há algo de novo no front

Porque boas e más notícias fazem parte da guerra musical

WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol.

Os 5 melhores discos dos anos 80 que você não ouviu

Normalmente quando se pensa musicalmente nos anos 80 logo associamos a cena musical a pop, exageros, metal farofa e afins. Entretanto o mundo alternativo ofereceu muita coisa boa naquela década e boa parte delas é desconhecida do grande publico mesmo com a internet podendo facilitar as buscas. Portanto a ideia aqui é compartilhar com o leitor os melhores discos (na opinião do autor) daquela década que muito provavelmente você não ouviu. Não deixe de ler e mergulhar nesse mundo onde o que não é popular é justamente o melhor!


MI0002009636.jpg

Quem nunca ouviu a velha máxima: "Que saudade dos anos 80, naquela época sim tínhamos música boa" ou quem nunca foi em uma festinha, churrasco ou coisa que o valha e logo alguém colocou pra tocar uma música da Madona, Michael Jackson, Cindy Lauper, George Michael (leia-se Wham!), A-Ha e mesmo qualquer rock daquelas bandas de peruquentos como: Bon Jovi, Poison, Scorpions, Motley Crue e afins? pois é! Todos nós ouvimos, por opção ou não, esses "clássicos" oitentistas, e nem vou citar exemplos do Brasil como Legião Urbana, RPM, Capital Inicial, Ira!, Titãs etc. Nessa postagem você vai conhecer 5 discos obrigatórios que você não ouviu dessa década que teve sim muita coisa boa, entretanto a maioria fora do circuito comercial. Se você gosta do alternativo vai estar em casa nessa postagem, se ainda está conhecendo vai poder se aprofundar mais, se é apenas um curioso é uma boa pedido, vamos a lista?

5 - Pixies - Surfer Rosa: Em 1988 (ano do nascimento desse que vos escreve) a banda norte americana Pixies lançaria seu disco de estreia o aclamado "Surfer Rosa" o disco é constantemente citado como um dos melhores álbuns de rock de todos os tempos, não ficando apenas restrito no cenário alternativo. Se você não conhece, é um típico disco que não precisa passar uma faixa pois ele todo é de extrema qualidade. Logo na abertura a barulhenta e divertida "Bone Machine" já mostra que o disco vai ser uma viagem bagunçada, cheia de quebradas e sonoridades distorcidas algo típico do Pixies nesse mundo indie do final dos anos oitenta começo dos 90. A minha preferida, a faixa 3 "Something Against You" tem apenas 1:47 e tem um misto de barulho ensurdecedor com harmonia, até hoje não sei como tamanha confusão pode fazer sentido e ser legal de se ouvir. Por falar em harmonia o diretor do filme "Fight Clube" (Clube da Luta) David Fincher, foi muito sensível ao usar a agora clássica "Where is my mind" na cena final do seu filme. Agora você me pergunta: Por que eu devo ouvir esse disco? simples, se você é curioso(a), leva música a sério, e sempre ouviu falar de Pixies mas nunca teve coragem de ouvir, aqui está a sua oportunidade. Como diz o título da faixa 11, VAMOS!

Killing_Joke_Brighter_Than_A_Thousand_Suns_Cover.jpg

4 - Killing Joje - Birghter than a Thousand suns: Em 1986 o Killing Joke já era uma banda com certa moral fora do Brasil com o seu post punk, gothic rock". O sexto disco do Grupo liderado pelo insano Jaz Coleman foi arrebatador, vale lembrar que o frontman não é apenas um mero vocalista mas também, dizem que ele tem um QI quase sobrenatural. Aprendeu a tocar violino aos seis anos, ganhou prêmios como cantor de coros aos 10, e não ouviu rock até os 15. Segundo o próprio, estudou finanças na Suíça e é um padre numa igreja na Nova Zelândia. Voltando ao disco, as duas primeiras faixas foram os singles na época de lançamento, "Adorations" e a quase sinfônica e dançante "Sanity" porém nada se compara com a beleza de "Love Of the Masses". Sempre que ouço novamente essa música me pergunto como alguém pode ver beleza ou sinceridade em bandas como "Muse" por exemplo? com certeza se você não ouviu esse disco e ouvir com calma pela primeira vez ele vai ilustrar importantes momentos da sua vida, é um álbum perfeito pra se ouvir em um dia nublado ou dirigindo, ouça!

