorosos e sistemáticos. Já no livro "Rádio Mental" de Upton Sinclair em 1930 o autor ganhador do Pulitzer descreve grandes semelhanças de esboços realizados por ele ao de sua esposa a quilômetros de distância como uma provável ligação dada pela intimidade de convívio entre tais. Tais relatos serviram de inspiração para projetos de visão remota do governo como Grill Frame e Mk Ultra, apesar de gerar controvérsias entre parapsicólogos.

“Grande é a verdade, mas ainda maior, do ponto de vista, é o silêncio em torno da Verdade.” (Aldous Huxley – Admirável Mundo Novo)

Segundo relata-se um dos participantes destes projetos secretos ocorridos durante a Guerra Fria, Patrick Price, teria relatado com detalhes num relatório a descrição do Gabinete Nacional de Segurança (GNS) a muitos quilômetros de distância, na chamada "Visão Remota". Tido como agente psíquico Price teria participado do Projeto Scanate. Mesmo que reconhecidamente a grande maioria das descrições de videntes tenham sido falhas, uma minoria demonstra surpreendente precisão que não pode ser negada. Já entre a ex-URSS relata-se até mesmo a existência de projetos "psicotrônicos" que visava a destruição psiquicamente remota de mísseis e outros sistemas de defesa como radares, conforme dito pelo ex-agente da KGB Nikolai E. Khokholov. Muitos investimentos eram realizados nesta área no período em ambos paises.

menina1.jpeg

Seguindo tais tendências Montaque Ullman e Stanley Krippner do Centro Médico de Maimonides no Brooklyn, Nova Iorque, concluíram que tais habilidades ocorreriam de modo espontâneo como durante o sono no estágio REM onde os pacientes por meio de Eletro encefalogramas EEG eram monitorados do qual na sala de observação se tentava enviar uma imagem aleatória e depois do estágio REM seu paciente era interrogado. Já Rupert Sheldrake, em seus experimentos teria notado com sucesso a sensação de estar sendo vigiado sem que este soubesse conscientemente, assim como prever até mesmo se alguém iria lhe ligar. A associação com a Teoria Quântica fora inevitável mediante a incerteza de Heinseberg, de qual a vida dos "receptores" pesquisados tiveram uma sutil mudança comportamental ao fato de descobrirem ou sentirem-se observados, desconforto do qual frequentemente compartilho, me parecendo até mesmo muitas vezes me angustiar por sensações de negatividade externa, o que comprova como em grande parte não causal meu 'despertar'. Sobretudo nota-se que subjetivamente ou não, tais condições favorece o surgimento de um stress por não ser algo natural, mesmo que a subjetividade neste caso exclua tais casos de paranormalidade conforme descrito no capítulo anterior em suas classificações. Não obstante, tão pouca questões como do subliminar parecem apresentar uma ligação coerente a tais poderes, se não instintivo nato ou até mesmo relacionados a traumas acidentais como os de quase morte. Sobretudo resultados específicos não podem ser induzidos sobre pressão, mas antes sob condições favoráveis de acordo com o individuo. John Horgan propôs na Scientific American que a mente é a fronteira restante a ser explorada pela humanidade, a si próprio "vai muito além da metafísica". Fato. No começo de 2010, porém, o confiável "Journal of Personality and Social Psychology" publicou um artigo controverso onde um professor de psicologia social da Universidade de Cornell, em Nova York realizou uma pesquisa diferente. Daryl J. Bem, tendo por cobaias cerca de 1.100 universitários voluntários onde ao realizar tarefas simples como predizer em qual lado do computador uma imagem apareceria ou para se localizar uma imagem erótica incorreu com grande margem de acerto para ser considerado meramente casual, aproximadamente 51% mesmo sob a revisão de estatísticos como Eric-Jan Wagenmakers, da Universidade de Amsterdã mesmo sob críticas de que tais dados tivessem sido explorados a favor do experimento dividindo opiniões no meio acadêmico assim como entre parapsicólogos - jamais reconhecidos como científicos para os mesmos - que vêem em tal oportunidade de oferecer provas extraordinárias sobre tal sentido extrasensorial considerado igualmente extraordinário. Segundo Douglas Hofstadter a comprovação da PES como excedente temporal a exemplo da previsão do futuro seriam provas que igualmente colocaria em xeque a física nas concepções do tempo considerado oficialmente até o presente momento como linear mostrando concepções de que não somente o espaço se interage com o tempo e vice-versa, mas o tempo consigo mesmo, o futuro com o presente, criando desdobramentos em paradoxos e mesmo concepções mais complexas de termodinâmica comprovando o poder da mente humana em interagir com o mundo em algum grau, no aspecto temporal ao menos (ver 'Kairos: O livro do Tempo' onde tais propostas são discutidas hipoteticamente como parte explicável da tese). Tal PES abre precedentes extraordinários para todos os ramos das ciências exatas e probabilísticas. "Se algo disso [a PES] fosse verdade, então todas as bases da ciência contemporânea ruiriam, e nós teríamos de repensar a natureza do universo." Douglas Hofstadter, professor de ciência cognitiva da Universidade de Indiana (New York Time)

