it is alive

E se as artes fossem vivas?

Rodrigo Normando

Gosta do sentir o sabor de uma boa música. Adorador das folhas de outono.

  • The-Shining-jack-nicholson-26184695-1200-928.jpg
    A loucura que vem de casa

    The Shining – O Iluminado – de Stephen King merece ser lido. O livro questiona o grau dos nossos medos com a seguinte premissa: O que você teme mais: um zumbi, um alienígena invadindo a sua cidade ou o seu próprio pai querendo matar você e sua mãe com um machado? O livro, além do mais, possui uma adaptação para o cinema que se tornou um clássico que (também) merece ser assistido.

  • batman2.jpg
    As formas de Alex Ross

    Quem nunca os viu? Qual de vocês nunca sonhou em ser um deles? Ter um de seus poderes? Conhecê-los de verdade? Eles sempre estiveram ai, antes como deuses e hoje como heróis, se alguma coisa mudou foi a nossa percepção sobre os super seres. Quem melhor do que um ilustrador para sintetizar a nossa percepção em cores e formas? Conheçam Alex Ross e como vemos os super heróis.

  • Franz_Kafka.jpg
    Os monstros segundo A Metamorfose

    Escrito em um mês, A Metamorfose, do escritor Boêmio Franz Kafka, deslanchou nas prateleiras do começo do século passado deixando o mesmo rastro de repugnância que o vislumbre de uma barata gigante deixaria. Será que apenas a visão de um inseto enorme nos seria repugnante? Há de haver algo mais, não? Proponho um ponto de vista diferente do habitual, vim dizer que a maior metamorfose nessa história não é a que parece.

  • e58_1.jpg
    Desenhos Impossíveis

    Houve um homem que criou obras impossíveis. Obras de arte colossais em suas peculiaridades e, principalmente, impossibilidade. Conheça o trabalho de M.C. Escher.

  • calvinultimo.jpg
    Como ser eterno

    No mundo das artes muito se produz; muito se perde; outro tanto não se entende. Há, no entanto, aquelas obras – nem todas primas – que se enraízam em uma terra conceitual, que florescem, amadurecem e morrem, e depois da morte são revistas, têm suas páginas revisitadas, seus traços imitados. Torna-se assim eterna. Bill Waterson é pai de uma obra eterna.

  • Franz+Schubert.jpg
    O Inverno de Franz Schubert

    Os sons que nos dizem que há algo além do sentimento que sabiamente conhecemos. Amor, compaixão, pena, tristeza, o que será que delimita um sentimento de outro? Haveria alguma ponte de transição do amor para o ódio? Franz Schubert em Winterreise não expõe apenas os sentimentos, mas sim as conexões entre um e outro. Pegue um cachecol e uma bebida quente, chá, chocolate ou café, e aproxime-se para ouvir as viagens de inverno de Schubert.

  • MACBETH.jpg
    A peça escocesa.

    Até onde você iria para ter seus desejos e sonhos realizados? Você sujaria suas mãos com o sangue inocente? Derrubaria outras pessoas do poder e utilizaria seus corpos como uma escada de sangue até a realização do seu maior desejo? E se você não tivesse um desejo, seria possível que alguém o colocasse em você e o levasse a matar por um desejo que antes não existira?

  • Liberdade igualdade e fraternidade.jpg
    Jean Valjean e a identidade dos sem

    Les Miseràbles do eterno Victor Hugo é uma descrição profunda da sociedade parisiense em meados do século retrasado. Sua estória marcante é aclamada e recontada nos mais variados campos artísticos em que a alma humana atua. Desde os palcos até as telas (dos quadros e do cinema). Les Miseràbles se edifica como um desespero moral, talvez até cívico de um homem atormentado por sua própria responsabilidade quanto sujeito em duas sociedades esmagadoras de identidades: a de ontem e a de hoje.

  • bob.jpg
    Souvenir da Eternidade

    Piotr Ilitch Tchaikovsky. Um nome atado à mais de 200 obras musicais de extrema delicadeza e romance, sua música era a paz da nobreza russa, foi o grito de uma alma angustiada, é a ascenção da alma humana à música romântica . A música de Tchaikovsky nos eleva às alturas da perfeição, ao lugar onde todos os sentimentos dormem tranquilos e todos os pesares são perdoados ou esquecidos.

  • caronte.jpg
    O Sonho sem nome

    Muitos artistas tentaram representar a morte em muitas áreas, nas artes, nas letras, na música. Mas foi Arnold Böklin, um pintor simbolista mais conhecido pelos “curiosos” do que pelo seu próprio nome e legado, que entregou às artes plásticas a obra prima do simbolismo no mundo do eterno sono; eterno sonho.

  • waking-life-clouds.jpg
    Acordando para a vida

    Após séculos de pensamento, sinto que não conseguimos diferenciar a realidade do sonho, e vice-versa. Waking Life traz de volta tudo que questionou as maiores mentes da história, e repensa cada aspecto. Um filme Cult que conta com diferentes finais, porque simplesmente toda sua história é um plano de fundo para a mensagem que se quer passar.

  • carpe diem.png
    Músicas de fim de tarde

    Concordamos que a música não rejuvenesce. Certo?
    A música deles discorda, a música rejuvenesce a mente, a alma, o ser e não o físico. Podemos ser apenas cadáveres ainda vivos, porém nossas memórias serão eternas em nós, em velhas fotografias, e em músicas. Beirut sabe juntar memória com saudade, e transformar tanta coisa aparentemente velha em algo novo, dicotomicamente os dois lados da mesma moeda. A saudade e a juventude.