imagens e letras

Diversidade Cultural

Olavo Saldanha

Escritor, poeta, escultor, fotógrafo e Designer, mas que ficou preso nos braços da odontologia. Tudo arte.

As crônicas dos fotógrafos de guerra

No centro de uma fotografia está o olhar atento daquele que lê tudo o que acontece em volta e pensa, numa fração de segundos, que alguém em algum lugar do mundo vai se interessar pelo seu argumento. O exato instante de uma captura pode ser o começo de uma história, todavia, pode significar o fim de outra. Os fotógrafos de guerra montam sua base neste ponto, de onde narram as suas crônicas.


Leon Tolstoy, no romance Guerra e Paz, insinua que é quase impossível separar a guerra da natureza humana. Os fotógrafos foram mais longe e mostraram isso de forma explícita, documentando para sempre o alto teor de estresse emocional que tomou conta da humanidade.

fotografia (1).jpg

Os historiadores devem imensa gratidão a estes heróis, sem os quais não haveria registros de um dos mais hediondos períodos da história, que ainda encanta e assombra o mundo.

Uma partícula de poeira ou umidade poderia arruinar todo o trabalho, no entanto, o laboratório estava geralmente encravado no meio de uma guerra. De um lado, bombas levantavam poeira e espalhavam estilhaços em cima de todos. De outro, uma repetição interminável de tiros fazia peneiras das paredes.

A caminhada era árdua, passagens íngremes através de construções caídas, tanques de guerra em pedaços e, cadáveres. Este era o habitat do fotógrafo de guerra.

Os fotógrafos iam e vinham junto com os soldados, faziam longas marchas a pé e em caminhões, comiam na mesma trincheira e sofriam com eles. Talvez a única vantagem fosse a mobilidade; ignorar fileiras ou esperar escondido sob as camuflagens.

Na primeira guerra os equipamentos eram grandes e pesados e até o início da segunda guerra não havia nenhuma câmera ou filme desenhado especificamente para o combate. Nesses ambientes as condições de luz eram precárias e a velocidade dos acontecimentos era um obstáculo ao registro perfeito. Soma-se à sofrível qualidade dos filmes, escassez e preço.

Dos fotógrafos civis e militares, poucos tinham a idéia do que seria atirar com uma arma, no entanto, intrépidos, marcaram seus lugares nas crônicas da humanidade apenas com a câmera nas mãos.

warphotographer.jpg

vietnã val.jpg

fotografia (6).jpg

Fotografia guerra (2).jpg

lab.jpg

fotografias.jpg

fotografia (3).jpg

Fotografia guerra (1).jpg

fotografia (4).jpg

Fotografia guerra (6).jpg

tumblr_lrwqhuvf3g1qz9tkeo1_500.png

Fotografia guerra (5).jpg

ciurczak_al.jpg

patentes.jpg

patente2.jpg

large.jpg

C DO SUL.jpg

fotografia (5).jpg


Olavo Saldanha

Escritor, poeta, escultor, fotógrafo e Designer, mas que ficou preso nos braços da odontologia. Tudo arte..
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/geral// @destaque, @obvious //Olavo Saldanha