fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia

Mágicas de dona Melânia

Na cozinha do albergue, é onde tudo acontece. Alimentos mudam de destino e se tornam pratos saborosos nas mãos da cozinheira


weee.jpg

Colaboração Carla Tortelli e Junior Matiello

Ela é a responsável pela cozinha do Albergue João Plitz na parte da tarde. Melânia Tabaldi, cozinheira de mão cheia, sabe transformar alimentos com destino nada suntuoso em pratos saborosos. Retalhos de bolos viram tortas de brigadeiro; frutas maduras se transformam em geleias; e pedaços descartados de mandioca se tornam a especialidade de dona Melânia: uma sopa que chega a faltar, tamanho é o apetite dos degustadores. “Eles sempre pedem: ‘hoje tem aquela sopa?’”, comenta Melânia.

Os alimentos que chegam ao João Plitz são provindos de diversas fontes, recolhidos por pessoas que fazem parte do Programa Mesa Brasil e da Cooperativa Alternativa da Agricultura Familiar (Cooperfamiliar), entre outros. “Por meio do Mesa Brasil, alimentos são recolhidos nos mercados e distribuidoras e enviados para as entidades, como é o caso do albergue”, diz a coordenadora do lugar, Eliane Santin.

Todos os meses, em torno de 1.500 quilos de alimentos são recebidos pelo albergue. Frutas, verduras, pães e peixes que são reaproveitados, servindo de base para receitas elaboradas por nutricionistas e colocas em prática por dona Melânia e por outros funcionários do João Plitz. Todos os anos, desde 2006, há treinamentos do Mesa Brasil para que eles se atualizem e possam sempre fazer o melhor para moradores de rua, migrantes e pacientes do albergue. São, atualmente, 80 pessoas que se alimentam das mágicas feitas pelas mãos dos trabalhadores do local.

Eliane reconhece a importância de não desperdiçar comida e vê com bons olhos as entidades que se ocupam desta causa, marcada pela consciência e pela responsabilidade social. Alicerçado pela Ação Social Diocesana da Igreja Católica e pela Prefeitura Municipal de Chapecó, o Albergue João Plitz também recebe cestas básicas a perder de vista.

Causa defendida

Mas, a causa que abastece o albergue de Chapecó (SC) não é compartilhada por muitas pessoas no Brasil. Em um vídeo – da marca Ecobenefícios – que está circulando nas redes sociais, números alarmantes de uma triste realidade chamam para a reflexão.

Segundo ele, o Brasil é o quarto maior produtor de alimentos do mundo. No País, pelo menos 39 mil toneladas são desperdiçadas todos os dias, comida que alimentaria 19 milhões de brasileiros. No mundo, diariamente, 925 milhões de pessoas passam fome. Em contrapartida, 20% dos alimentos vão para o lixo dia após dia.

Por conta disto, a marca criou um prato diferente, com um corte que representa os tais 20% de desperdício, com a intenção de minimizar o problema. O prato causou estranheza por parte dos consumidores de um restaurante. Porém, o motivo do formato inusitado fica logo explicado na inscrição estampada na louça: “por que 20% dos alimentos são desperdiçados todos os dias?” A ideia é reduzir a zero o desperdício por meio da união entre as pessoas, dispostas a acessar, a compartilhar e a ajudar, em nome de um mundo mais mágico e menos rude.

Veja o vídeo aqui!

oi.jpg

tr.jpg

yt.jpg


fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/artes e ideias// @destaque, @obvious //fabita