esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo

As Mil faces do Tempo

Numa concepção alternativa do tempo a contemplá-lo de modo estendido a Relatividade Geral de Einstein, o artigo faz deduções de um tempo não somente existente, como o que forja o universo conhecido, e desconhecido ao método de mensuração física, ainda que cruzando-se com a filosofia numa quase neometafísica que resulta a síntese do Filoversismo de Gerson Avillez cujas portas são as singularidades.


Não somente na versão condensada de 'Chronogenises' (o antigo 'O Livro do Tempo'), discutia sobre as inúmeras possibilidades de um tempo multidrecional, mas tal discussão se estende desde dos livros de ficção científica do mesmo, onde se escora nessa teoria desenvolvida por mim. Nossa dimensão pode ser plana, mas junto a outras dimensões não, e quando ela se torna maleável – como previsto pela relatividade - isso pode comprovar como tendo uma profundidade maior que a das quatro dimensões conhecidas. Do mesmo modo que observamos o mundo de um horizonte terreno vemos uma reta, redonda ele é do espaço, assim é o universo graças ao graças a uma curvatura que diante de nosso tempo somos capazes de ver apenas o presente como equivalente a tal horizonte. E por isso sempre será impossível se criar um modelo matemático capaz de prever com precisão nuances e padrões no caos com 100% de eficácia, porque as flutuações excedem a dimensão conhecida (quer paralelamente ou à frente ou atrás) como prova de ressonâncias temporais, limitando-se assim apenas a modelos probabilísticos como os existentes. Mesmo os destinos ante seu objetivo geram variáveis ainda que o objetivo seja comum (ainda que menores de acordo com a distância), deste modo à única maneira de mensurar tal oscilação ressonante seria conseguir sondar as dimensões ressonantes como parte de uma equação mosaico com mais de quatro dimensões e o mais que havia se chegado disso é na mecânica quântica.

178942_330250353770472_1496413622_n.jpg

Coloquemos a seguinte figura similar a teoria das supercordas que se aproxima do acerto - apesar de tal teoria ser demasiada complexa para o Ockhanismo - que é a corda. Quando está amarrada num ponto transcrito temporalmente para o passado e assim até outro ponto, este no futuro, nos amarramos os eventos que mesmo de acordo com a geometria euclidiana faz uma reta (o menor objeto geométrico que é o ponto a outro). Todavia quando esticada esta vibra gerando ressonâncias-reflexos que são as dimensões extras que apesar de irem ao mesmo ponto sofrem ínfimas variações entre si servido de uma explicação ao que se diz destino conforme no livro 'Adormecidos: O Despertar de Hipnos'. Ou seja, assim como lançar uma pedra na água esta cria distorções ondulares - normalmente um círculo variável - assim é nosso universo mediante o tempo ante o livre-arbítrio e o caos que é consequente e auto-alimentado deste modo. Que naturalmente assim como tais ondas estão se expandido que comprova-se de acordo com a entropia no universo. Assim uma maneira de se determinar onde começa a curvatura do ‘universo’ seria se estipular até onde se estende a sensação de ‘presente’, o que não é muito longe, pois a mera observância do universo nos faz sair dessa linha ao contemplar o passado cristalizado em forma de imagem, o que nos faz concluir que vivemos apenas numa pequena parte de todo universo visível, e falo temporalmente. Naturalmente que tal teoria não é praticável podendo apenas auxiliar na complementação de outros fenômenos e eventos comuns à astronomia e física, não obstante, é bastante plausível mediante tais provas esse é o corpo de conhecimento do Filoversismo. A teoria não é complexa, a dificuldade em compreensão desta é graças ao fato de nosso pensamento comum ser linear e tridimensional devido a nossa percepção comum, a proposta aqui é enxergar fora desse eixo comum a uma visão que somente é possível, por isso, por um sentido perdido. Em breve postarei um vídeo sobre o assunto.

Fontes: 'Sombras dos Tempos' e 'Chronogenises' de Gerson M.Avillez

Curta a página no facebook: www.facebook.com/Filoversimo Siga-me no Twitter: www.twitter.com/GersonAvillez


Gerson Avillez

Fotógrafo e homem da prática de letras nas horas vagas, teólogo e pedagogo por formação, filósofo autodidata e por vocação. Descendente direto do Tenente-General Jorge Avillez, portador da Síndrome de Aspeger, trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, tendo fotos publicadas em jornais do Rio de Janeiro. Posteriormente trabalhou na Rede Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI especialmente na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro número 1017 do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), tendo escrito artigos para a Revista Somnium, teve contos selecionados e publicados na Revista Litera, Primeiro Capítulo e é autor de destaque da Obvious Mag. Finalista de diversos concursos literários, tem 21 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções) e 'Síndrome Celestial' (2013 - Editora Multifoco).Convido-os a curtir minha página no facebook: www.facebook.com/Filoversismo.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// //Gerson Avillez