esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

O Grupo Anonymous no Brasil

Mandento um contraditório senso onde o anônimo é popular, o grupo hacker entitulado Anonymous prova ser muito mais que um grupo de protesto, mas ativo em causas sociais e políticas. Aqui, numa breve entrevista conheceremos um de seus representantes aqui no Brasil.


Dando maior forma ao movimento coletivo dos Hackers pelo mundo, o grupo Anonymous rapidamente se tornou ironicamente famoso após intervir no caso de Julian Assange que expôs documentos diplomáticos secretos em seu Wikileaks. Atacando sites governamentais, desde então tornou-se ativo em protestos virtuais tirando do ar sites de produtoras fonográficas e de estúdios de cinema que apoiavam os projetos de lei norte-americano como o PIPA e SOPA. Conseguindo êxito, os louros da fã, porém, não tem rosto, e assim como no Brasil a comprovar ser um dos maiores redutos de hackers do mundo ao lado da China, Russia e EUA - vale-se lembrar que hacker é o invasor benéfico de sistemas ao contrário do cracker – “Paulo Brasil” cedeu esta entrevista representando o grupo, mesmo que não hajam líderes assumidamente entre eles. Responsável pelo twitter @Anonymous_Bra está ai a denunciar os abusos e monopólios e toda forma de ataque a liberdade de expressão. Marcado pelo simbolo característico, a mascara de V de Vedetta, parece refletir facilmente a cultura "nerd" onde a influência da ficção científica tanto quanto tecnológica são comuns. Casado e como pai de família, "Paulo" mantém uma casa e saí para passear com cachorro durante a noite, mas sem jamais esquecer sua outra faceta, é um "Anônimo" dentre tantos milhares, como ativista virtual que cooperam com denuncias e mesmo mapeando ameaças como saiu no jornal provando que com o perdão do trocadilho ser um “anônimo” não é ser um rostinho bonito.

Clipboard02.gif

1. Você prefere ser chamado de Paulo Brasil mas não o é, qual a filosofia do anonimato?

Não me chamo Paulo Brasil, sou o mesmo @Anonymous_Bra do Twitter. O nome não importa, o que importa mesmo, pra mim, é o que eu penso. Somos Anonymous. 2. Você acredita que a categoria dos Hackers são mais atentos não somente aos avanços tecnológicos mas mudanças políticas e culturais, seriam estes mais cultos?

Não é bem assim. Entre os Anonymous, a diversidade impera. Basta lembrar que, para ser um Anomymous, não necessita ser um hacker , mas estar comprometido com o interesse do povo e lutar contra o sistema em que a corrupção parece ter virado lugar comum. Nós não nos conformamos com isso e acho que você tambem não.

3. Você parece ter bom nível de instrução, você assim acredita que a classe dos hacker em maioria possuem nível superior.

Como disse anteriormente, a diversidade é grande . Os que tem menos idade parecem ter menos cultura, o que é natural, já que muitos não chegam a ter 15 anos de idade. Eu já estou perto dos 30.Acho que é isso.

4. Paulo, você acredita que Julian Assange sofre perseguição política e tentativas de desacredita-lo publicamente? Qual o papel de vocês neste caso?

Julian Assange virou um ícone para jovens engajados politicamente, depois da acusação de estupro e, posteriormente, sua prisão. A simpatia adquirida pelos Anonymous, o processo se deu semelhante. Assange tornou-se o símbolo pela liberdade de expressão política na internet, já que o Wikileaks estava divulgando milhares de documentos comprometedores da libidinosa diplomacia internacional. Assange, bem ou mal, desnudou a "pouca vergonha" dos donos do poder no mundo inteiro, seus interesses econômicos e etc... Os Anonymous apoiam Julian Assange, com toda certeza.

5. Existem novos "protestos" marcados?

Os protestos continuarão enquanto existirem pessoas insatisfeitas e motivos não nos falta . Não existe uma forma, um padrão para promovermos protestos . Nós não temos líderes e você, Gerson, pode ser um Anonymous a partir de agora.

6. Acredita que talvez a pirataria possa afetar o desenvolvimento da cultura e das artes multimídia?

É óbvio que a pirataria atrapalha financeiramente quem produz , de certa maneira, mas esse estrago é na comercialização e não no compartilhamento de arquivos na internet O sucesso da web 2.0 se resume a isso. Não podemos agora retroceder. Quantos artistas, de certa forma, fizeram sucesso e/ou pegaram carona nas divulgações de seus trabalhos pelos internautas nas redes sociais, YouTube , blogs e outros sítios considerados democráticos?

7. Qual sua opnião sobre projetos de lei americanas como a SOPA, esta por sua vez pode atingir a liberdade de expressão e mesmo toda internet?

S.O.P.A e P.I.P.A, na minha humilde opinião, são tentativas claras e reais de conter esse "mar de compartilhamentos" que a internet nos proporciona hoje e, equivocadamente, os norte-americanos, que mais produzem, sairão perdendo. É uma tremenda burrice e acho, com toda minha sinceridade , que "eles" irão rever esses conceitos.

8. Quais os limites entre pirataria e direitos autorais para um autor ou artista? Existe algum modo de conciliar ambos os lados?

O limite é exatamente esse que citei acima . Eu não posso divulgar, como sendo o meu trabalho, um texto, uma música e outras produções, que não seja a minha . Do contrário, fazer download não nos coloca como criminosos. Não tem como conter essas coisas na internet. Qualquer tentativa de conter isso , já nos soa como censura. A internet já nasceu livre e livre deve permanecer.

9. Você apoairia a vinda de Julian Assange como asilo político ao Brasil?

Eu apoio sim. Julian Assange é bem-vindo em qualquer lugar do planeta. Assange fez o que todos nós, cidadãos do mundo inteiro, gostaríamos de fazer e não tivemos a competência e a coragem.

10. Em Desefa do Brasil como o grupo atua e o que acreditam que deve mudar? Olha, o grupo atua de forma caótica e diversificada, eu diria, mas algo em comum esses jovens desejam. Liberdade, transparência política e transparência nas aplicações de nossos recursos que são arrecadados com os nossos impostos, impostos esses em demasia, por sinal.

11. A Ficção científica influência com livros como de William Gibson o movimento? Pode ser, mas as vertentes são muitas e não poderia confirmar isso. 12. Como você atuou no recente caso que foi noticiado no dia 28 de junho (acima, correio brasilense) onde você ajudou a polícia a prender dois homens? Eu identifiquei o Marcelo Valle há 2 anos. Meu perfil antigo, no Twitter, a @retuiteira_RT tem todos os detalhes.Tenho batido nessa tecla há anos. O Emerson foi no ano passado e a prisão só veio ocorrer no dia 24 de abril desse ano. Os dois foram presos juntos, em Curitiba, quando tramavam ataques a estudantes da UnB . Eles são um grupo de extrema-direita, racistas, pedófilos e misóginos. Olha esse pefil : https://twitter.com/FuegoSancto

Gerson Machado de Avillez – 2012®

Querem ver mais sobre o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Gerson Avillez