faíscas

Do simples ao complexo, do real ao abstrato e umas faíscas de ideias.

Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'

É pra frente que se anda, né

Volta e meia algumas coisas insistem em renascer e relembrar algo que você guardou bem lá no fundo, naquele beco do coração. Mas é, também, importante encarar isso para dar lugar a algo mais sensato lá na frente. Pois seja em um amor, experiência ou trauma, é pra frente que se anda, quando observamos com mais calma o horizonte a nossa frente.


Forrest_Gump_running_alabama_jenny.jpegForrest fez mais que andar, ele fez foi correr. Forrest Gump [1994] / (Foto: Reprodução)

Portanto, vamos selar um trato aqui. Eu, você e quem mais perceber que somos simples, mas que isso não signifique dizer “pequenos”.

Vamos indo, sem fraquejar, sob os olhares desconfiados e nem permitiremos ficar submissos aos obstáculos que cismam em apequenar a grandeza do nosso "ser".

Guiaremos uns aos outros, mediante o trato de respeitar a natureza, que é a vida por si só, celebrar os detalhes genuínos e nos permitir, de coração mesmo, ser bobos e falhos na jornada das nossas vivências.

Trilharemos feito viajantes, celebrando a vida por um viés de que somos um ponto almejando um momento de alegria, mas que tristezas são fundamentais para termos sempre os pés nos chão. E inquietações, como lembretes para não cair na paralisia do comodismo.

Em meio a esse caos, à paranoia e ao silêncio, vamos em busca do nosso lugar em comunhão com as dádivas do universo, o que está acima e o que está dentro de nós.

Durante esta jornada, olharemos o ontem como um recado dos capítulos que fechamos e raízes que fincamos, sem muito drama. O presente sendo escrito não como um livro para a posterioridade, mas como lembretes reais, que nos permitimos experimentar. Já o futuro, bom, esse será um constante vislumbre da maquinaria que é a infinidade de defeitos e qualidades que habitam dentro de nós, tornando-os apenas seres em eterna mudança e busca por uma melhor versão.

Se for para sofrer, que seja para extrairmos algo de bom. Se for para celebrar, para que cada malabar de emoção que temos dentro de nós manifeste-se puro e, aí sim, apreciar o melhor do outro sendo apenas ele mesmo.

Caminhar pode ser um exercício exaustivo, mas, também, importante. Mas revisitar algo nos faz olhar o velho com outras perspectivas e por um ângulo mais panorâmico. É ter um pouco mais de consciência do nosso lugar nesse imenso aquário azul.

Nessa caminhada, vamos observar mais as coisas e respeitar os ciclos que iniciamos e encerramos. Pois o bom sabor das coisas, vem da simples degustação e textura do que lapida nossa aura, composta por emoções e sentimentos em constante construção.


Jonas Sakamoto

Jonas Sakamoto é descendente da Terra Nipônica, graduando em Jornalismo, guitarrista, cinéfilo, apaixonado por música e fotografia. Ás vezes viajante, mas segue a vida 'paciente, confiante, intuitivo'.
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// //Jonas Sakamoto