it is alive

E se as artes fossem vivas?

Rodrigo Normando

Gosta do sentir o sabor de uma boa música. Adorador das folhas de outono.

A loucura que vem de casa

The Shining – O Iluminado – de Stephen King merece ser lido. O livro questiona o grau dos nossos medos com a seguinte premissa: O que você teme mais: um zumbi, um alienígena invadindo a sua cidade ou o seu próprio pai querendo matar você e sua mãe com um machado? O livro, além do mais, possui uma adaptação para o cinema que se tornou um clássico que (também) merece ser assistido.


the-shining-movie.jpgJack Torrance, interpretado por Jack Nicholson em The Shining de Stanley Kubric, 1980.

Jack Torrance é um homem brilhante: tem um filho e uma esposa, dá aulas de Literatura Inglesa em uma ótima escola, possui quase duas dúzias de contos publicados em revistas de médio e grande porte mas, acima de tudo, é alcoólatra e tem tendência à violência. O livro constrói essa personagem de uma forma dolorosamente real. Há parâmetros linguísticos que determinam falas, pensamentos, citações, etc no texto escrito, por exemplo, travessão indica fala, itálico indica pensamentos e assim por diante, todavia, o livro do aclamado escritor Stephen King conta com outros elementos de narratividade que dão um toque mais profundo e realista à sua obra. Ele consegue, utilizando-se dessas indicações de escritas e outras mais, manifestar quatro vozes distintas dentro da mesma personagem. Há a voz da fala, a voz do pensamento, a voz da consciência e a voz da narração, a experiência da leitura é como estar dentro da mente de um louco, dentro da mente do próprio Jack Torrance.

prequel-the-shining.jpg "All work and no play makes jack a dull boy." em aparentemente mais de 400 páginas.

Jack precisa de um emprego por que agrediu um aluno. Ele consegue uma vaga de zelador de inverno em um hotel quase centenário do Colorado chamado Overlook. Lá, ele deve cuidar dos elementos físicos do hotel para que o inverno terrível não castigue muito a pintura, as estruturas físicas do prédio, não congele o encanamento, e etc. Jack e sua família precisam passar o inverno inteiro confinados dentro do Overlook, o seu próprio túmulo cercado de neve. Concordamos que escrever um romance de quase 300 páginas com basicamente três personagens, ao contrário do que pode pensar, confere a elas uma profundidade nível mundo real. E é isso que assusta em Jack Torrance: se houver ocasião propícia, ele existirá. Um homem alucinado que teve a vida inteira construindo uma única noite de horror que coloca a vida de todos os seus entes queridos em perigo de morte.

The-Shining---axe-and-She-001.jpg Horror.

Como se chega ao ponto em que matar resolve qualquer simples discussão? Para quem falta sanidade os efeitos do isolamento podem ser fatais. A personagem de Jack Torrance foi brilhantemente construída de dentro pra fora, seu interior, seus medos, suas vontades, arrependimentos e pensamentos são expostos desde o início do livro. O medo, dessa forma, floresce nas mãos de quem lê: a história não se baseia em fantasmas que atormentam ou possuem famílias perfeitas mas em um homem cuja vida foi inteiramente construída a sua própria destruição mental. O louco que habita em todos nós se vê liberto e dono de Jack Torrance, pai, maníaco e assassino.

The-Shining-jack-nicholson-26184695-1200-928.jpg O Golpe Final.


Rodrigo Normando

Gosta do sentir o sabor de uma boa música. Adorador das folhas de outono..
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Rodrigo Normando