fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia

A Lenda das Filhas da Floresta

Elas ofertam a sensibilidade para o mundo, enquanto os homens, esses Guerreiros do Cotidiano, ofertam a estabilidade


chá-das-bruxas.jpg

A viagem começou pelo Sul, por uma floresta visitada por muitos outros viajantes. Ali deu-se o deleite dos primeiros passos, ali a mulher encontrou a fonte inesgotável do amor carnal, que a rejuvenesceu para que pudesse seguir adiante. Logo encontrou uma ponte, direto para o Norte, onde a floresta era mais leve. Lá, encontrou a Fonte das Ideias e pôde compartilhar tudo o que havia aprendido e guardado durante a vida, assim como aprender o que havia de novo.

Mas ela procurava a parte central daquela imensa floresta, um lugar de aconchego, que cheirasse a alegria. Depois de alguns meses, a andarilha encontrou o lugar encantado, aquele que ela tanto esperava. Era a Fonte das Emoções. Deitou o peito em um chão macio que pulsava sem parar, lembrando o quão viva é a Natureza.

Foi neste chão que ela construiu um lar e foi ali que o amor fecundou a terra e novos habitantes surgiram. Pessoas que eram a mistura dos sorrisos mais belos que já existiram. Mas, nem tudo eram flores na Floresta Encantada. As emoções, como cavalos selvagens que são, às vezes galopavam com tamanha força que causavam terremotos e, por vezes, os ventos do Norte traziam tempestades.

Foi assim que ela, a mulher sem nome, criou os seus ritos de proteção. Olhou para o céu e pediu para o Criador e seus Anjos para que cuidassem de todas as fontes e que nenhum conflito fosse capaz de lhes tirar a paz. Orou para que Deus não desistisse daquele lugar encantado que ela havia encontrado e dançou para que a chuva cessasse e aprendeu sobre as plantas para que elas pudessem curar Corpo, Coração, Mente, Alma e Espírito.

Nasceram rituais sagrados que seriam passados de geração em geração, até os dias de hoje. Dali, surgiram as Filhas da Floresta, mulheres guerreiras e divinas, capazes de vencer todo o mal por meio da fé. Alguns as conhecem como benzedeiras ou curandeiras; outros como bruxas ou magas. Não importa o nome. As Filhas da Floresta inspiram homens e mulheres até hoje com os seus cantos profundos e a sua sabedoria ancestral.

Pela manhã, elas colhem plantas mágicas para a sua cozinha, de onde saem os quitutes mais saborosos. À tarde, elas tomam chás de ervas e falam sobre o lado divino de ser mulher. E à noite, quando muitos dormem o sono dos justos, elas podem ser vistas nas florestas, dançando nuas, invocando os Quatro Elementos. Donzelas, mães e anciãs reunidas ao redor de fogueiras.

Em todas as culturas há mulheres semelhantes a essas. São mulheres que encontraram o divino em si e sabem de seu valor, já que trazem a vida ao mundo. Antigamente, elas eram adoradas e respeitadas pelos homens, que não encostavam dedos de maldades de qualquer espécie.

As Filhas da Floresta tornaram-se parteiras e também conselheiras umas das outras. Sua intuição é tão apurada que pouco se consegue esconder de uma mulher como essa. Elas captam o íntimo de cada ser e acolhem cada um com um amor maternal, pois se sentem mães do mundo.

Os seios geralmente são fartos e largos são os quadris de parideira. Os olhos são profundos e os cabelos muitas vezes são vermelhos. Elas podem ser vistas de roxo, pois roxo é a cor da Espiritualidade. Imaginam encontrar um par com o dom da proteção pois, por mais que sejam fortes, também precisam, de quando em quando, lembrar da acolhida da Fonte das Emoções, com o chão macio que pulsava sem parar. Por tal motivo, não raro são vistas no peito de seu homem, telas em branco pintadas de amor.

Elas não devem ser vistas como mulheres frágeis, mas como seres que complementam os homens. Elas ofertam a sensibilidade para o mundo, enquanto os homens, esses Guerreiros do Cotidiano, ofertam a estabilidade. E por falar em estabilidade, é bom lembrar que elas, por vezes, são variáveis como a Lua e choram, lembrando inconscientemente das tempestades do Norte.

Assim, vale dizer que é uma virtude do guerreiro acalmar tal tempestade com um abraço apertado e algumas palavras de consolo. Aos Guerreiros do Cotidiano, nossos sois, compete a missão de acalentar essas Filhas da Lua e lembrá-las de que a tempestade vai passar, já que a vida é cíclica.

Aos guerreiros deixamos toda a dedicação. Eles são recebidos com todo o amor depois de cada dia de luta, com estímulos que abrangem todas as dimensões. Se as pessoas comuns pudessem ver a olho nu a casa de uma Filha da Floresta, veriam uma aura de amor, cheia de cores vibrantes.

É assim que, de longe, uma encontra a casa da outra e concede uma visita, que sempre acaba em uma amizade longa e verdadeira, deixando o legado da magia vivo, dentro e fora da saudosa Floresta Encantada.


fabita

Jornalista, amante de literatura, cinema e filosofia.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //fabita