esquina do Óbvio

Porque a genialidade está à esquina do óbvio

William Fontana

Pseudônimo literário do novelista, contista e ensaista Gerson Machado de Avillez, fotógrafo, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da autismo com dupla excepcionalidade (superdotado), trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas e em diversos sites. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), Academia Internacional de Literatura Brasileira número 408, UBE (União Brasileira de Escritores), Academia Independente de Letras (Ordem Scriptorium) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais de 50 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Site CLFC, Conexão Literatura, Revista Literomancia, Creepypasta Brasil e nas antologias Arte do Terror: História e Apocalipse, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag e Louge. Autor de teorias filosóficas sobre o tempo e o Ethos, finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018), 'Império de Tendor' (2019) e 'Assassino do 7' (2020) selecionados como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 35 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções), 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco) e 'O Império do Tempo' (2021).

Paradoxos da Vidência

Compreendemos pela ficção científica haver vários tipos de viagem no tempo, inclusive viagens mentais, de consciência, onde o qual informações precisas vem ao conhecimento do viajante que é conhecido, nestes casos, como vidência ou precognição. Sendo assim um vidente prevê o que evita ou induz o que vai acontecer?


Dois videntes com iguais poderes se encontram e cada um prevê o que o outro vai falar, o que eles falam? Dois videntes com iguais poderes jogam xadrez um com outro, qual ganha?

278038_Papel-de-Parede-Lindo-Tabuleiro-de-Xadrez_1920x1080.jpg

As proposições ainda que sejam inválidas pela ciência convencional a exemplo princípio de auto-consistência de Novikov servem para "provar" filosoficamente que a viagem temporal é intrinsecamente uma viagem transdimensional, ou seja, para mundos paralelos a partir do conceito de variáveis de paradoxos que são curtos na lógica envolvendo seres oniscientes em similaridade com o demônio de laplace. O "curto" lógico acontece pois os "precognitores" ao se encontrarem são como espelhos um diante do outro a dar um eco infinito de previsões variáveis por refletirem-se mutuamente ao infinito.

Espelho_Mágico.png

Assim se cada um preferir falar o que o outro prevê, iriam ficar calados. Similarmente ao jogo de xadrez onde ambos literalmente poderiam sofrer de narcose temporal ao ter precognições. Mas a evidência, que será nestes casos sempre subjetiva dependendo da percepção individual deles um verdadeiro vidente assim pode prever normalmente o que somente irá acontecer em dimensões paralelas uma vez que impedir a concretização de suas previsões implicará em ser taxado de que seus poderes não existem assim como seu oposto ao induzir os acontecimentos da evidência o levará a ter um poder inútil. Qual se prefere?


William Fontana

Pseudônimo literário do novelista, contista e ensaista Gerson Machado de Avillez, fotógrafo, teólogo, filósofo e pedagogo por formação. Portador da autismo com dupla excepcionalidade (superdotado), trabalhou em eventos culturais nas Lonas Culturais no Rio (2002) onde produziu e fotografou, com fotos publicadas em jornais cariocas e em diversos sites. Posteriormente trabalhou na Globo como fiscal de figuração pela agência MMCDI na novela Avenida Brasil (2012). Membro votante do Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Rio de Janeiro, membro do CLFC (Clube de Leitores de Ficção Científica), Academia Internacional de Literatura Brasileira número 408, UBE (União Brasileira de Escritores), Academia Independente de Letras (Ordem Scriptorium) e da Sal (Sociedade de Artes de São Gonçalo), escreveu artigos para a Revista Somnium, teve mais de 50 contos selecionados e publicados na Revista Litera, site Maldohorror, Primeiro Capítulo, Site CLFC, Conexão Literatura, Revista Literomancia, Creepypasta Brasil e nas antologias Arte do Terror: História e Apocalipse, Mirage, Nemephile, assim como autor da semana com artigos de destaque na Obvious Mag e Louge. Autor de teorias filosóficas sobre o tempo e o Ethos, finalista de diversos concursos literários, tendo os contos 'O Poço' (2017) e ‘Inominável do Além’ (2018), 'Império de Tendor' (2019) e 'Assassino do 7' (2020) selecionados como um dos melhores de seus respectivos anos pela revisa Litera Livre. Tem 35 livros escritos e dois publicados, 'Adormecidos' (2011 - Ryoki Produções), 'Síndrome Celestial' (2013 - Ed. Multifoco) e 'O Império do Tempo' (2021)..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @obvious //William Fontana