introverso

Encontre as palavras e deixe sair (Dream Theater)

Helena Silva

Como reflexões na página, o mundo é o que você criou.

Da introversão

Será que assim que leu o título pensou em timidez ou se perguntou do que se trata exatamente? Não há problema, é totalmente compreensível. Saiba mais a respeito da introversão.


1282613238177_f.jpg

Provavelmente alguma vez em sua vida você já ouviu ou utilizou a palavra “extrovertido(a)”. Geralmente quando uma pessoa se mostra muito comunicativa e principalmente alegre e simpática diz-se que ela é “muito extrovertida” e não há muito o que dizer a esse respeito e nem o que explicar, entende-se facilmente de que tipo de pessoa se trata, atribui-se mesmo a ideia de um tipo de pessoa desejável tanto para ser como para ter por perto, pois trata-se de alguém positivo que provavelmente proporcionará boas sensações e levará boa influência com seu jeito amistoso e efusivo. Não se pode dizer o mesmo a respeito da palavra introvertido ou introversão. O termo “introvertido” veio a ser um pouco mais conhecido através do livro da escritora norte-americana Susan Cain, chamado “O poder dos quietos”, porém ainda assim se é possível dizer que muitas pessoas sabem da existência da palavra introvertido, poucos sabem do que realmente se trata.

susan-cain-credit-aaron-fedor_custom-09246efe594f73a67e0dbbcbba649d1ecfef1035-s6-c30.jpg Susan Cain, escritora e introvertida.

Na verdade tanto o conceito de extroversão quanto o de introversão foram desenvolvidos pelo psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Gustav Jung, fundador da psicologia analítica. Apesar da palavra “extrovertido” ser mais empregada e popularmente conhecida evocando a imagem de alguém mais descontraído, o termo não se limita a isso. O extrovertido foca mais no mundo exterior e sente-se melhor dessa maneira enquanto o introvertido foca mais no mundo interior e precisa desfrutar de alguns momentos sozinho. Se por sua vez o extrovertido foca no objeto o introvertido foca no sujeito.

cg_jung_2.jpg Carl Jung

Em 1921 Jung publicou o livro “Tipos psicológicos”, onde aborda os conceitos de personalidade introversão e extroversão além de 4 funções básicas (sentimento, pensamento, intuição e sensação) sendo duas consideradas irracionais (sensação e intuição) e as outras duas consideradas racionais (sentimento e pensamento).

Os tipos psicológicos são 8: Pensamento introvertido, pensamento extrovertido, sentimento introvertido, sentimento extrovertido, sensação introvertida, sensação extrovertida, intuição introvertida e intuição extrovertida. Posteriormente um indicador (não confundir com teste) foi desenvolvido baseado nos estudos de Jung.

Trata-se de um instrumento desenvolvido por Katharine Cook Briggs e sua filha Isabel Briggs Myers chamado MBTI (Myers-Briggs type indicator) um indicador de tipos psicológicos. Os tipos psicológicos podem ser entendidos como subdivisões entre as personalidades introvertida e extrovertida , seria portanto uma análise mais minuciosa de preferências de cada indivíduo. Os tipos são formados por 4 letras que indicam as funções mais utilizadas por cada um. A primeira das letras indica a personalidade, podendo ser um E (extrovert) ou I (introvert). No total são 16 os tipos psicológicos.

Myers and Briggs.jpg Katharine Briggs e Isabel Briggs-Myers

MBTI.gif 16 tipos psicológicos

Sobre a introversão e a extroversão: são conceitos que indicam a disposição de agir de cada indivíduo assim como suas preferências, são atitudes naturais de cada um. Na extroversão o que se observa é um indivíduo voltado para o mundo exterior, sua libido (energia psíquica) é dirigida para o externo. Deste modo, o extrovertido prefere focar mais em pessoas, fatos e objetos, possui mais sociabilidade, é mais comunicativo e espontâneo, impulsivo, dentre outras coisas que podemos citar.

Já o introvertido dirige sua libido para o sujeito, volta-se para o mundo interior, para si mesmo, é mais reservado, pensa mais antes de agir, se expressa melhor através da escrita do que verbalmente (o que não significa que não consiga se expressar verbalmente, porém na escrita se mostra melhor do que verbalmente por ser preponderantemente pensador e poder dar atenção maior aos seus pensamentos na hora de passá-los para um papel), prefere lidar com pessoas conhecidas do que com aquelas que ainda não conhece, é mais discreto em suas ações, entre outras características.

ku-bigpic.jpg Demonstração do direcionamento de energia de um extrovertido e um introvertido.

Alguns pontos de extrema importância: O extrovertido adapta-se melhor ao meio externo pelo fato de ser voltado para o objeto, o mundo exterior. O introvertido não é alguém que detesta gente, arrogante, indiferente ou necessariamente tímido, mas é sim alguém mais reservado socialmente e geralmente de difícil sociabilidade. O introvertido pensa mais antes de agir, é mais seletivo e analítico mas ele não evita pessoas e nem quer ser evitado.