MI0001724407.jpg

3- The Chameleons - The Fun and the bellows: Em 1986 a banda de Manchester (mais uma) lançou este compacto repleto de boas canções, a começar pela música que da título ao disco, agitada, com boa letra, certamente é o tipo de música que vai deixar o seu dia mais animado e musical, mais adiante a faixa "Less than human" é pesada e arrastada porém sem perder a sua beleza. A minha preferida é um pós punk tradicional de nome "In Shreds". Esse disco é obrigatório pra entender toda cena musical daquela Manchester que tanto rendeu em termos de pós punk e boas bandas, além disso pela sua sonoridade é possível observar que não só foram influenciados por Joy Division, The Cure, Gang of Four como serviram de base pra bandas que vieram posteriormente.

cabine-c-lp-fosforo-de-oxford.jpg

2 - Cabine C - Fósforos de Oxford: Ciro Pessoa é um verdadeiro gênio, sim! depois de sair pela porta dos fundos dos Titãs, quase nem ser citado pelos integrantes da banda resolveu montar aquela que é pra mim uma das mais interessantes bandas brasileiras dos anos 80 o Cabine. Com apenas um disco lançado, a banda conseguiu fazer um certo barulho, porém pra quem se interessa mesmo por música e mergulhou nesse mundo, "Fósforos de Oxford" é um disco muito especial. Após ler o único romance escrito por Edgar Allan Poe "A Incríveis aventuras de Arthur Gordon Pynn" siro pessoa escreve a viagem solitária em um convés de um navio na música que abre o disco "Pânico e Solidão", pra mim uma das maiores pérolas do rock nacional, o disco segue a tônica do pós punk sem aquela coisa brega e cafona que a maioria das bandas brasileiras se especializou em fazer nos anos 80. "A Queda Solar de Usher", "Lagrimas", "Tão Perto" e "Jardim das Gueixas" mostram toda qualidade do grupo em um disco que é pra lá de interessante. E pensar que tem gente vê arte e poesia em Engenheiros do Hawaii....paciência.

hqdefault.jpg

1 - Sonic Youth - Daydream Nation: Lançado também 88 é o meu disco preferido de todos os tempos, é difícil descrever em tão poucas linhas a importância desse álbum para uma geração e mesmo pra mim que só fui conhecer décadas depois. Considerado pelo congresso norte americano como "magnum opus"(Obra mais renomada de um artista) o disco ocupa uma vaga na biblioteca do congresso, lembre-se que estamos falando de uma banda de rock alternativo de Nova York, nada pop ou comercial, ou seja, um feito e tanto, não? a faixa "Teenage Riot" é o hino daquela geração que não se enquadrava no mundo dos cabeludos, do pop ou mesmo da música eletrônica. Quando vestiam seu xadrez e iam para pequenos clubes ouvir bandas fora do circuito comercial eles estavam criando um novo estilo de vida que posteriormente dariam frutos com o grunge. Voltando ao disco, todas as revistas especializadas, críticos consideram o disco um marco, ouvir "Hey Jony", "Cross the breeze", "Eric's Trip" é uma viagem na cultura alternativa dos anos 80 e até mesmo dos 90. O álbum que é duplo atingiu o mundo do rock comercial como uma bomba pois acabou indo além do espaço alternativo e tornando o Sonic Youth uma banda respeitada por todos os meios, portanto se você não ouviu Daydream Nation ouça urgente!

Como selecionei apenas 5 faço aqui menção honrosa a mais alguns discos dos anos 80 que você não ouviu e que são obrigatórios: "Roxy Music - Avalon", "Stone Roses - Stone Roses", "The Weding Present - George Best", "Patife Band - Corredor Polonês", "Indochine - Le Périu Jaune", "Siouxsie and the Banshees - Hyaena" e o ótimo "My Bloody Valentine - - Isn't Anything", "Fausto Fawcett - Fausto Fawcett e os Robôs Efêmeros" Espero que tenham gostado da lista, certamente muitos já ouviram um disco ou outro da lista ou uma ou outra música dos artistas relacionados, então se não conhece algo ouça e não deixe de comentar, vivemos em um mundo onde cada vez menos as pessoas tem o prazer de descobrir bandas e músicas e novas e eu fico feliz em poder compartilhar com vocês minhas paixões musicais, abraços.


WilliaN Correa

Willian Correa é formado em História e Jornalista da Rádio Mix FM Litoral em Bombinhas - SC. Além disso ele escreve sobre música desde 2008 e sempre acha um tempo pra falar de futebol..
Saiba como escrever na obvious.
version 4/s/musica// @obvious, @obvioushp //WilliaN Correa