há algo de novo no front

Porque boas e más notícias fazem parte da guerra musical

WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol.

Jerry Lee Lewis: Toda barulheira do melhor ao vivo da história

Jerry Lee Lewis ou "The Killer" não tem esse apelido atoa, sentado em frente ao seu piano ele conseguia fazer o que muitos músicos jamais conseguiram com três guitarras e bateria com pedal duplo tocando para 50 mil pessoas. Um piano, bateria e um guitarra e dois mil alemães bêbados foi o suficiente para Jerry Lee fazer o álbum mais agressivo de todos os tempos, dúvida? confira um pouco mais sobre esse fato e como tudo aconteceu naquela noite em 1964 em meio a explosão de Beatles e Stones.


11703859_1.jpg

Provavelmente se você está lendo este texto e não conhece Jerry Lee Lewis, ficou curioso pelo título da matéria, e se você já o conhece já sabe do que eu irei falar. Trata-se do show mais insano, mais incendiário e caótico que você já ouviu. Imagine dois mil alemães bêbados loucos para ver o então decadente para a mídia Jerry Lee frente a ascensão dos Beatles e Stones (Elvis estava no exército) quebrando tudo e entrando no clima da platéia. Esse fato se deu na cidade de Hamburgo na Alemanha no ano de 1964. E é sobre esse show que virou o maior clássico ao vivo que iremos falar.

Jerry Lee Lewis estava passando por um período de decadência, acostumado a receber cachês pomposos passou a tocar por míseros 250 dólares e fazer pequenos shows em verdadeiros buracos. A sua derrocada aconteceu principalmente pelo cancelamento dos mais de 30 shows que faria pela Inglaterra em 58, 30 shows em 37 dias. Tudo foi por água abaixo quando mídia inglesa descobriu que a criança que o acompanhava naquela viagem não tinha 15 anos como ele afirmava e sim 13 e pior, era sua esposa “Mira Gale”. Jerry foi expulso do país e teve todos os seus shows cancelados.

Voltemos a 1964 e a cidade de Hamburgo, naquele dia, Jerry faria o que sempre soube fazer como ninguém, incendiar o seu show e o seu piano. A velocidade com que ele toca impressiona, é impossível ficar parado de boca fechada. Só de ouvir a primeira música "Mean Woman Blues" é de arrepiar o peso e a qualidade sem um solo de guitarra. Esse show é a prova que pra fazer um show pesado de rock não precisa de virtuosismo e solos de guitarra sem fim, basta ser talentoso e saber como deixar uma manada de alemães bêbados calmos e ao mesmo tempo malucos gritando Zerry, Zerry! Se ouvir no fone da pra escutar o barulho de copos quebrando além de um maluco que fica assoviando durante o show inteiro. No inicio da clássica “Great balls on fire” o assovio é tão longo e alto que se você ouvir alto parece que estão atrás de você, é sensacional esse clima durante disco todo, repito 2 mil alemães fazem o que muitas bandas não conseguem colocando 50 mil!

Pensem nos seus discos ao vivo prediletos, depois ouçam de cabo a rabo Jerry Lee Lewis live at Star Club e voltem a comentar, tenho certeza que você vai se divertir como nunca apenas ouvindo música. Por fim vale comentar que Jerry teve uma vida de rock star de verdade, se envolveu em polêmicas, viveu grandes tragédias, era egocêntrico e blasé ao extremo, mas em cima do palco era incendiário como nunca ninguém jamais foi. Vale ressaltar que durante sua passagem pelo Brasil o músico participou do programa do Jô Soares completamente bêbado além de fazer três shows em 1993, um de 20 minutos em que saiu coberto de críticas e o terceiro e último que destruiu tudo com um caminhão clássicos saindo em estado de glória. Esse é Jerry Lee, um verdadeiro rock star, um músico de extremos e dono do maior álbum ao vivo de todos os tempos.

Ouça na integra Jerry Lee Lewis live at starclub Hamburg


WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/musica// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //WilliaN Correa