Paulo Pontes

Paulo Pontes é jornalista e já teve seus textos publicados na revista Roadie Crew e nos sites Roadie Metal e ScreamYell. É autor do livro-reportagem “A Arte de Narrar Vidas - Histórias além dos biografados", com perfis de grandes biógrafos brasileiros. Atualmente trabalha na biografia dos irmãos Andria e Ivan Busic (Dr. Sin).

Paz, Amor e Sgt. Pepper: os bastidores do disco mais importante dos Beatles, de George Martin

No final de 1966, a maior banda da história do Rock decide que não fará mais turnês, abre mão das apresentações ao vivo e se concentra exclusivamente na criação daquele que se tornaria seu mais importante e impactante disco. É para esse momento tão relevante da história da música que somos transportados ao ler as páginas de “Paz, amor e Sgt. Pepper”. O produtor — e “quinto Beatle” — George Martin nos coloca dentro do estúdio Abbey Road e revela os bastidores da maior obra dos Fab Four.


Dark Blue and Red Paper Musicians Influencer Instagram Post Set.png

Lançado no Brasil em 2017 pela Sonora Editora, com tradução de Marcelo Fróes — que na verdade já havia trazido a obra ao Brasil em 1995 —, o livro “Paz, amor e Sgt. Pepper: os bastidores do disco mais importante dos Beatles” foi escrito pelo produtor musical George Martin com auxílio precioso do jornalista e historiador William Pearson. Em suma, trata-se de um livro de memórias de quem esteve à frente das gravações do álbum “Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band” e viveu intensamente os cinco meses que envolveram sua criação.

George Martin destaca como foi gratificante, porém difícil, realizar as gravações do disco, além de revelar algumas atitudes que tomou juntamente com seus auxiliares, Geoff Emerick e Ken Townsend, para colocar em prática as ideias de cada um dos integrantes dos Beatles, principalmente John Lennon e Paul McCartney. Martin sempre faz questão de ressaltar as limitações técnicas da época — e elas eram inúmeras.

IMG-20200205-WA0000.jpg

Na obra, o produtor intercala a narrativa dos bastidores de “Sgt. Peppers” com outros momentos da sua carreira ao lado do quarteto de Liverpool. Tudo para demonstrar o progresso musical dos Beatles, ora descrevendo seu primeiro contato com o grupo, ora lembrando de alguma gravação contida em outro álbum. Um exemplo é o registro da faixa “Tomorrow Never Knows”, presente no disco Revolver, na qual John Lennon queria que o produtor fizese com que seu vocal soasse “como se eu estivesse cantando do alto de um vale; quero soar como um monge budista, cantando do alto de uma montanha. Como o Dalai Lama”.

As histórias dos bastidores de músicas como “A Day in the Life”, "Lucy in the Sky with Diamonds”, “Good Morning, Good Morning”, “With a Little Help From My Friends”, além da faixa título do disco, são saborosíssimas, mesmo que para alguns possa ser um pouco cansativo George descrevendo detalhes como, por exemplo, o posicionamento de um microfone, em qual canal da mesa de gravação determinado instrumento e voz foram registrados, entre outros pormenores técnicos. Mas vale salientar que ele o faz sempre com leveza e certo bom humor, o que torna a leitura fluida, direta e cativante.

O produtor rememora também os bastidores das duas faixas lançadas anteriormente ao disco, “Penny Lane” e “Strawberry Fields Forever”, deixando clara a sua predileção pela segunda, cantada por Lennon. Martin a descreve como “a faixa mais original e inventiva da música pop até hoje”.

Design sem nome.png

É claro que os bastidores da icônica capa de “Sgt. Peppers Lonely Heart Club Band” também aparecem no livro, não podia ser diferente. Os detalhes da fotografia, a busca pelas autorizações de cada personagem presente na arte, os mitos, enfim. Eles sabiam que um disco repleto de músicas propensas a mexer com o imaginário das pessoas teria que ter uma capa com o mesmo poder; e conseguiram.

Ao final, “Paz, amor e Sgt. Pepper” é uma leitura prazerosa, que flui com facilidade e nos mostra, mesmo que não tão profundamente, um pouco da genialidade envolvida no trabalho dos Beatles. Uma leitura que vale a pena não somente para fãs dos Fab Four, mas também aos apreciadores da música em geral. Não é sempre que você terá a oportunidade de se sentir dentro do Abbey Road, em contato direto com a criação de um dos maiores discos de todos os tempos.

1.png


Paulo Pontes

Paulo Pontes é jornalista e já teve seus textos publicados na revista Roadie Crew e nos sites Roadie Metal e ScreamYell. É autor do livro-reportagem “A Arte de Narrar Vidas - Histórias além dos biografados", com perfis de grandes biógrafos brasileiros. Atualmente trabalha na biografia dos irmãos Andria e Ivan Busic (Dr. Sin)..
Saiba como escrever na obvious.
version 7/s/literatura// @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Paulo Pontes