faíscas

Do simples ao complexo, do real ao abstrato e umas faíscas de ideias.

Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'

Watchmen: Quando os super-heróis são humanos

Clássica graphic novel criada por Alan Moore, Watchmen é uma história em quadrinhos que apresenta um forte enredo aliado ao um contexto, diálogo e personagens peculiares que poderiam ser muito bem qualquer pessoa, como você que está aí lendo este texto na tela do seu computador. Encarar Watchmen como mais uma simples HQ é um erro, no mínimo, brutal. Muitas características presentes nela têm muito mais a ver com o mundo real do que só mais uma história de personagens fantasiados.


watchmen.jpgImagem: papeldeparede.etc.br

Watchmen foi publicada em 12 edições entre os anos de 1986 e 1987, e para muitos o romance representou um marco para a literatura do tipo que até então era encarada pelos adultos como infanto-juvenil. Ganhou alguns prêmios e com isso chamou atenção por mostrar personagens reais que enfrentam problemas físicos e psicológicos, como o peso da idade, questões existenciais ou simplesmente broxar na hora do sexo.

Na história é possível ver uma estrutura antiga formulada por Joseph Campbell, presente no livro O Herói de Mil Faces, em que é possível ver a Jornada do Herói. São características que mostram os heróis saindo do seu ambiente, encarando desafios, conhecendo novos lugares, antagonistas e uma série de outros elementos. O interessante de mostrar isso no ambiente de Watchmen é que isso é trabalhado tanto em cada um dos super-heróis nas suas nuances, quanto neles como um grupo. Por se tratar de heróis não muito convencionais e até diferentes, é como se cada um fugisse desse rótulo deste aspecto de herói, seja seguindo seus ideais, com seu senso de justiça ou até mesmo tentando lidar com o mundo a sua volta de maneira cômica.

Ambientada no contexto da Guerra Fria, a história mostra os heróis vivendo em um país (EUA) que acompanha o relógio do Juízo Final por estar quase em uma guerra nuclear contra a União Soviética. Seus personagens possuem características e personalidades bem distintas e no decorrer da história mostra que eles são muito mais do que super-heróis. A nomenclatura super-herói é proibida de se usar desde que na história surge uma lei chamada Lei Keene, em que obriga eles (os super-heróis) a se registrarem no governo. A maioria se aposentou, uns revelaram quem são, uns continuaram a agir na "marginalidade" e somente dois se registraram. A Lei é fundamentada no argumento de "Quem vigia os Vigilantes?", no sentido de quem são eles para serem super-heróis e por que eles têm direitos de nos proteger? O que cá entre nós, levanta um debate que com certeza renderia uma boa conversa de bar.

watchmen-motion-comic-dvd-box-big.jpgTentei achar uma imagem que ilustrasse todos o personagens na HQ, só consegui achar essa. / Imagem: videogamesblogger.com

Mas voltando, o "time" de Watchmen é formado pelo Comediante, Dr. Manhattan, Coruja, Ozymandias, Rorschach e Espectral, e todos com exceção do Dr. Manhattan não possuem poderes. Com a Lei Keene, os Watchmen se separaram e passaram a levar sua vida comum como pessoas normais. Apenas tentaram, no decorrer da história você percebe um amadurecimento e trama bem trabalhada que mostra um desenrolar com temáticas sócio-políticas, o embate ético, questões sobre o que é certo e errado e um desfecho espetacular. Tudo isso mostrado sob um viés de ficção científica, história recente e aspectos do nosso dia a dia.

A graphic novel apresenta um universo bem detalhado que de primeira aparenta aspectos desconexos, e por isso possui elementos que pedem uma releitura da obra. Mas algo que chama realmente atenção são seus personagens, eles são pessoas que como nós sofrem com perguntas e respostas da arte chamada vida e sua experiência nela. Para entender sobre eles vale aprofundar um pouco nas suas bios:

Rorschach (Walter Kovacs)

watchmen (5).jpgImagem: Fan Page Oficial

Pode ser apresentado como um anti-herói clássico. Seu comportamento, forma de pensar e por ser o único vigilante ativo após a Lei Keene, Rorschach é um super-herói versátil, extremamente inteligente e com um senso de justiça enorme. Suas habilidades de investigação e luta são notáveis em vários momentos quando confrontado por policiais ou gangues. No decorrer de suas investigações Rorschach levanta questões éticas e morais dignas do que se vê no mundo, que podem ser muito bem resumida em: "O mundo olhará para cima e gritará: Salve-nos, e eu murmurarei: Não!", ou então a fala de abertura do filme que representa muito bem o traço psicológico do super-herói em questão. Sua máscara exibe uma mancha de tinta que está em constante movimento que se baseia nos desenhos ambíguos do Teste de Roschach.

