faíscas

Do simples ao complexo, do real ao abstrato e umas faíscas de ideias.

Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'

Asilo Arkham e o vilões do Cavaleiro das Trevas

O fato de existir simplesmente um manicômio para alocar criminosos e bandidos da cidade Gotham é de tornar o universo de Batman um tanto, diferente. O Espantalho, Duas-Caras, Mulher-Gato, Pinguim e o clássico Coringa são alguns desses personagens que o Morcegão confronta e ao mesmo tempo tenta entendê-los. Coincidência ou não todos tem um termo em comum, "insano", que faz deles mais podemos dizer especiais e com isso nos leva a indagar se o Cavaleiro também além de um herói, vingador e humano é, ou não, tão louco quanto eles.


Batman_Villains_04.jpgBruce Wayne (Batman) é no mínimo interessante, pois ele apresenta vários traços emocionais e psicológicos. No contexto social ele é um playboy e bilionário que toma conta de um reino deixado pelos pais após a trágica morte de ambos. E é nesse ponto que nasce a primeira faísca do que vem se tornar o Cavaleiro das Trevas. Se acompanharmos a trajetória de Bruce, percebemos facilmente que ele antes de tal acontecimento era um e que depois renasce como quase um outro ser humano, questionador e sempre buscando os por quês da vida, além de confrontar-se sempre em respostas até sem solução.

Um personagem rico e complexo, em que nele podemos encontrar um anti-herói, vingador, soturno e acima de tudo, humano. Com questões sempre envolvendo os crimes de Gotham City, o justiceiro procura dar a cidade um raio de esperança mediante ao caos criado pelos criminosos, máfias e vilões que aparecem para estabelecer a desordem. Vilões esses que de uma forma ou de outra revela um traço do Cavaleiro das Trevas.

O destino final (ou não) desses personagens peculiares é um lugar chamado Asilo Arkhan, trata-se de um manicômio localizado em Gotham City onde se concentram todos os vilões insanos de Batman. Lá estão o Coringa, Duas-Caras, O Espantalho, Chapeleiro Louco, Charada, Arlequina, Ventríloco/Scarface, entre outros. E que sim, todos têm uma relação com o justiceiro da noite, seja numa mente doentia, num sintoma financeiro, um caos ordenado, a busca pra saber quem é ele de verdade, os vilões do Batman refletem muito mais do que simplesmente uma luta do bem contra o mal.

Queria muito falar de todos, mas como são muitos vilões e é fato que não tenho como listar cada um deles e suas histórias, então vou escrever sobre alguns bem interessantes e acho que foram/são responsáveis por bagunçar a cabeça do vigilante da noite. São eles:

scaretwo.jpg

Duas-Caras, o bem e o mal explicitamente dentro de uma pessoa, a amostra literal da loucura dentro de alguém, em que em um tempo ele é uma pessoa do bem e de uma hora para outra se torna o oposto, tudo isso com o auxílio de uma moeda que de fato decide a sorte do rumo das coisas. A dualidade humana eficaz e ao mesmo tempo sinistra.

O Espantalho, o que pensar de um vilão que domina a mente das pessoas através do medo? "Não há nada a temer, só o próprio medo!", no filme Batman Begins conhecemos um Espantalho começando a engatinhar na sua arte de destruir as mentes das pessoas. Fazendo assim um vilão sensato na sua loucura para conseguir o que quer.

jokerriddler.jpg

O Charada, um narcisista e que sempre deixa pista sobre seus crimes, exauta a grandeza e poder de seus atos, fazendo assim que o Cavaleiro das Trevas busque sempre estar um passo a sua frente a fim de evitar que qualquer outro crime aconteça. Imagina a ideia de que tudo está na sua frente e você simplesmente não vê, eis a lógica de uma charada. PS: O Charada interpretado por Jim Carrey na minha opinião foi muito bem feito.

O Coringa, um vilão épico. Como você imaginaria se sua vida fosse simplesmente uma piada? A história do Coringa é contada na HQ A Piada Mortal, em que mostra um homem comum se tornar a incógnita em forma humana. Um arquiteto do caos e sem planos. Para ele, a ideia de uma alma inocente poder ser perdida é a ideia de que não existe alma inocente, daí a lógica da piada. Sabe o símbolo do Yig-yang, é o Batman e o Coringa. É uma luta além de física e/ou sem fim, é uma luta filosófica.

Alguns filmes do Batman foram infelizes, mas essa última franquia do Christopher Nolan fez o Morcegão ir a outro nível. Com personagens bem trabalhos, uma trama rica, até complexa, e de tirar o fôlego. Nada se compara ao que vemos nos quadrinhos, mas ver as páginas virando quase realidade no cinema é sim um êxtase visual. E por falar em filme, o que nos resta é aguardar a conclusão épica de Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge, com os vilões Mulher-Gato, Bane, a Talia al Ghul (filha do Ra's Al Ghul) e quem sabe aparecer o Asilo Arkham mais uma vez. Mais uma aventura em que podemos mergulhar nas trevas dos devaneios de um dos únicos heróis que é humano, que passa por problemas assim como eu ou você, e nos leva a questionar se nós também somos... Insanos?!


Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //Jonas Sakamoto