Vinicius Siqueira

Fascista desde criancinha

Um Pouco Do Rock Progressivo Nos Anos 70



Peter-Gabriel-2.jpg

O Rock Progressivo é muitas vezes considerado um subgênero chato do rock, que perde o dinamismo e a força daquilo que seria o rock, entretanto, creio que seja necessário contextualizar e explicar o estilo, pelo menos de uma maneira básica.

O marco inicial do Prog foi com o lançamento de In The Court of Crimson King, ainda no fim dos anos 60, do King Crimson. Primeiro disco considerado genuinamente Prog e um dos melhores da banda inglesa. Aliás, a Inglaterra é tida como a terra natal do Rock Progressivo e como um dos fortes países com base prog, como mostrarei mais adiante.

King_Crimson.jpg king.jpg

Se o King Crimson é o marco inicial do Prog, o Yes é considerado a banda que mais explorou o estilo. As guitarras rápidas e melódicas, fritadas e bem elaboradas, o contrabaixo ligeiro e inteligente, juntamente com os teclados mágicos, principalmente de Rick Wakeman, o tecladista da formação clássica do Yes, juntamente com Bill Brufford, baterista agressivo e erudito, a banda inteira realizava magia no palco e nos discos. O disco clássico do Yes não é marcado por ter um conceito que liga todas as músicas, ferramenta largamente utilizada pelas bandas Prog, mas sim por cada música, e no disco só há três músicas, serem um conjunto de peças altamente harmônico. Cada música é a união perfeita de capítulos – a música é uma obra completa.

04Yes70.jpg one-10.jpg

Já o Pink Floyd seguiu caminhos diferentes de seus companheiros britânicos: o prog era metade da banda, a outra metade era o psicodélico. Como isso foi expelido? Com um álbum chamado Dark Side Of The Moon, conceitual, que explica a situação humana em relação às suas questões na modernidade. Depois deste álbum, todos os outros podem ser considerados conceituais, enquanto Roger Waters ainda fazia parte da formação da banda.

live.jpg pink floyd pompeii.jpg

O Genesis talvez não teria tanto sucesso se não fosse por Peter Gabriel alucinadamente fazendo do palco um grande teatro para contar a história de suas músicas. Ele se vestia de duende, de velho, de tudo que esteja dentro de suas histórias. The Lamb Lies Down on Broadway é o disco conceitual, entretanto, a música mais memorável da fase estritamente prog da banda é Supper's Ready, uma peça de quase 23 minutos sobre uma jornada pessoal com temática baseada na bíblia.

genesis550.jpg genesis_4.jpg

A grande crítica a respeito do rock progressivo se instala no fato de que as músicas não são gregárias... Não são de fácil assimilação ou reprodução. São músicas de classe-média refinada. Esta crítica não é falsa, afinal, basta escutar alguns álbuns do Emerson, Lake and Palmer para verificar a abstração total, entretanto, também é um fato que o público das bandas citadas acima era composto por todas as classes sociais. Dentro da época, o prog era a expressão artística também absorvida pelas classes operárias, dentro das limitações de influência do rock. O mito se tornou realidade após a fase áurea, quando o estereótipo de “rock de classe-média” virou uma máscara desejada por uma classe-média criticada pelo Punk.

Vinicius Siqueira

Fascista desde criancinha .
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do obvious sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
x7
 
Site Meter