há algo de novo no front

Porque boas e más notícias fazem parte da guerra musical

WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol.

O que torna Sonic Youth uma banda tão importante?

Uma religião chamada Sonic Youth. Leia e descubra como a banda sobreviveu ao desafio do tempo, manteve um público fiel e conseguiu se renovar dando uma lição de rock sem jamais ter sua credibilidade posta em cheque.


Sonic-Youth-001.jpg O ano era 2001, eu tinha emprestado de um amigo uma fita VHS com vários clipes gravados da finada MTV, aliás isso era hábito entre meus amigos, trocar fitas de clipes. Dentre todos um clipe em especial me chamou atenção, não tanto pelo clipe, mas na época eu com 13 anos achei aquela música estranha, não gostei, só queria ouvir Linkin Park e Korn (pra ver como eu entendia de música), tratava-se de “Sonic Youth - Bull in the Heather” música do álbum “Experimental Jet Set, Trash and No Star”.

Eu era só um pré-adolescente e mal sabia que Sonic Youth seria uma das bandas mais importantes na minha vida, me fazendo dez anos depois encher o saco de meus amigos tentando convencê-los do quanto eles deveriam ouvir os discos "Dirty" ou "Washing Machine". Porém, confesso que demorei a entender aquele som que era diferente de tudo eu estava acostumado e mesmo que os meus amigos ouviam, isso só foi acontecer lá pelos vinte e poucos, entretanto depois que você saca qual é a da banda amigo, não tem mais volta.

Formada no ano 1981 em Nova York por Thurston Moore (vocais e guitarra), Lee Ranaldo (vocais e guitarra), Kim Gordon (baixo, guitarra e vocais), Mark Ibold (baixo) e Steve Shelley (bateria), Sonic Youth mudou as regras da música alternativa, ou melhor, a banda deu cara ao cenário underground com um som que trazia influências que iam de Stooges, Velvet Undergrund e Krautrock alemão (que eu odeio mas isso é assunto pra outro dia). Sonic Youth trouxe um som sem compromisso nenhum com padrões musicais ou o que era imposto pela grande mídia e grandes gravadoras, isso se manteve até o fim da banda em 2011.

Mesmo você não gostando de Sonic Youth é inegável que a banda é uma das mais influentes da história da música alternativa, superando desconfianças e sobrevivendo a mudanças de mercado, política, estética e dando de ombros para as mudanças dos formatos de mídia musical LP, CD, MP3, VHS, DVD. A banda passou com maestria por tudo isso e ao longo das quase três décadas de formação original, conseguiu uma gama cada vez maior de fãs ilustres e anônimos ao redor do mundo

Irei destacar os dois discos que considero fundamentais para qualquer fã de Sonic Youth, ou mesmo para os que estão chegando agora e querem conhecer um pouco mais sobre a banda. O critério de escolha de ambos foi simplesmente o contexto histórico da época em que estavam envolvidos e porque são os que eu considero como os melhores em linhas gerais. Em 1988 Sonic Youth lançaria seu quinto disco a obra prima “Daydream Nation” que trazia consigo o hino de uma geração, a marcante “Teenage Riot”. Se a banda já era respeitada dentro do alternativo americano, até mesmo pelos críticos, “Daydream Nation” foi a confirmação de que mesmo sem um sucesso radiofônico uma banda poderia ser respeitada, ter um público fiel e ser influente fazendo aquilo que eles queriam, que nada mais era do que experimentar e se divertir. Além disso, muito mais que apenas um álbum de rock em 2006 “Daydream Nation” se tornou um registro histórico americano o disco entrou paro o “Library Of Congress’ National Recording Registry” como um importante documento histórico que retrata o modo de vida nos Estados Unidos. Vale ressaltar que é uma das poucas obras de rock a fazer parte da biblioteca do congresso americano, portanto se você esteve em marte nos últimos 20 anos e nunca ouviu esse álbum, faça isso urgente!

Dois anos depois em 1990, a banda lança aquele que é o meu disco preferido o pesado, experimental e criativo “Goo” (sim, aquele da camiseta do casal fumando que você vê em qualquer festival de música alternativa). “Goo” é um disco que reflete toda a angustia daquele inicio dos anos 90 repleto de mudanças políticas e incertezas ao redor do mundo. O álbum é o ponto de partida do grunge e marca o fim definitivo do difícil período em que tivemos que aguentar o metal farofa e toda aquela coisa ridícula dos anos 80 (tempos difíceis). Um fato interessante é que durante o lançamento de “Goo” a banda abriu os shows do cantor canadense Neil Young que estava em turnê de divulgação do disco “"Ragged Glory", fico imaginando como era contemplar tal apresentação, sortudos os que puderam viver tudo isso não é mesmo?

Um fato que não pode passar batido é que enquanto a banda não estava acompanhando Neil Young, eles ajudavam bandas iniciantes, nomes como Mudhoney e Pavement tiveram total apoio do Sonic Youth assim como uma tal banda vinda de Seatle chamada Nirvana, cuja qual, conseguiu uma gravação na gravadora Geffen graças a uma recomendação do Thurston Moore, o resto da história você já conhece.

A carreira do Sonic Youth se confunde com a história do rock alternativo, seria impossível eu escrever sobre toda a discografia da banda aqui sem comentar alguma injustiça. Procurei apontar importantes pontos que fazem com que a banda seja fundamental e obrigatória para todos aqueles que gostam de fugir dos padrões musicais impostos, Sonic Youth revolucionou o rock alternativo, foi fonte de inspiração pra muitos grandes artistas e para anônimos como eu e você.


WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/musica// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //WilliaN Correa