Dr. Manhattan (Jonathan Osterman)

watchmen (3).jpgImagem: Fan Page Oficial

Um físico nuclear que sofrera um acidente e com isso ganhou poderes que fez com que virasse átomos, que depois conseguiu se reunir tornando-o um homem-deus. Dr. Manhattan antes de tal evento era um homem comum que possuía sentimentos, mas com o acidente ele teve a capacidade de viajar através do universo, visualizar o seu passado e futuro ao mesmo tempo e com no decorrer passou a enxergar tudo por meio de átomos do que como o homem que era antes, fazendo assim levantar questões sobre a vida e existência dela do universo como um todo.

O Comediante (Edward Blake)

watchmen (2).jpgImagem: Fan Page Oficial

O super-herói que conhece o horror da natureza humana e prefere refurgia-se no humor. Para o personagem, a ironia é, em vários momentos, um reflexo amargo da percepção desse horror. O Comediante apresenta e levanta questões de que a vida é uma piada e a gente tem que sorrir dela, porque nós não somos aquilo que imaginamos ser, apenas um lapso disto, em que a nossa real natureza tem traços de egocentrismo, horror e tudo que não presta. Suas características e forma de pensar retratam de maneira fiél o cenário vivido em Watchmen, em que a sociedade vive em um mundo com medo de uma Guerra Nuclear e o homem cada vez mais mostra uma essência que tende ao mal, que para lidar com isso, nada melhor do que uma piada.

Coruja II (Dan Dreiberg)

watchmen (4).jpgImagem: Fan Page Oficial

Um intelectual rico, solitário e retraído. É um expert em tecnologia avançada e possui vários equipamentos especiais que usa contra o crime. Antes dele existia o Coruja II (Hollis Mason) Policial que se tornou um vigilante inspirado nas HQs e na literatura pulp.

Ozymandias (Adrian Veidt)

watchmen (6).jpgImagem: Fan Page Oficial

Um visionário brilhante e conhecido como o homem mais inteligente do mundo. Ozymandias é um dos únicos super-heróis a se revelar para o mundo e se aposentou antes da Lei Keene, suas ideias e planos deixaram empresários de vários setores em um estado de incômodo, pois seus planos eram totalmente o oposto desses empresários, para ele se o mundo continuasse do jeito que estava, teria um caminho sem volta para o extermínio. Ozymandias é peça chave da trama desenvolvida em Watchmen, o que o torna um exímio arquiteto do caos e solução de problemas.

Espectral II (Laurie Juspeczyk)

watchmen (1).jpgImagem: Fan Page Oficial

Uma mulher forçada a viver sobre a sombra de sua mãe, a primeira vigilante mulher a obter lucro em cima do crime. Ela é ex-mulher do Dr. Manhattan e mantém com ele uma certa cumplicidade, é peça fundamental também na trama vivida na graphic novel.

Mas por que do título do artigo? Pelo fato de nos debruçar diante de todos esses desdobramentos que refinam esta história em quadrinhos, Watchmen tem um toque especial por ser um história que apesar de ser uma ficção, mostra uma história de super-heróis como pessoas e sentimentos verdadeiros e nobres. Os diálogos, dilemas, discursos e tudo, tornam um épico já feito no ramo das histórias em quadrinhos, feito esse que resultou em um filme, que soube reproduzir de maneira ideial o que é passado na história. Todos estes elementos juntamente com uma trilha sonora que quase nos levam para dentro da história. E se você não conhece, a HQ ou o filme, procure e mergulhe em uma história que vai fazer você ficar em ecstasy do início ao término deste belíssima obra.

PS: Vale muito a pena conferir os créditos de abertura do filme. Tudo se encaixa de maneira perfeita:


Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'.
Saiba como escrever na obvious.
version 3/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //Jonas Sakamoto