esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

Trecho de 'O Primeiro livro Seth'

Um apócrifo desconhecido ao grande público relata momentos até então desconhecidos não somente da criação, mas da linha de Sete, filho de Adão após saírem do Éden. Trazendo argumentos de física e aparente viagens temporais parece explicar de onde vieram as esposas dos filhos de Adão. Um achado sensacional!


Um livro sobre os Seth não presente no Cânnon bíblico fala sobre a morte de Abel por Caim, vendo Deus que havia nuances na linhagem do homem assim como no tempo, Deus criou Seth para que prevalecesse independente das variações ao longo dos tempos, a linhagem desconhecida de perseguidos, os setianos que foram conhecidos por serem justos. Eles habitaram Havila, no Éden, mas foram atacados pelos cainistas o qual se refere toda desigualdade, injustiça, violência e mentira. Mesmo antes de Enoque fora contatado e conhecimentos do futuro de seu descendente Noé até suas ramificações atuais lhe foram passados sob a forma de profecia e escrito por seu filho Enos que resgatou as partes de um megalítico com seus conhecimentos criando os pilares de Seth, não se sabe o que aconteceu com tais conhecimentos. Sete um dos fundadores da primeira religião tendo por sacerdote o pai Adão. Sua linhagem era conhecida sobretudo pela inventividade criativa e sua originalidade e uma de suas ramificações principais foram os judeus de modo que o passado se cruzava com o futuro de algum modo. Porque conforme diz o apostolo Paulo "vemos por espelho e por enigma", neste caso como o passado vê o futuro por profecia e o futuro vê o passado. Tal Livro não se sabe se em detalhes é a verdade, todavia representa o que crê o autor como sendo verdade como a descrita em seus livros como de ficção, sendo porém, algo que parece se confirmar a cada dia.

I SETH 1. O universo era uniforme em seu Tempo, e não havia destino, pois o fim era invariavelmente o mesmo até que Deus criou Adão pois criou com ele o livre-arbítrio, e o livre-arbítrio o levou ao pecado original que dentre tanto mais se multiplicaram indefinidamente como variações do mesmo, e assim o Tempo em sua eternidade de transtornou. 2. Porquanto tendo provado do fruto a eles proibido agora não somente o livre-arbítrio trouxe o caos, mas o pecado, e Adão se afastou de Deus assim como do paraíso a quem se chamava Éden. 3. E no entanto o conhecimento do fruto trouxe o que era bom tanto quanto mal, e assim a dor, mas também pelo livre-arbítrio a criatividade. 4. E Adão concebeu a Abel e em seguida a Caim, que no entanto pelo mesmo livre-arbítrio escolheu o que era mal e matou seu irmão como o homicida original o qual todos os demais se inspiram, e Deus em sua onipotência se decepcionou novamente, porquanto desviou seus planos no Tempo para com Abel. 5. Fora um anjo caído, que no entanto, atentou a Caim a matar Abel para transtornar o Tempo. E Caim adorou o deus que antes de Sete era o guardião do Tempo, mas que caído passou a ser conhecido posteriormente pelos gregos e romanos como Chronos. 6. E vendo Deus que pelo homicídio se instaurou o caos ante seu propósito, Deus concebeu o destino, Destino que sobre tudo que é contra o propósito divino prevalece e com ele o Sete o qual se refere como designado. E Deus viu que era bom, e se agradou disto. 7. E Sete era semelhante a em parecer com Adão e por isso semelhante a Deus. E sendo Sete reto e de puro sentimentos compreendeu o caminho para se aproximar de Deus novamente e assim junto a seu pai criou a religião. E Adão era o sacerdote e sua mulher a auxiliadora, e Sete concebeu a Enos. 8. E habitavam eles naquele tempo a região de Havila, nas mediações do Éden e Deus se agradava deles por quanto suas obras eram boas e nelas não haviam mentira alguma. E essas obras seguiam sobre o caos mesmo ao longínquo Tempo ante Sua onisciência, pois representava o destino sobre todas variações. 9. Sete vendo que agradara a Deus recebeu conhecimento dEle e de homens do futuro o qual testificavam dos frutos de sua obra em eternidade pelo destino, e estes descobriram-se setianos num tempo de perseguição e espada onde igualmente representava o que era constante ante o caos como o destino em seu mundo. E todos se maravilharam de seus feitos. 10. E fora uma não contemporânea daqueles povos que Seth tomou por esposa, e teve Enos por filho. E destes conhecimentos Sete passou para Enos, seu filho o qual escreveu sua genealogia até Noé, num tempo em que os herdeiros de Caim se cruzaram com os Filhos de Deus e se tornaram por demais poderosos e maus. 11. Muitos eram os filhos de Adão, porém, todos eram fieis a Sete. Por isso Adão abençoou a linha de Sete sobre todos os seus filhos. 12. E falou Enos das maravilhas futuras onde os setianos tocaram o céu e lá plantaram sua semente e como destino transfiguraram o Tempo mesmo fora dele, mas através dele. Por quanto eram testemunhas de Sete-estrelo, assim como sete-estrelo deles. E por Enos adveio os primeiros profetas que pelo divino falavam do triunfo no futuro e suas numerosas sementes. Porque o futuro passou a tocar o passado em eternidade. 13. Porém, sabendo disto Caim que amou mais a violência que a verdade disse: tomemos para nós tal obra para que consigamos o louvor de Deus e assim chegarmos a seu poder. E assim seguiram seus filhos ao patriarca de sua tribo o qual se refere toda mentira, injustiça e desigualdade, porquanto não procuraram a Deus pela amizade, mas pela inimizade, mentira e violência. E Deus se entristeceu disto. 14. E armavam laços secretamente contra os setianistas para que Deus não os visse em seus segredos, e tomaram eles forçosamente mulheres setianas para que lhes concebesse filhos, mas estes eram os bastardos originais porquanto eram filhos do pecado, não o tendo por mera herança. E esses filhos eram mais subvertidos que os anteriores. 15. Todavia os cainitas eram abundantes como a erva do campo a sufocar o que era puro, e enriqueciam pelo mundo a fundar a civilização primeira enquanto os setianos viviam de colher o que plantavam sendo a civilização última.

