esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Desconstruíndo Darwin – Parte I

O artigo faz um retrospecto da origem da teoria evolucionária e a questiona em seus fundamentos baseando-se em fatos científicos jamais explicados pela mesma e dentro da biologia. A figura de Darwin é questionada sua teoria desconstruída!


Um exemplo da aplicação da cienciometria que não obstante aplica-se a si própria em conceitual de paralelo a memética, está na teoria evolucionária - que influenciou fortemente o mesmo - que tem precursores que remotam Empédocles e Lucrécio sendo refinada por Aristóteles como a luta pela sobrevivência descrita de modo mais objetivo no século IX por al-Jahiz passando por Pierre Louis Maupertuis no século XVIII e mesmo o avô de Darwin, Erasmus Darwin. Por fim sucedeu-se memeticamente pelo Lamarckismo atingindo influentemente o biólogo soviético Trofim Lysenko que por si só demonstra um estudo autoaplicável dos elos de hereditariedade do pensamento científico estudado pela cienciometria - aqui bastante claro demonstrando não haver corrupção no processo. Ao lado de teorias revolucionárias como da Relatividade Geral de Einstein e em paralelo da Mecânica Quântica começada por Max Planck, proporcionaram um verdadeiro salto nas ciências naturais e aplicadas em conseqüência, de modo que no curto período do fim do século XIX a ciência moderna estava sendo forjada por desbravadores científicos. Porém, poucas teorias trouxeram mais controvérsias ainda hoje que a Teoria da Evolução de Charles Darwin lançando mão de conceitos que minavam o criacionismo bíblico determinava uma aparente e irreconciliável ruptura entre o secular e a religião, desde o lançamento de 'A Origem das Espécies' ao centenário de Darwin em 2009. Mas, muita coisa mudou mediante observações que pareciam gradualmente revelar que a teoria encontrava-se ainda aquém de ser uma lei, mas falha e repleta de lacunas a ser preenchidas, a começar por uma microscópica revolução na biologianos entrincheirados do código genético após seu decodificamento no final do século XX a revelar que conceitos de seleção natural e da fadigada 'lei do mais forte' pareciam por fim fraquejar ironicamente diante dos microscópios e dos modernos computadores de seus pesquisadores. Não obstante, associações posteriores por darwinistas extremistas passaram aplicar seus conceitos torcidamente na política e religião promovendo a higiene racial de Hitler que culminou no holocausto e conceitualizações generalizadores propostas por sistemas comunistas. Mas o legado de Darwin permaneceu não somente como uma assombração moral onde interpretações influenciaram em todos os meios, da antropologia, a discutível memética até a computação como um confronto de idéias que quase fortaleciam entre a tese e a antítese conceitualmente evolutivas. Bom cientista, virtuoso e repleto de esperanças morais para com a humanidade creu inocentemente a virtuosidade humana na aplicação de seu credo o fazendo hoje mediante tais fatos certamente o esqueleto de Darwin se remexer diante de tais. Na biologia compartilha-se não o fato de ser regido por leis inflexíveis e constantes, mas um princípio suposto da seleção natural, do qual mesmo este tem sido debatido. Não obstante, na desconstrução gradual do evolucionismo de Darwin chegamos somente a um denominador comum legislado e presente em todo universo como supraconstante, a primordial lei da ação e reação. Por tal alguns entusiastas que tem construído uma revisitação da mesma sob o nome de Síntese Evolutiva Ampliada.

darwin_charles.jpg

Mas esta forte controvérsia que atinge os fundamentos da teoria da evolução pertinente ao mecanismo da seleção natural dividindo a comunidade científica, tem ocorrido em parte graças a recentes descobertas genéticas com o avanço do estudo do genoma humano. Outro fator curioso consiste no fato de que a diferença do genótipo entre o ser humano e um rato é de um baixíssimo percentual mesmo que seja enorme a diferença em complexidade entre o ser humano e um verme. A resposta estaria no genoma tenha mais exons responsáveis pela complexidade dos organismos na formulação de proteínas na combinação gênica de um RNA, mesmo que sob alguns aspectos torna-se incompreensível sua regulamentação por simplesmente não ser pertinente ao RNA conforme publicado em 16 de julho de 2010. No dia seguinte a tal publicação uma outra – em 17 de julho de 2010 - do ScienceDaily concluiu que o estudo realizado em Princeton que incluí o professor David Sterndo e Nicolás Frankel sobre o chamado DNA lixo pode ter função vital no desenvolvimento de moscas fruta onde proteínas associadas a repetidas regiões do DNA destas podem se tornar ativos quando o crescimento é menor do que esperado, podendo dar respostas sobre o desenvolvimento do próprio homem. Não somente tal pesquisa como tantas outras indicam gradativamente que o DNA Junk está longe de ser 'inútil' ou ‘lixo’ como se pensava os pesquisadores, sendo curiosamente a maior parte do DNA a exemplo do humano (cerca 98%), talvez o montante de nosso preconceito do qual de modo nato tente a rotular o eu não compreendemos.

