ideias de guerrilha

Um arsenal de ideias contra a resistência do ócio

Eduardo Silva Ruano

Sempre buscando novas inspirações para transformar ideias em palavras

15 Coisas Sobre Sexo na Prática

Quando duas pessoas estão fazendo amor, o universo inteiro para e o tempo somente as pertence.


15 coisas sobre sexo na prática_1.jpg

Não adianta negar, sexo é uma das coisas que mais causam felicidade e bem-estar na vida das pessoas. Existem incontáveis coisas interessantes a se dizer quando o assunto é sexo, e aqui estão 15 delas:

1. Sexo sem amor é menos significativo

O amor não é um requisito do sexo, mas sexo sem amor tem um caráter menos valioso. Paixão tende a fraquejar de vezes em vezes, e é o sentimento de união e cumplicidade que pode resgatar a magia sexual. As pessoas não precisam estar amando para desenvolverem laços sexuais, mas os melhores laços sexuais são formados entre pessoas que se amam. A significância afetiva de uma relação sexual tem muito a ver com o amor agregado à paixão. Transar com quem se ama está numa dimensão que vai além do prazer.

2. A luxúria potencializa o sexo

Parceiros sexuais felizes admitem um certo nível de pecado. Não que eles devam aceitar imoralidade, mas se entregar de corpo e alma à sensação de liberdade e selvageria. O sexo orientado por cartilhas de etiqueta agrada menos do que aquele guiado por impulsos libidinosos livres.

3. Filmes pornô são ficção

A realidade até permite atuações como as assistidas em filmes pornô, mas todos os atores de filmes pornô concordarão que aquele tipo de sexo filmado para fins comerciais está bem longe da prática comum. O sexo bestial existe na vida real, mas raramente condiz à perfeição erótica que a indústria pornográfica vende. Mesmo a máxima inspiração na pornografia não permite uma reprodução exata; e é melhor assim, pois o fato de cada transa ser diferente e imprevisível a torna mais fascinante.

4. O tesão é um animal volátil e temperamental

Há dias em que o tesão é incontrolável e precisa ser saciado muitas vezes, e dias em que ele simplesmente hiberna. Tesão não é algo que se regula enquanto a coisa acontece, depende muito da condição física e psicológica no momento. Querer domar o tesão quando está frenético ou atiçá-lo quando está calmo não adianta. Espontaneidade é a regra.

5. O medo de broxar já é broxar

Em homens, o maior trauma possível é de não corresponder sexualmente às necessidades de sua parceira, broxando. Embora isso aconteça com qualquer homem ao menos uma vez na vida, basta uma vez para que um possível trauma se estabeleça. A cultura falocêntrica exige do homem virilidade, e é justamente essa responsabilidade que propicia um sentimento de obrigação quase sempre danoso. Em mulheres, a broxada tem a ver com motivos que começam antes do sexo, ou com a dificuldade de chegar ao orgasmo. As expectativas ligadas à perfeição de desempenho geram uma carga de medo e ansiedade que atrapalha a entrega deliberada e naturalidade no sexo, tão importantes para que aconteça de forma prazerosa. Quanto mais se tenta provar potência, menos potência provavelmente haverá. O importante não é prever a sensação, mas sentir com intensidade, trabalho que demanda uma boa prática e depende de alguns fatores além do controle.

6. O orgasmo feminino é mais complexo que o masculino

As características sexuais masculinas e femininas são diferentes, assim como a funcionalidade de cada orgasmo. Homens conseguem gozar mais facilmente que mulheres, em média, pois elas dependem de estímulos específicos nos locais adequados e do jeito certo. Existem vários tipos de orgasmo feminino, do vaginal ao clitoriano e, diferente dos homens, as mulheres podem ter orgasmos múltiplos. Há diversas sensações orgásticas possíveis para as mulheres, desde uma explosão rápida, até ondas de calor e prazer pelo corpo todo. Algumas mulheres não conseguem chegar ao orgasmo com penetração; outras, só com estimulação oral. O mistério do orgasmo feminino faz com que os homens tenham que ser criativos e inteligentes para satisfazer suas parceiras intensamente.