Querem ver mais sobre o universo de Gerson Avillez? Curtam a página do Filoversismo no Facebook: www.facebook.com/Filoversismo

pergaminho.jpg

Capítulo 2 1. Os cainitas fizeram grandes feitos por seu número e contatavam aqueles que caiaram para terem conhecimento, e estes faziam os demais caírem. 2. Porém, Sete andou com Enoque, que justo, ao contrário de Caim, andou com Deus e Deus o tomou para si para que conhecesse as maravilhas através dos Tempos do Destino como testemunha da humanidade. 3. Porém, naquele tempo um grande cerco contra Havila se formou e os setianos eram menos numerosos que os cainistas e eles desvaneceram de medo perante isto. E os cainistas destruíram o monumento do Destino. 4. Todavia Deus vendo-os temerosos disse a Sete cujos anos eram avançados: Não temas mas antes siga minhas instruções, pegue de duas pedras do megalítico e faça delas pilares com vosso conhecimento,para que permaneça registrado através dos tempos. E assim fez Enos a mando de seu pai Sete. 5. Todavia o cerco se firmava mesmo que os herdeiros de Sete permanecessem firmes na resistência, e muitos foram feridos e espada e morreram em campo onde o sangue destruiu a rara flor plantada por seus descendentes. E assim Sete deixaram Havila para habitarem no mundo como peregrinos e peregrinos foram por muito tempo e depois por mais tempo ainda. 6. E os cainitas destruiram Havila com sangue e passaram a venerar o lugar, assim como outros deus como Chronos, não o Espírito que nele autrora havia, pois a muito abandonara. 7. Sendo então que jazeu Sete angustiado, e Enos carregou consigo o conhecimento que seu pai lhe reservara para que não caísse nas mãos dos Cainitas e o segredo do Tempo fosse revelando antes do tempo. E Enos reservou um lugar para que ninguém o encontrasse. E os setianos lá guardaram com suas lágrimas. 8. E aqueles eram tempos muito angustiosos para a linha de Seth até que os filhos dos filhos se estabelecessem, muitas vezes sem saber do que eram guardiões mesmo que mantivessem suas tradições. 9. Assim com o tempo Havila tanto quando o Éden se tornou uma vaga lembrança como mito a ser apenas contada geração após geração, porquanto não faziam registros e ninguém mais sabia onde Enos depositara os pilares. Tendo por única testemunha Adão e seus poucos restantes. 10. Não mais se via Deus, mesmo que os setianos o sentiam, e com as gerações após Adão, muitos se perguntavam se Ele existia porque não aparecia a eles. E se perguntavam: Qual a idade do Eterno, ele é muito velho? 11. E havia um povo semelhante aos homens, mas não eram, viviam como animais imundos e indomáveis junto as bestas-feras daquele tempo e não possuíam lei. Mas alguns se miscegenaram com homens gerando um povo arcaico. E os homens se embruteceram ainda mais. E eles tomam os frutos dos setianos, assim como premiavam o errado e castigam o certo. 12. Porém, a linha de Seth seguiu até Noé como descrito nos pilares e mesmo sem saberem mais sua linha seguiam como sementes duradouras de retidão e justiça, e o Destino se cumpria ante o Tempo a seu tempo. E então Adão faleceu.


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Gerson Avillez