Timidez e introversão são coisas distintas, a timidez pode se apresentar em pessoas extrovertidas (e dependendo do grau de timidez pode ser tremendamente complicada para um extrovertido, uma vez que pode impedir muitas de suas atividades preferidas), o introvertido pode ser mais propenso a timidez, mas isso não significa que todo indivíduo quieto e reservado seja tímido, é bom atentar-se aos equívocos.

Introvertidos costumam ser mais empáticos, o que significa que eles têm facilidade para colocarem-se no lugar do outro e se importarem com o outro, estabelecendo mesmo uma conexão com o outro. As atitudes de extroversão e introversão existem em todos os indivíduos (o que quero dizer é que um extrovertido carrega um mínimo de introversão assim como o introvertido carrega um mínimo de extroversão) ou nas palavras de Jung sobre um indivíduo como portador da introversão ou extroversão:

“ambas as atitudes existem dentro dele, mas só uma delas foi desenvolvida como função de adaptação; logo podemos supor que a extroversão cochila no fundo do introvertido, como uma larva, e vice -versa.” Jung (1971b: 48)

tumblr_may293LmpI1rtz0j5o1_1280.jpg

Para finalizar, vale ressaltar que a sociedade em que vivemos geralmente louva pessoas de atitude extrovertida. Como vimos, extroversão e introversão são dois conceitos desenvolvidos por Jung mas pouco se sabe sobre isso e do que realmente se trata cada um dos termos.

Geralmente as palavras mais utilizadas são “extrovertido” e em oposição a ela temos o uso de “tímido” que poderia popularmente equivaler ao oposto direto do que chamam de “extrovertido”, isso pode explicar muitos enganos a respeito da introversão.

Na verdade um extrovertido está tão sujeito a timidez quanto um introvertido. Com a supervalorização, cobrança e quase imposição do comportamento extrovertido além do desconhecimento a respeito da introversão, muitos introvertidos acabam por não saber a respeito de si mesmos e isso pode ser bastante negativo.

O desconhecimento a respeito do comportamento introvertido por parte da sociedade pode causar alguns prejuízos a introvertidos como ridicularizarão, estranhamento, cobranças absurdas isso desde a infância podendo se apresentar numa instituição de ensino, no seio familiar e em outros meios sociais.

O introvertido pode então acabar por achar que há realmente algo de errado com ele e sentir-se mal por não conseguir adequar-se ao padrão imposto, pode sentir-se pressionado e desenvolver sentimento de inferioridade, muitos podem se fechar completamente para o mundo, afastando-se de pessoas devido más experiências e desencadearem alguns problemas como perder habilidades sociais necessárias.

Acredito que os conceitos que aplicamos, a maneira como os aplicamos, assim como as cobranças que fazemos a respeito de determinados comportamentos devem ser repensados. Talvez você que esteja lendo isso conheça um introvertido ou seja um e tenha acabado de se descobrir, dependendo de qual for o caso eis uma oportunidade para pensar a respeito de como tem tratado os outros ou a si mesmo.

Verdadeiramente finalizando agora (talvez eu não seja boa com isso) gostaria de dizer que ser introvertido não é ser incapaz e não há erro nenhum nisso, algumas das personalidades mais admiradas, estudadas e conhecidas são introvertidas.

Ao introvertido: não se sinta incapaz e nem se esconda demais se afastando de todos achando que o mundo é um lugar cruel demais para você, dê-se uma nova chance, de verdade, não deixe de agir diante dos obstáculos da vida. Viva. Mas, sobretudo, não deixe de exercer o direito de ser quem você é, você pode incomodar, receber olhares tortos, narizes empinados e ser alvo de incompreensão por parte de alguns, que se dane! Nada disso vai mudar o fato de que você é quem é, como é e nem o direito que tem de assim ser. Ao extrovertido: Preste um pouco mais de atenção em suas atitudes para com os outros.

Deixo claro que essa publicação no entanto não pretende se pôr contra a personalidade extrovertida e nem colocar a personalidade introvertida acima da extrovertida. Como Jung disse o mundo precisa das duas personalidades. Tal como ocorre com os introvertidos existem milhares de extrovertidos fantásticos que são admirados e estudados. O mais importante é que extrovertidos e introvertidos saibam lidar em sua maioria (ao menos em sua maioria pois vez ou outra pode mesmo haver um conflito) de maneira harmoniosa, que um possa conhecer um pouco a respeito do outro e um pouco a respeito de si mesmo e respeitar isso. É possível encontrar mais informação a respeito de ambas personalidades caso sintam-se interessados.


Helena Silva

Como reflexões na página, o mundo é o que você criou. .
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/recortes// @hplounge, @obvioushp //Helena Silva