life on marx

Contos, crônicas, contos, contos....

Eduardo Ferreira Moura

Eduardo Ferreira Moura é carioca. Tipicamente, escreve contos e crônicas, mas tenta não parar por aí. Mais sobre o autor em: http://lifeonmarx.blogspot.com/search/label/bio

Vontades

Uma cidade, um verão e um amor.


dsc_30772.jpg Eu já estava apoiado no balcão quando ela chegou. Sorri sem esforço e disse: – Oi.

Subitamente, senti uma vontade louca de ouvir como todos aqueles cretinos ousaram ferir seu pobre coração e de prometer que nunca, jamais, faria o mesmo. Vontade de ir à praia, coisa que nunca senti, de tomar sorvete de flocos e beber Coca-Cola. Vontade de comer de novo em todos aqueles restaurantes que a gente só vai em início de namoro, sentando do mesmo lado da mesa. De ir ao cinema para não ver o filme. Vontade de overdose de comida japonesa. Vontade de deitar na grama e falar besteira, ignorando a coceira nas pernas. Vontade de procurar apartamento e de encontrar um apartamento bacana. De pintar as paredes em dupla (vai ficar uma merda) e dar cinquenta reais ao porteiro para que ele termine. Vontade de tomar banhos escaldantes e nada ecológicos. Vontade de morar uma semana só com colchão de casal e geladeira e de comprar os quadros para as paredes. Vontade de fazer brigadeiro e pipoca, de fazer compras de mês no Zona Sul, no Hortifruti e na Casa do Biscoito. Vontade de ir à praia de novo, no final da tarde, para tomar caipirinha no quiosque e quase morrer atropelado atravessando a rua. Nesses dias é tudo tão engraçado. Vontade de faltar ao trabalho para esperar o cara que instala a Net. Vontade de dar uma olhada discreta no horóscopo do seu signo enquanto faço as palavras cruzadas, contanto que ninguém saiba. Vontade de fazer a barba enquanto ela toma banho. Vontade de caminhar de mãos dadas, balançando os braços para cima e para baixo, que nem dois babacas. Vontade de tomar vinho na varanda, mesmo não suportando vinho, mesmo sem ter varanda. Vontade de ser apresentado aos seus pais, elogiar a comida da sua mãe por pior que seja e aconselhar seu primo a parar de usar maconha, ou pelo menos disfarçar melhor. Vontade de dar em cima da irmã dela quando ninguém estiver olhando, mas só por esporte. Vontade raríssima de emprestar meus livros. Vontade de ouvir o chatíssimo disco do Elton John de novo. De incentivar seu talento (nulo) para fotografia e de ir ao teatro ver a peça daquele seu amigo estranho. Prossegui: – Você vem sempre aqui?

*** Esse conto integra o livro Meus Textículos. Lançamento em 14 de Abril (sábado) às 18h. Rua Mem de Sá, 126 - Lapa, Rio de Janeiro - RJ


Eduardo Ferreira Moura

Eduardo Ferreira Moura é carioca. Tipicamente, escreve contos e crônicas, mas tenta não parar por aí. Mais sobre o autor em: http://lifeonmarx.blogspot.com/search/label/bio.
Saiba como escrever na obvious.
version 1/s/Contos// //Eduardo Ferreira Moura