life on marx

Contos, crônicas, contos, contos....

Eduardo Ferreira Moura

Eduardo Ferreira Moura é carioca. Tipicamente, escreve contos e crônicas, mas tenta não parar por aí. Mais sobre o autor em: http://lifeonmarx.blogspot.com/search/label/bio

Você Não Entende Nada

Caetano em prosa.


caetano.jpeg

Você Não Entende Nada (vídeo) Quando eu chego em casa nada me consola. Nem a TV repleta de polegadas, com seus cento e cinqüenta canais - de tortura. Nem o sofá de três mil reais. Tampouco a artificial brisa do ventilador. Eu estou sempre exausto. Você está sempre aflita. Tento me afogar em um banho gelado, enquanto você termina os trabalhos na cozinha com Lágrimas nos olhos, de cortar cebola. Dispenso suas lágrimas, não faço a menor questão de cebolas em cima do bife. Não faço questão nem do bife. Nós temos tudo, não me leve a mal. Carro, apartamento... Puxa, você é tão bonita.

- Qual o problema?

Você me pergunta.

- Problema nenhum, meu amor. Você traz a coca-cola, eu tomo. Você bota a mesa, eu como.

Perco um pouco da paciência:

- Eu como, eu como, eu como, eu como você.

Seu olhar, perplexo, me diz que não está entendendo. Repito isso em voz alta, depois de uma pausa desnecessária, deslocando o "você" do final da frase anterior para o início da próxima:

- Não está entendendo quase nada do que eu digo.

Não penso assim, mas também não tenho coragem de te dizer que, tanto quanto o jantar, como você por puro reflexo. Acontece que no fundo eu até gosto dos meus reflexos.

-Eu quero ir-me embora. Eu quero é dar o fora. E quero que você venha comigo. Mas que droga! Eu te amo. E quero que você venha comigo.

"E quero que você venha comigo". A frase ecoa na minha cabeça cinco vezes. Não sei, realmente, se quero que você venha comigo. Pelo menos, não todo dia. Termino por não dizer nada. Você não viria, de qualquer maneira. Eu me sento, eu como, eu fumo... Eu não agüento. Não estou cabendo dentro das calças e você está tão curtida nessa rotina remelenta em que se meteu, satisfeitíssima com as prestações dessa gaiola.

- O que você quer?

Você me pergunta, não sei bem o porquê.

- Eu quero tocar fogo neste apartamento.

Você não acredita. Levanta-se sorrindo, como se eu tivesse dito que gostaria de mudar a cor das paredes da sala - de certa forma gostaria. Então, traz meu café com Suita. Que me resta fazer? Eu tomo. Tomaria ainda que fosse cicuta. Aliás, principalmente se fosse cicuta. Você bota a sobremesa e adivinha? Eu como.

- Eu como, eu como, eu como, eu como...

- Você tá satisfeito?

Ai, pombas. Fico de pé, ando em círculos pela sala, vou até a varanda. Às vezes chego a esquecer que temos uma varanda.

- Você tem que saber que eu quero correr mundo! Correr perigo... Ao menos uma vez na vida. Eu quero é ir-me embora, eu quero dar o fora!

E quero que você venha comigo. E quero que você venha comigo. E quero que você venha comigo... E quero que você venha comigo?

*** Pequena homenagem à letra do Caetano Veloso na voz da Gal Costa. Ele escreveu a música em 1969, em Londres. Gal a trouxe para o Brasil quando retornou de uma visita. Só que o álbum dela de 1970, Legal, já estava pronto. Ela gravou, então, um compacto com essa música de um lado e Sua Estupidez, do Erasmo Carlos, do outro. Como o compacto vinha fazendo mais sucesso que o álbum, eles deram um jeito de incluir Você Não Entende Nada em algumas cópias do álbum já pronto. Hoje, as cópias de Legal que contêm essa faixa são raríssimas e, por isso, bem caras. Sua Estupidez entrou no disco de 1971, o melhor deles: Fa-tal - Gal a Todo Vapor. Na humilde opinião desse escritor neurótico obsessivo, eles bem que podiam ter esperado o Fa-tal para inserir a faixa Você Não Entende Nada. Tudo bem, hoje essa gravação não seria um mito, um fantasma do entre-discos, mas pelo menos o Fa-tal teria vinte faixas e não... ugrh... dezenove.

O lançamento do livro Meus Textículos será em 14 de Abril (sábado) às 18h. Rua Mem de Sá, 126 - Lapa, Rio de Janeiro - RJ


Eduardo Ferreira Moura

Eduardo Ferreira Moura é carioca. Tipicamente, escreve contos e crônicas, mas tenta não parar por aí. Mais sobre o autor em: http://lifeonmarx.blogspot.com/search/label/bio.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Contos// //Eduardo Ferreira Moura