Bruna Kurth

Projeto Cidades Invisíveis

Arte transforma, seduz, instiga. Arte revoluciona. Arte transforma pincéis, canetas e tubos de tinta em roupa, brinquedo e comida. Em cidadania.


Os novos desafios colocados às grandes cidades obrigaram as sociedades modernas a reverem seus modelos de desenvolvimento, procurando soluções para novos e graves problemas: a tendência de crescimento, o desemprego, o emprego precário e o aumento da pobreza e da exclusão social.

1798541_575770425852606_127025695_n.jpg

A procura de respostas e soluções, novas dinâmicas de intervenção são implantadas e novos atores sociais surgem para tentar humanizar espaços que, infelizmente, são invisíveis aos olhos do poder público e privado. Nessa mesma intenção, surgiu em Florianópolis, Santa Catarina, o projeto social fotográfico Cidades Invisíveis, de Samuel Schmidt, que tem como objetivo registrar em imagens as milhares de pessoas que vivem privadas da liberdade básica de sobreviver: privação de alimentos, saneamento básico ou água potável, educação eficaz, emprego rentável, liberdades políticas e direitos cívicos.

cidades_invisiveis_samuel.jpg

O projeto pretende mostrar uma realidade que costuma ser maquiada pelo governo e pela outra parte da sociedade que está longe de vivenciar tais problemas. Além disso, o projeto é também um elogio à arte. Vários artistas voluntários transformaram as imagens em verdadeiras obras de arte. Imagens e desenhos que falam por si e que ganham vida ao serem estampadas em camisetas. E todo o lucro é revertido em doações para essas comunidades.

IMG-20140225-WA0004-vert.jpg

Como surgiu?

“Surgiu a partir da vontade. Vontade de fazer o bem, de praticar ações que contribuam para uma sociedade mais solidária, justa e crítica quanto às condições de vida destas pessoas à margem e sem dignidade. Surgiu como uma tentativa de mostrar, a partir das fotografias, esta realidade, para que possamos publicamente questionar melhor sobre nossa função como indivíduos que compõem a sociedade e sobre a ineficácia dos direitos fundamentais que devem ser garantidos pelo Estado”, conta o idealizador do projeto.

IMG-20140225-WA0012.jpg Schmidt, fotógrafo e idealizador do Projeto Cidades Invisíveis

Entendendo o projeto

- Estimular a arte como um meio de transformar a realidade dessas pessoas.

- Forçar o nosso olhar para os problemas sociais que estão à nossa margem para que, a partir da reflexão coletiva, soluções sejam apontadas para diminuírem a escassez de oportunidades e recursos das famílias carentes.

- Produzir camisetas e outros produtos como canecas, chaveiros, almofadas e outros artigos de decoração para que sejam vendidos em prol do projeto.

- Reverter o valor da comercialização destes produtos em recursos para estas famílias.

- Desenvolver exposições com as fotografias do projeto e com as artes dos envolvidos para que aumente a visibilidade das ações.

- Desenvolver eventos e festas sociais para arrecadar roupas, comidas e outros produtos.

Quer ajudar ou saber mais sobre o projeto? Entre em contato através da página do facebook: www.facebook.com/projetocidadesinvisiveis


version 1/s/Fotografia// @destaque, @hplounge, @hp, @obvious, @obvioushp, @obvious_escolha_editor //Bruna Kurth