koolt

Onde o cool e o cult se encontram

Rodrigo Ferreira

Rodrigo Ferreira é um pesquisador apaixonado por cinema, música e literatura. Ocasionalmente, escreve contos e artigos científicos. Sonha em publicar um livro um dia

O menino da internet: a história de Aaron Swartz

Além de uma homenagem, o documentário promove um debate sobre a internet, a informação e quem tem controle sobre ela.


RTR3CENK.jpg

Depois de assistir ao ótimo documentário Nós roubamos segredos: A história do Wikileaks (EUA, 2013) e ter o desprazer de assistir ao longa O Quinto Poder (EUA, 2013), que supostamente conta a mesma história de maneira romantizada, percebi que existem algumas histórias que só fazem sentido em documentários. A história de Aaron Swartz é uma delas.

Talvez você não tenha ouvido falar de Aaron mas com certeza já ouviu falar de algo que ele construiu ou ajudou a construir. A lista de sites e projetos dos quais participou é longa, mas podemos citar como exemplos a definição do padrão RSS, utilizado no mundo todo; o site Reddit, famoso site de notícias mantido pela comunidade e a definição técnica da plataforma Creative Commons.

3835494997_edc2e1dc12_b jpg.jpg

Aaron era algo próximo de um superdotado. Aos três anos já conseguia ler e se tornou um exímio programador ainda na adolescência. Apesar da pouca idade, começou a se envolver em grandes projetos como o do Creative Commons liderado pelo Prof. Lawrence Lessig e a definição do padrão RSS encabeçada por ninguém menos que o “pai da internet” Tim Berners-Lee.

aaron-swartz.jpg

Mesmo tendo conquistado respeito e muito dinheiro, Aaron não se acomodou. Ele queria mudar o mundo. E um dos caminhos que defendia era a liberdade de acesso à informação. O que o levou a se tornar um ativista político e a lutar por mudanças na política e na legislação americana em diversas áreas. Uma delas, que ficou mundialmente conhecida, foi o protesto contra o SOPA (Stop Online Piracy Act) no início de 2012 (você deve se lembrar de quando Google e Wikipedia tiraram suas páginas do ar em apoio ao protesto), do qual Aaron saiu vitorioso.

giwilemllfed5hxvnubm.png

Entretanto, na ânsia de alcançar seus objetivos, Aaron baixou ilegamente dados de uma base de artigos científicos e, por conta disso, foi acusado pelo governo americano de vários crimes que poderiam acarretar uma pena acumulada de 35 anos e mais de um milhão de dólares em multas. Eles queriam fazer de Aaron um exemplo, e a partir daí sua vida nunca mais seria a mesma.

O menino da internet – A história de Aaron Swartz (EUA, 2014), dirigido por Brian Knappenberger, é mais do que uma homenagem. Promove um debate sobre a internet, a informação e quem tem controle sobre ela. Com entrevistas de pessoas ligadas a Aaron e grandes nomes como Tim Berners-Lee o filme mostra que Aaron não estava sozinho. Seu ímpeto e suas ideias permanecem. Quem sabe um dia o acesso à informação seja realmente livre e a internet se torne aquilo com que Aaron sonhou, o sonho de um de seus filhos mais ilustres?

O documentário estreiou nos EUA no final de junho, mas ainda não tem previsão de estreia no Brasil. Uma curiosidade sobre o projeto é que ele foi possível através de um financiamento colaborativo no site Kickstarter, onde arrecadou US$ 93 mil. "O menino da internet" foi lançado sob uma licença Creative Commons e você já pode conferi-lo com legendas em português no Youtube.


Rodrigo Ferreira

Rodrigo Ferreira é um pesquisador apaixonado por cinema, música e literatura. Ocasionalmente, escreve contos e artigos científicos. Sonha em publicar um livro um dia.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/cinema// @destaque, @hp, @obvious, @obvious_escolha_editor //Rodrigo Ferreira