Mesmo que os cientistas argumentem que a concepção da mecânica quântica aplica-se apenas ao mundo micro, e assim ínfima influência no mundo macro, porém, não se comprova tal, assim como o oposto, mantendo-se um impasse mesmo que tal concepção de observação coloque argumentos da física clássica em xeque abrangendo elementos da teoria do caos e efeito borboleta. Mas alguns cientistas quânticos que vêem na quântica a promissora proposta até mesmo da criação de criptografia quântica, do qual Nick Herbert propõe que seria uma resposta para formas de comunicação como a telepatia por mais ínfimo e causal que sejam os relatos, por não ser dependentes de conceitos da física clássica. Chegou-se a ser realizado experimentos sob tal pelo chinês Gao Shen do Instituto de Física de Quantum, Péquim, onde parte de comparações de EEG entre duas leituras de mentes como forma de buscar controlar padrões sincrônicos entre tais mentes, mesmo que nenhum resultado tenha sido positivo. Não obstante, são inúmeros os supostos videntes que são desqualificados prontamente, a Mãe Dináh cujo nome é Benedicta Finazza é uma reconhecida vidente muitas vezes por seus fracassos "proféticos", por exemplo, errando muitas vezes inclusive ao chegar anunciar profecias para Nostradamus na virada do ano 2000. Porém, um dos relatos mais curiosos vem de um cientista, o genial visionário da eletrônica Nikola Tesla responsável pela descoberta da corrente alternada e de precursores da localização GPS assim como dos radares em 1917, mesmo que na época escarnecido. Tesla sofreria de um mal onde flashes seguidos de alucinações seriam responsáveis pelo fenômeno do "De Javu" de hipotéticas situações ou objetos futuros dos quais "lembra-se" em detalhes ao vê-la [caso hipoteticamente explorado num conto de Parallel Tales]. Sugeridno ser algum tipo de instinto extrassensorial fora do limiar consciente e por isto não plenamente controlado conscientemente. Mesmo que sendo diagnosticada como psicótica inicialmente, a misteriosa doença o teria salvado de afogar-se ao nadar por de baixo de uma longa estrutura do qual era muito mais longa que esperado sendo salvo por um flash que o teria dado vislumbre de um bolsão de ar. Igualmente ele revelava que teria tido uma visualização da morte de seus pais numa premonição detalhada. Em sua vida controvérsia relata que teria até mesmo sido capaz de "passar" uma imagem para uma pessoa isolada em outra sala. Estando a beira de morrer após um surto teria tido uma recuperação fantástica após ler um livro, do qual uma vez recuperado teria adquirido uma hipersensibilidade do qual diz-se até mesmo que o som de um relógio o incomodaria a muitos cômodos distantes. Foi num destes insight que ele teria desenvolvido o motor de corrente alternada. Não gostava de contato físico do qual como a grande maioria dos gênios apresentava alguns excentricismos. Se o futuro interage com o presente, pressupõe que o presente o faz com o passado demonstrando a concepção de ressonancias reflexivas temporais do além linear e podendo ser outro exemplo da aplicação quântica em maior escala perante a caótica como meio a mente humana. Mas como estes rebateriam? No que se não a própria mente do ser humano? Entre estes fenômenos encontra-se o particularmente curioso De javú que parece dividir opiniões. O termo cunhado por um estudioso do psíquico chamado Emile Boirac (1851-1917) cujo significado é 'já visto' que descreve a súbita sensação de lembrança sobre algo visto, mas sem se ter ciência conscientemente de tal em anterior, tendo-se a sensação de já ter vivido algo ou estado em determinado lugar. Sob a óptica cientifica explicações sobre a verdadeira sensação refere-se a associações com memórias similares provocadas pelo esquecimento parcial e ligando-se também ao cansaço ou por problemas ligados aos tipos de memórias consolidas e temporárias. Porém, a sensação de confusão e dúvida não ocorre no caso clássico de déjà vu, mas normalmente de uma estranha sensação como se partes de uma memória não antes compartilhada pela experiência anterior lhe emergisse sem detalhes claros logo sem saber os 'porquês' desta. Vulgarizado pelo hábito popular como crítica as sucessões repetitivas, e de 'familiaridade', muitas interpretações subseqüentes tem surgido ligadas a religiões e outros, onde alguns associam a lembras de vidas passadas (reencarnação) mesmo que a relação com lugares mais historicamente recentes sugerem uma estranha discrepância temporal em relação ao quem teria vivido tal situação no passado, enquanto outras versões relacionam uma mística sintonização temporal com o seu destino alinhado. Em 1955 Wilder Penfield fez experimentos com estímulos eletrônicos nos lóbulos temporais descobrindo que muitas destas sensações ocorrem como sintoma de uma epilepsia localizada. Talvez por tal alguns pesquisadores liguem tal a experiências psíquicas de mediunidade, por exemplo, assim como da glândula pineal.

Trecho de ‘Sentido Perdido’ de Gerson Avillez – 2012®

Querem conhecer o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/recortes// //Gerson Avillez