filosofante

Filosofar é arte e todo o resto faz parte.

Renata Pasini

Publicitária e poetisa de uma tigela inteira. Colecionadora de histórias de amor, por puro prazer de conhecer o mundo.

A rispidez é um pedido de socorro

O trânsito, a vida profissional e os relacionamentos todos estão sendo tratados com uma rude rispidez, rispidez rodeada de carência, carência que era tão presente em poesia, agora é rima suprema de agonia.


teste-de-depressão.jpg

O trânsito é uma agonia interminável, as grosserias da vida profissional já têm vida própria e os emails mal interpretados estragam fins de semana inteiros. Na era onde cada pessoa é dona do seu próprio nariz, a polidez mandou lembranças, a delicadeza, o agradecimento e carinho estão em extinção. Somos tão carentes de um ombro, de um afago e de um bom amigo que a rispidez toma conta deste espaço vago. Da rispidez, para a irritação é um pulo e o que divide a irritação da violência é uma linha fininha, quase imperceptível a olho nu. Vivemos no país onde todos os dias sofremos perdas vitais resultantes da violência e ouso afirmar que metade de todas essas brutalidades se originam de carência.

Carência é palavra usada para definir amor em poesia, mas se mal interpretada ela vira ódio em forma de agonia. Carência é um pedido de socorro, é ausência do importante, é o aviso de que algo bom está faltando ali. Todos os dias nos deparamos com situações inexplicáveis de rispidez, 80% delas poderiam ser evitadas com inúmeros outros motivos postos no lugar.

Se o colega de trabalho tivesse um relacionamento incrível em casa, com apoio e principalmente parceria do seu amor, talvez ele não cuspisse sua ansiedade assim que chegasse perto do teclado. Se a mulher que te encheu de palavrões no trânsito, seguida de três irritantes buzinadas, tivesse recebido o bom dia saudável do filho que não dormiu em casa, talvez ela não agisse assim. Se o seu atual parceiro tivesse um bom relacionamento com a mãe dele em casa, talvez ele não trataria todas as mulheres do mundo com tanta indiferença.

Nada é por acaso, tudo exemplifica um passado, um presente, uma falta. Toda palavra dita para machucar alguém de alguma forma, veio de um coração atormentado e infeliz. Afinal, gente feliz não incomoda.


Renata Pasini

Publicitária e poetisa de uma tigela inteira. Colecionadora de histórias de amor, por puro prazer de conhecer o mundo..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @obvious, @obvioushp //Renata Pasini