7. Às vezes não há clima

Não importa se a química entre os parceiros é ativa, a reação sexual nem sempre ocorre adequadamente. Os estímulos podem ser excitantes, mas, se houver pressão, cansaço ou estresse, por exemplo, a atração não surte o efeito desejado. Duas pessoas apreciam a experiência sexual sabendo se comportar ativamente quando o clima é agradável; quando não é, esperam pacientemente por um momento melhor.

8. Sexo é parte importante de um relacionamento conjugal

A falta de sexo e experiências românticas está entre os principais motivos para se terminar um relacionamento conjugal. Quanto mais sexo houver, mais chances haverá de os parceiros preservarem sua intimidade; no entanto, qualidade é mais importante do que quantidade. Mesmo se a frequência sexual estiver baixa, mas o sexo ainda existir esporadicamente, isso ajuda a manter a autoestima do casal. Sexo é importante, mas, sozinho, não funciona como um guia para uma relação estável.

9. Masturbação não conta como sexo, mas ajuda a transar melhor

Muitos especialistas dizem que quem se masturba demais perde um pouco a noção do sexo a dois, mas a masturbação é uma atividade segura que ajuda a aprimorar o autoconhecimento sexual, imprescindível a uma relação gostosa. Masturbar-se regularmente (com ou sem a ajuda do parceiro) fortalece a capacidade de chegar ao prazer, além de isso informar sobre as preferências sensuais na hora de se tocar ou ser tocado.

10. Sexo oral é de preferência geral

É sempre perigoso generalizar, mas está para nascer uma pessoa que não goste de sexo oral. Se não gosta, é porque ainda não soube explorar todas as possibilidades. Sexo oral promove o aumento das expectativas antes da penetração e também serve como um desfecho sensacional.

11. Autoconhecimento corporal vem antes de um sexo satisfatório

Saber como, quando e por que o próprio corpo reage sexualmente é fundamental para a consecução da habilidade de fazer amor prazerosamente. Ter consciência do potencial erótico, dos limites físicos e da anatomia do organismo vem antes de se sentir confortável e satisfeito na cama. Jamais se deve ter vergonha de conhecer o próprio corpo, ou se reprimir para conhecer mais sobre o do parceiro.

12. Quando um não quer, dois não fazem

Sexo é cooperativo, exige conexão e vontade mútua. Se um não está a fim, o outro deve compreender, mesmo que esteja louco para transar. No caso de não haver um acordo em determinado momento, sempre há novas oportunidades, desde que se saiba aproveitá-las.

13. Preliminares não devem ser subestimadas

A troca de carícias ajuda a esquentar o clima antes da relação sexual. As preliminares elevam o grau de excitação, fazendo com que os parceiros se sintam mais animados para o que virá a seguir. Nesses momentos, há uma preparação das respostas fisiológicas ideais para a transa. Há quem dispense as preliminares e parta para a penetração logo de início, embora seja mais agradável contar com elas.

14. A falta de lubrificação é o que mais causa dor nas mulheres

Caso a vagina não esteja lubrificada, o atrito com o pênis pode causar dor, ardência e até lesões. As mulheres costumam reclamar desse problema quando acontece. Portanto, é relevante que ambos se certifiquem de que tanto o pênis quanto a vagina permaneçam devidamente lubrificados.

15. Homens adoram ser surpreendidos em horas inusitadas

O fator de imprevisibilidade, de ser pego de surpresa, é muito excitante, pois cria uma sensação de aventura, aflora os instintos e favorece o comportamento espontâneo. Mulheres que tomam a iniciativa e surpreendem seus parceiros (na cama ou em qualquer outro local) fazem deles mais felizes.


Eduardo Silva Ruano

Sempre buscando novas inspirações para transformar ideias em palavras .
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/sociedade// //Eduardo Silva Ruano