fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia

Outono em Porto Alegre


d5.jpg

Pessoas que chegam e se vão

Palavras de Deus na madrugada fria

Milongas na Rádio Cultura

Casarões gastos, pichações descuidadas

Porto Alegre ficou mais triste sem você

Mas e quem é você?

Somente Deus há de conhecer o teu coração

Somente a prece desprendida

É capaz de amolecer o coração dos homens

No bosque encantado, plantei uma lembrança

Ela nasceu embalada de histórias

Contadas em um espanhol rasgado

Um pouco lamento, um pouco poesia

Como você nasceu, cidade grande?

Eu, um dia, quis ser parte de ti

Hoje agradeço por dormir em paz

Cheguei tão cedo, muito antes do sol

Ninguém mais viu a cidade como eu vi

Mas todos, sem exceção, buscavam algo

Algo sagrado em meio à multidão.

d1.jpg

d2.jpg


fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// //fabita