esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

A Cultura da Ecologia

Entrevistamos a escritora e designer de jóias paraense Circe do Socorro num papo que comprova que os problemas ecológicos podem ser mais que ecnonômicos, mas culturas, e que a saída é conhecer a natureza para amar essa enorme divercidade natural que tem nossas florestas.


Fazendo sucesso de modo inesperado, mesmo para a autora, o seu livro 'Amazônia Minha: O canto do Encanto' em que conta a história não só de nossas matas mas de nosso país antes mesmo da descoberta, fora agraciado com o prêmio de literatura infantil concedido pela Secult (Secretária de Cultura) e Seduc (Secretaria de Educação) do estado do Pará. Tendo esgotado na primeira edição, Circe do Socorro, sua autora, todavia procura uma outra editora para re-edita-lo. Ambicionando agora adaptar seu livro para o cinema, inicialmente na linguagem de curta, e posteriormente um longa de animação onde mesmo suas jóias feitas como designer parece ajudar a contar essa maravilhosa história, ela nesta breve entrevista fala dos desafios e é claro, ecologia.

Com a Rio+20 vc acredita que a comunidade internacional vai se debruçar sobre a causa ecológica gerando uma comoção mesmo cultural?

Bom, é muito importante essa iniciativa, mas acho eu que será preciso muito mais para alcançarmos bons resultados. Precisaria-se fazer muito um trabalho de base educacional, não somente com crianças mas também entre os adultos. Continuo dizendo que para se preservar tem que amar, e para amar tem que conhecer. Venho divulgando o primeiro nome do Brasil dado ao nosso país antes mesmo de Cabral (Século XIV) na língua tupi (Pindorama) e fiz uma pesquisa em algumas capitais brasileiras, constatei então que somente 32 (trinta e dois) brasileiros conheciam a tradução desse nome tão importante para o futuro da humanidade. Pergunto eu então: Como poderemos exigir que um povo preserve nossa bela e generosa floresta amazônica se a maioria de nosso povo não conhece nem o primeiro nome de nosso país dado por esta floresta?

Então a preservação é um fator muito cultural? Na minha opinião é isso mesmo, nossas crianças são bombardeadas com informações de diversos aspectos e lugares do mundo antes mesmo de conhecer afundo sua própria cultura. Um povo sem cultura não possui identidade. E sem identidade cultural como sermos lembrados e respeitados lá fora?

De igual modo você acredita que a devastação da natureza pode ser por fatores de educação/tradição?

Essa é um dos maiores fatores que influenciam o todo, esse descaso para com nossa floresta que deve sim ser não somente preservada mas também resguardada para que nossas crianças possam crescer aproveitando todo o potencial que esse magnífico bem pode lhes proporcionar, se for conservado de pé.

livro.jpg Ilustração de capa do livro de Circe do Socorro

Você acredita que as dificuldades em conseguir prosseguir com seu trabalho para o cinema, mesmo com o reconhecimento que tem, é em virtude de costumes e da cultura, ou da pura dificuldade de se fazer cinema no Brasil?

Não, acho que as dificuldades para fazer cinema no Brasil são muito grandes ainda, principalmente aqui no norte do país, os fatores culturais não me atrapalham, pelo menos não tanto. O problema é que aqui na Amazônia ainda estamos engatinhando em relação à produções cinematrograficas. São poquíssimos produtores e todos muitíssimo ocupados.

Como designer de jóias qual a importância de associar estas à ecologia, você acreditam em exploração e comércio das riquezas naturais de modo saudável? Sim, a cultura da Amazônia é riquíssima e temos uma variedade de materiais que podem ser trabalhados com muito sucesso de maneira sutentável, como por exemplo, usando em nossas peças materiais que podem ser reaproveitados como o chifre de búfalo, que ao ser abatido para gerar a carne que comemos fica sobrando e poluindo o ambiente. Também podemos usar em nossa peças as nossa fibras como já fazism os nossos indios, fibras como as de arumã. Aliás, muitas dessas fibras são retiradas de folhagens secas de nossas palmeiras na floresta. Palmeiras as quais deram o primeiro nome de nosso país na língua tupi guarani, antes de Cabral (Século XIV) como ja falei acima. E sobre questões polêmicas como a do esfeito estufa, você acredita que não passou de enganos, que os poluentes no ar não o provocam?

Sobre a questão do efeito estufa tenho como convicção de que esses poluentes podem sim trazer grandes problemas, não só na atmosfera de nosso grande planeta como também na saúde de todo ser vivo no planeta.

Mesmo com todas provas contrárias? Sim, se continuarem poluindo e destruindo nossas florestas, nossas crianças poderão nascer já com falta de ar em muito pouco tempo, afinal são fabricados carros e carros, e cada vêz menos temos árvores para limpar essa poluição. São nescessárias 9(nove) árvores para limpar a poluição de um único carro por dia. Pelo menos desde o estudo fundamental é isso que nos é repassado. As árvores respiram o gás carbônico da atmosfera.

Tem algo mais a dizer? Gostaria de concluir com o significado do primeiro nome do Brasil na língua tupi guarani traduzido para o português, o qual em cinco anos pesquisei em algumas de nossas capitais, e que somente trinta e dois brasileiros acertaram a tradução na língua portuguessa. Talvez pelo fato de que não falamos a língua original de nosso país, e isso tenha caído no esquecimento... O nome Pindorama significa 'Terra ou Região das Palmeiras', Pind que significa 'Palmeira' e Rama 'Terra'. Na minha humilde opinião acho que esse é o nome mais importante para a Humanidade hoje, e precisa muito ser mais divulgado em todos os seus importantíssimos aspectos e em todas as esferas da sociedade, inclusive no cinema e principalmente em nossas escolas. Foi dado ao nosso país em âmbito internacional, ainda no Século XIV, quando índios peruanos ao entraram nas terras da Amazônia brasileira e constataram a grande quantidade de palmeiras existentes na floresta.

Para conhecer melhor o trabalho de Circe do Socorro visite sue blog: circedosocorro.blogspot.com

Querem ver mais sobre o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Gerson Avillez