Natany Pinheiro

Não há pessoa nesse mundo que me entenda. E eu, pra contrariar, entendo tanto de todos, que prefiro me distanciar. Escrevo para organizar meus anseios, minhas angústias. Escrevo para trair minha própria afirmação, na esperança de um dia ser entendida.

A coisa tá feia, Chico!

Ele canta, encanta e nos deixa aqui, esperando pelos amores de suas belas canções. Para aquelas que, como eu, amam as músicas de Chico Buarque e sonham com as histórias cantadas por ele, eu grito em clemência: A coisa tá feia, Chico!

Chico Buarque

Agora era fatal que o faz de conta terminasse assim. Disse Chico e digo eu. Das mulheres cantadas, muitas dançaram, outras esperam sentadas a volta do amor descrito nas canções de Buarque.

O que faz essas mulheres depois de matar um leão por dia no trabalho para provar que têm tanta competência quanto os bigodes ao lado? O que fazem elas após dançarem a noite toda em volta de um monte de homem querendo comê-las na boate? Qual será o destino destas depois de gritarem para o mundo que não são o sexo frágil e que não precisam de homens para nada?

Escutam Chico, ou pelo menos é o que deveriam fazer. Afinal, não há nada mais reconfortante nesse mundo de meias palavras, meios homens, meios sentimentos e relacionamentos de 2 semanas, do que deitar na cama, cobrir o rosto e ouvir as músicas de Chico Buarque.

Na verdade, existe sim algo mais reconfortante do que as músicas de Chico. Seria os conselhos do mesmo, o único homem que conseguiu entrar na mente feminina e verbalizar todos os anseios e angústias de uma espécie que quer tudo, inclusive amor.

Olhando em seus lindos olhos inebriantes, eu diria: Meu caro amigo, Chico, que tal ministrar umas aulinhas para esses camaradas com quem esbarramos nas ruas desse Brasilzão? Umas aulinhas de educação, compreensão, lealdade e vergonha na cara. Pode ser no nível básico, já ajuda.

Ele, num misto de razão e emoção, com certeza analisaria a situação e não acharia solução para os nossos problemas.

A coisa tá feia, Chico! Para conseguir um suspiro de amor, tem muita gente se deixando tratar como brinquedo, mirando-se nas mulheres de Atenas e tatuando nomes vagos de sentidos.

A coisa tá triste, Chico! Tanto me apeguei aos seus amores, às suas músicas e a esse texto, me diga agora como hei de partir? Por que eles partem, suas músicas acabam, mas eu continuo aqui, perdendo a noção das horas.


Natany Pinheiro

Não há pessoa nesse mundo que me entenda. E eu, pra contrariar, entendo tanto de todos, que prefiro me distanciar. Escrevo para organizar meus anseios, minhas angústias. Escrevo para trair minha própria afirmação, na esperança de um dia ser entendida. .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/musica// //Natany Pinheiro
Site Meter