esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Especulando na Onda de Higgs

Com a confirmação da existência do Bóson de Higgs uma série de precendetes teoricos são abertos tanto por cientístas como filosofos, aqui a teoria do autor!


Segundo alguns cientístas, o Bóson de Higgs pode hipoteticamente se mover para trás e para frente no tempo, sendo sua "fração" de duração não menos relativa. Não obstante sua interação de massa em criação pode ter implicações no mesmo, perante a Relatividade de Einstein. Tanto o é que alguns cientístas especularam a dificuldade de sua detecção em vista que poderia se "materializar" no passado. Não obstante a transferência de massa para além presente pode significar que o passado não passou simplesmente. Isso pode quebrar a hipotese da seta do tempo ao provar definitivamente que o tempo não transcorre a uma só direção! O Tempo é um campo ondulatório, ondulatório como a matéria, pois o Tempo é o pré-espaço, e por isso investiga-lo por si só é a fronteira da própria ciência. O Tempo pode ser a resposta a energia escura e funtamentar mesmo a matéria escura. Por isso o que interessa é o campo de Higgs. As dimensões do espaço-tempo não são tão entrelaçadas, porém, o final do universo pode estar ligado a seu começo quando as dimensões de tempo do futuro (final do universo) e passado (começo do universo) se tocam por singularidades que acarretam no Big bang como um enorme Buraco Branco. Deste modo se supõe que o tempo pode ser dividido em várias dimensões próprias, e suas fronteiras podem ser determinados por aneis, os maiores (externos, futuros) e menores (internos) passados onde demonstram grande relações com a entropia proporcional e a expansão do próprio cosmos. Estas fronteiras podem ser representadas por eventos universais como o próprio Big Bang. Tais fronteiras podem estar nos extremos de nosso universo, não somente do espaço ou do tempo, mas nas singularidades e fenômenos como a do zero absoluto.

"O Universo fica (...) crescentemente mais desordenado com o passar do tempo; se ele existe desde sempre, por que não está em total desorganização?" George Musser - Scientific American

Desta maneira, assim como argumento há séculos Aristósteles que o tempo era por cíclos sucetivos, aqui o tempo tem um começo e fim, mas onde o tempo existe apenas dentro do seguinte ciclo paradoxal: antes do big bang é o futuro e após o futuro é o big bang.

"Quando o Tempo terminar ele retorna´ra para um novo Big Bang." George Musser - Scientific American

Coisas a se saber sobre esta teoria: Existem dois tipos de ciência marginal, as que não tem provas a favor e as que tem provas contra, esta última é a pseudociência e a primeira é a que muitas vezes acredito. É como o Filoversismo quye vê nos paradoxos e singularidades não apenas filosofia, mas ciência!

- No universo, tudo, quer moral ou elementar, sucede em negativos e positivos. - A relatividade comprova, nosso consciente não percebe as variações de Tempo, quer mais 'rápido' ou mais 'lento'. A não ser no encontro destes em contraste. - Um consciente que viaje no tempo só carrega memórias do momento como num sonho, porque a memória do corpo no seu tempo, quer futuro ou passado está no cérebro não na mente. - Poderíamos sentir num certo tipo de paradoxo do tempo, reflexos heinsenberguianos de escolhas ainda não tomadas no passado ou presente. - O tempo ondular é flutuante variavél a precisar de constantes. - Os Paradoxos temporais, se existem, vibram a criar ecos, ondulações e ressonancias, podem, por isso ser um moto-perpetuo como é o universo.

A ancora do Tempo e o robô do destino Imaginem poder explicar o que é destino? É isso que faz tal teoria. Vamos supor que o tempo seja como um mar e nós num barco tenhamos que alcançar um destino aqui como um ponto no futuro. Com todas as flutuações e ondas a precisão é muito pequena mesmo que possamos visualizar isto, porém, se existe algo que prenda nós diretamente a este ponto, algo como uma ancora, esse destino será inevitável. Seria como se tivessemos conexão direta como se estivesse preso, com algum evento futuro para que isso acontecesse. Entretanto isso coloca implicações morais como o livre-arbítrio nos fazendo meros robores desse destino;

Mundos paralelos Sabendo que o futuro está sempre mudando, especulemos que mesmo o presente, que antes fora o futuro assim o é, de igual modo são os mundos paralelos cada o qual na realidade oscilações reflexivas de nossas escolhas de modo que para existir é essencial nosso consciente, ou seja, esses "mundos paralelos" só existem graças ao nosso consciente. Fantasmas De modo similar estão reflexões de nosso consciente a explicar o fenômeno dos fantasmas, algo como residuais temporais refletidas.

Gerson Machado de Avillez – 2012®

Querem ver mais sobre o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Gerson Avillez