lapis papel e dedos no teclado

Porque todo tema interessante pede um texto

Laís Vilela

Como você acha que eu sou? Tem um pouco de mim em cada frase que você acabou de ler. Vem me conhecer um pouco :)

Escravos do século XXI: Uma sociedade supostamente esclarecida

Pessoas. Pessoas e pessoas. Mentalidades diferentes. Ato de escravizar, tirar a liberdade de alguém e esmigalhar sua integridade. O que justifica um comportamento repulsivo desses?


Olhos incrédulos diante de uma realidade que arrepia. Um sentimento profundo de tristeza. Dói na alma.

correntes-de-metal-525x350.jpg

É um descaso grotesco que acompanha as histórias. Mulheres sendo leiloadas como escravas sexuais, pessoas sendo escravizadas em troca de comida, lojas que contribuem para o incentivo de mão de obra escrava. Todos sujeitos a uma vida de privações, sofrimento, tortura e tristeza.

mulheres-escravas.jpg

É constante. É aqui, é lá, é ali. É a face negra do homem se materializando de forma concreta em ações egoístas. Um mercado que tem sede de lucro encima da desgraça alheia. Até mesmo tabelas de preços são criadas.

tabela-preco-escravas-do-ei.png

Lastimável ver que alguns países ainda adotam uma postura que incentiva esse tipo de comportamento. Surgem uma série de tentativas de explicação. Talvez conceito, meios, influências, religião, cultura. Cada uma tentando amenizar o que é visível. Mas desde quando a vida de alguém deve pertencer aos outros?

Entrar dentro dos cativeiros, observar a quantidade de dor que cada uma dessas pessoas teve que suportar é muito perturbador. Machucados, lesões, humilhação. É chocante. É deprimente. É dilacerador. Não, não tem peneira que consiga tampar essa crueldade. O mais difícil é saber que enquanto esse texto é escrito, milhares de pessoas estão nessa condição em algum lugar do planeta.

Só tenho uma pergunta a fazer:

Até quando?


Laís Vilela

Como você acha que eu sou? Tem um pouco de mim em cada frase que você acabou de ler. Vem me conhecer um pouco :).
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //Laís Vilela