fendas no guardasol

O artista abre uma fenda a fim de subverter a comodidade sensível para introduzir o caos.

Iago Santos

São 24 anos terrestres, mas com o dobro de idade mental. Graduado em Filosofia pela UFS. Gamer. Desenha idiossincrasias e cola na parede do quarto; é amante da arte e casado com a música. Diz que não bebe café, mas prefere o da mãe

moça, qual sua graça?

As atmosferas machadiana e alencariana tomam conta do meu espírito, cuidam do meu corpo e me chacoalham pra lá e pra cá, isso enquanto ouço músicas e tento descobrir quantos segredos traz o coração de uma mulher, mesmo sem saber sua graça.


Night shirt - Matt Abraxas.jpgImage by Matt Abraxas

Se me perguntassem em que consiste e onde está a graça de uma mulher, responderei: não sei. Talvez, para assertar tal indagação, seja necessário dizer no que «não consiste» a graça de uma mulher. Assim, não consiste na maquiagem, na roupa, nem no calçado. Não está no namoro, no casamento, nem no flerte. Não é seu nome, sobrenome, nem sua idade. Não consiste na ideologia que a faz lutar; nem está na arte que lhe faz transfigurar.

(Se ainda quiserem perguntar-me onde consta e onde reside a graça de uma mulher, responderei, sem piscar os olhos, e, sem pensar duas vezes… que: não sei, quem sabe por ali.)

Se estou num estado de vigília, não é para fixar os olhos na exuberância de certo corpo mulheril, longe disso, mas para contemplar o que a Natureza tem em si mesma: a grandeza.

Se perguntássemos à criança em que consiste a graça duma mulher, logo viria à tona, no seu ato de pensar, a sua própria mãe. Por outro lado, se fizéssemos a mesma pergunta ao indivíduo de idade bastante avançada, provavelmente ele diria: "também não sei." Este último, por intermédio de sua idade, e não por caduquice, também se restringe a responder. Sim, restringe-se, não por esperteza e tamanha experiências que lhe cabem, como quem quer fugir de alguma responsabilidade, mas por falta de palavras que fogem-lhe o controle e que não consta em dicionários; distante até de qualquer campo de discurso metafísico, que nem mesmo Platão e sua Teoria do mundo inteligível (das ideias) associada à dialética aristotélica conseguiria responder.

E, portanto, que conclusão eu tiro de tudo que escrevi? Simples. Que por favor, se alguma mulher o leu, negue-se a dar-me qualquer resposta: deixe-me como uma criança: limitado perante a fala, porém feliz enquanto penso e contemplo.

Leia aqui meu artigo sobre a banda acima: Elephant Revival

"Moça", pensei comigo mesmo, "qual sua graça?" Até hoje não sei...


Iago Santos

São 24 anos terrestres, mas com o dobro de idade mental. Graduado em Filosofia pela UFS. Gamer. Desenha idiossincrasias e cola na parede do quarto; é amante da arte e casado com a música. Diz que não bebe café, mas prefere o da mãe.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor, @erotic //Iago Santos