grecificar

Regressar às origens... quando tudo falha

Luís Pereira

Chamo-me Luís Pereira e quero acreditar que o homem tudo pode. Só não consegue mudar a sua própria condição, de quem vai com Caronte. Só nos resta ouvir a prosa e a poesia da "nossa Grécia".

  • April_in_Vaucluse_(Cécile_Bouillon,_2014).png
    Distante e longe...

    Distante e longe...
    supérfluo e fútil;
    leveza do ser;
    parecer ritmado e timbre;
    seguir orientações que a música sugere.
    Melodias que só sugerem e entram, finalmente;
    e sem imposições, sem condições prévias.
    Seguir a música como um caminho para o conteúdo pueril e purificado;
    efeitos do elixir.
    Degraus aveludados nas nuvens de algodão doce, tantas e mais cores.
    Efeitos da droga natural a que nos submetemos para o outro lado.
    Estende o cérebro em construção. Esta é a nossa praia com mar;
    sem vergonha de chegar à prancha, a prancha...
    a saúde vivente.
    É desse areia que sinto e que me deixo explorar como um médico;
    uma ética, uma moral.

    Luís M. G. Pereira, 24/03/2012

  • Sem título

    Após um período mais ou menos longo de ausência de atividade neste blog, espero que este regresso traga o bem-estar que tanto escritor e leitores merecem nestas circunstâncias. Agora, com um pouco mais de literatura, assim como de prosa e de poesia da minha autoria... para tentar libertar mais o corpo e a mente, não se sabe bem do quê :) . E não só.

  • 9.jpg
    O que dizem as imagens...

    A linguagem escrita, como qualquer outra linguagem, esconde parcelas de informação da comunicação estabelecida. Até porque nos deparamos, com facilidade, no decorrer das nossas vidas, com ideias e sentimentos que não conseguimos codificar sob o formato das palavras. É, também por isso, uma linguagem restritiva. A "foto-linguagem" parece ser bem mais abstracta mas, igualmente, comunicativa. Como seria se comunicássemos só por imagens?

  • image4.JPG
    Os sentidos da paisagem - uma força de expressão

    Quantas vezes as palavras não bastam para expressar o que sentimos? Quantas formas de comunicar conseguimos ter, diariamente? Afinal, qual o limite das palavras? O mesmo da visão? O mesmo do sentimento? A paisagem ajuda-nos a perceber limites e antes de nos atrair a ela, já estamos nela. Como explicar isto?

  • Exilio.jpg
    E nasceu Sophia...

    "Foi um imenso desperdiçar de gente
    Para que ela fosse aquela perfeição
    Solitária exilada sem destino."

    Será, esta, Sophia de Mello Breyner?

  • Palavras?

    O que dizer quando não temos palavras? E quando as queremos e elas menos parecem surgir? O que fazer se queremos definir algo mas que apenas a sentimos, mais uma vez, sem palavras?

  • 588px-Klimt_bauerngarten.jpg
    Beijo e Abraço, de Klimt

    Um artista da completa sensibilidade e da simbólica pertença à sociedade. Ou não fosse ele um homem do Simbolismo e da Arte Nova.

  • hello adele bbc.jpg
    Adele, the "fire to the rain"

    Adele é cantora/compositora e desde cedo mostrou o que ela própria poderia fazer em torno da música. Desde cedo, mostrou capacidade de atingir um sucesso talentoso. Mas nem tudo são rosas e a sua vida, também, foi "fogo para a chuva"...

  • Construction_tour_eiffel8.JPG
    Uma Torre inesperada
    É, de facto, a marca de Paris, entre outras que a acompanham, apesar de não menos importantes. A Torre Eiffel ajudou a estabelecer a identidade de uma cidade e de um país activo na história mundial. Quem acreditaria que esta obra terá sido mal ...
  • Le-Havre44.jpg
    "Le Havre", o porto de abrigo

    Estreou em 2011, realizado em França, por um finlandês, sobre uma criança africana que chega a uma cidade da Normandia e que desejava chegar a Londres...

    Uma comédia, um drama, uma forma de mostrar que um mundo melhor depende, apenas, de uma coisa: uma perspectiva.

  • não sejas urso 10.jpg
    "Não sejas urso!", no Metro de Lisboa.

    É cada vez mais diversificada e apelativa a exposição de imagens que é feita, nos dias de hoje, principalmente, no seio das cidades. Em torno de marcas, produtos consumíveis, outros derivados do capitalismo... Mas também há espaço para simples ideias, para fins bem cívicos, por exemplo.

  • url.jpg
    "UP"

    Depende da perspectiva. Um filme de animação ou uma ficção "bem real", mas sempre algo que parece ser mais próximo do adulto do que o normal.

Site Meter