"Durante os últimos 10-20 anos, a pesquisa mostrou que as regiões de ensino fora da região da proteína-codificação são importantes para a regulação quando os genes são ligados e desligados (...) Agora nós estamos encontrando que as cópias adicionais das instruções genéticas são importantes para manter a função do gene estável mesmo em um ambiente variável, de modo que os genes produzem a saída à direita para que os organismos se desenvolvem normalmente. Para interpretar e compreender completamente o genoma, é preciso pensar nisso a partir de uma perspectiva ecológica e evolutiva (...) Sua finalidade é produzir um organismo saudável em um ambiente variável, então uma boa parte evoluiu para lidar com contingências que os organismos irão experimentar no mundo real." (David Stern)

Para Henrik Kaessmann do Centro de Genômica Integrativa da Universidade de Lausanne (Suiça) sugere que tais heranças surgem não somente da duplicação, mas de composições de outros genes antigos a gerar em sua diversidade novos, mesmo genes parasitas, genes de sequenciais não funcionais a partir do zero do qual em suas junções geram novas funções. Partindo-se destes princípios os cientistas vem rediscutindo mesmo elementos considerados pseudocientíficos como o Design Inteligente onde a exemplo de livros como Supernatural Selection de Matt Rossano (Oxford University Press) discutido em sites como NewScientist num artigo que curiosamente tenta fazer um elo de ligação com a religião – algo não menos perigoso - "How our species owes its success to religion" (Como nossa espécie deve seu sucesso à religião) do qual propõe segundo Rossano a religião teve papel fundamental na evolução humana, com o surgimento das complexas estruturas sociais pela necessidade do confrontamento a “escassez” de modo a facilitar o confrontamento das dificuldades do habitat, dando, porém, margem ao surgimento da religião favorecendo o pensamento simbólico e a imaginação a exemplo da “deíficação” de alguns humanos. Mesmo que não pareça haver sentido direito nas argumentações de Rossano, ele alega que tais conceitos selecionavam os mais imaginativos e criativos onde amplificados pelo efeito placebo se potencializariam de modo a se auto-sustentar, porém, soando de modo similar a seleção natural. A seleção natural frequentemente tem recebido golpes evidenciais que a contradigam inclusive onde tal aspecto de constante mudança não é tampouco uma constante a exemplo do celacanto [vide 'Ecce Libro'] dentre tantos outros animais e exemplos demonstrados na natureza. Características comuns de herança genética as populações que se reproduzem não se fazem regra mesmo mediante a aleatoriedade a exemplo de alguns tipos de borboletas cujo exemplo de camuflagem facilitou que o tipo mais similar à madeira favorecia a sobrevivência em relação a outras que por serem contrastadamente opostas se tornavam mais evidentes a predadores, similarmente da relação de resistência a antibióticos a gerações futuras de bactérias de modo similar ao efeito das vacinas perante os anticorpos do sistema imunológico. Demonstrando que os fenótipos favoráveis se adequam perante a seleção não como uma lei rígida, mas regra subseqüente ao habitat-condição mesmo que mutações genéticas sob outros aspectos tornam-se evidentes na modificação de seres a exemplo de uma tribo isolada na África cujos membros tem seis dedos nos pés, sendo aqui fruto da aleatoriedade por não ter qualquer funcionalidade prática. Sobretudo tais são ainda mais raro em mutações aleatórias que sejam vantajosas a espécie.

Trecho de ‘A Ciência do Bem e do mal’ de Gerson Avillez – 2012® Blog interessante sobre o tema: http://pos-darwinista.blogspot.com.br


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Gerson Avillez