horizonte distante

cinema, música e tudo aquilo que se pode avistar

Guilherme Moreira Jr.

Um inquieto sobre o viver e o estar. No cinema, na música ou em qualquer outra janela. Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro.

Intermitências da vida

Quando nos deparamos com o nosso "eu" interior, percebemos que a jornada do autoconhecimento é enorme, repleta de dúvidas, certezas, dores e felicidades. O período que antecede o início de um ano pode ser um recomeço, mas também pode representar o reinício que tanto queremos.


flower-on-butterfly-evening-time.jpg

Poderíamos existir em uma vida sem urgências? Vivemos para confrontar responsabilidades ou são as responsabilidades cotidianas que nos impulsionam a viver? Lembro vagamente da minha infância. Gostaria de ter em mente todos os dias vividos como se fosse o acordar do ontem, mas por motivos diversos, apenas alguns e importantes períodos ficam registrados. Entre fases nas quais vivenciei descobertas, tive quedas imaginárias e a decepção do primeiro amor infantil, ainda assim chorei sorrisos, amei amigos e comecei a delinear o homem no qual queria e ainda busco me tornar.

A proximidade do fim do ano para o início de um novo gera expectativas, reflexões. Sentimentais e racionais. Se você me perguntar se fora um bom este que está indo embora, direi que sim. Porque durante os dias, semanas e meses que sucederam o presente, deixei perdas no passado, ganhei fôlego para o futuro, e principalmente alcancei mais um degrau para o autoconhecimento. Encontrar correntes e outras mensagens de “Boas Festas” espalhadas na internet ou nas ruas, podem pouco agregar para muitos, afinal o Natal e o querido Ano Novo são datas compartilhadas pelo calor da proximidade daqueles que amamos, mas sem dúvida alguma, dias como estes servem como oportunidade para adentrarmos em nós mesmos.

LUZ PARA MINHA VIDA.jpg

Conversando com o meu Papai Noel interior, busquei vida. Busquei a mim mesmo. Energias, incentivos e aprendizados para seguir adiante. Para amar mais. Ser mais. O mundo anda precisando disso. Mesmo na utopia do aguardo do mundo ser um lugar melhor. Seja mais igualitário e mais solidário, o exercício da esperança e da confiança de galgar momentos melhores, pessoas melhores, tornam os dias mais límpidos. Humanos. Talvez seja o começo para aceitar responsabilidades e compreender que nem tudo são só sorrisos, mas nem por isso necessitam ser apenas lágrimas, e mesmo que fossem, por favor vamos regar as mesmas entre sorrisos, abraços e beijos.

Para amar, liberamos nossas experiências passadas na vil esperança de sermos compreendidos, quando o amor por si só é beijar com ternura a possibilidade de conviver em paz com as adversidades, discordâncias e outros sentimentos obscuros encontrados mundo afora. Então tenha fé. Banhe a sua religiosidade interior, pois a busca no divino, independente da crença seguida, começa por você. É a responsabilidade mais importante.

ano_novo-4908.jpg

Do mais, peço desculpas pelos acertos. Sim. Pelos acertos. Porque erros todos cometemos, mas os acertos, a felicidade em cumprir algo diferente, tangível e inebriante, estes sim são legítimos para celebrar e se desculpar. Não por arrogância, mas por humildade em reconhecer estar evoluindo, vivendo. O lamento ou a tristeza momentânea reside na ausência de visão do outro, cego por assuntos banais. Mas eu ainda acredito. O meu interior é utópico. Eu amo demais e assim sendo, quero demais. Tá na hora. E devagar e urgentemente, faço votos para o vislumbre de dias, semanas e meses melhores. Apreciando o novo, bebendo dos prazeres diários, intocáveis e sublimes da vida. Boas festas. Estamos todos juntos. Acredite.


Guilherme Moreira Jr.

Um inquieto sobre o viver e o estar. No cinema, na música ou em qualquer outra janela. Cidadão do mundo com raízes no Rio de Janeiro..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @destaque, @obvious //Guilherme Moreira Jr.