luciana chardelli

As coisas mais importantes são banais.

Luciana Chardelli

Apaixonada por duas xícaras de café nublado em dias fortes.

Traição, a aleivosia dos nossos gestos

Só o inimigo não trai nunca. (Nelson Rodrigues)


Yehrin Tong por ffffound_m.jpg Yehrin Tong por ffffound

Fidelidade do latim, fidelĭtas, fidēlis; fidelidade, constância. Em que se pode ter confiança; sinceridade.

Lealdade do latim, legale; de acordo com a integridade e honra.

Traição do latim, traditĭo, ōnis; ação de dar, de entregar.

“A Traição é um clássico da experiência moral humana”, afirma Luis Felipe Pondé.

Ao falarmos da traição sussurramos ou vociferamos insurgentes. Geralmente relacionamos a traição a um ato sexual, esquecemos de que não só os amantes traem. Deslembramos de gestos, palavras e comportamentos anteriores ou contemporâneos ao ato desvendado. Tudo some, só a traição permanece. Traído e traidor, sujeitos de um predicado, do que se afirma ou do que se nega.

Da sala de aula ao enterro da tia sempre haverá um traído. Mas por que a traição dói tanto? Dói por que esperamos exclusividade, porque somos assaltados pelo ciúme. Ciúme vem do Latim Zelumen, de Zelus, que vem do grego Zêlos que significa cuidado. Sentimos ciúmes do que cuidamos ou do que desejaríamos cuidar. Recebemos uma traição como descuido do outro ao nosso cuidado.

Do latim traditio, traição é ação de entrega, troca de propriedade. Propriedade é um termo vestido de posse e não cabe posse no amor. O amor não comporta pronomes.

Fidelidade não se reduz a exclusividade. Fidelidade é mais, é lealdade, completude no sentir. É memória do que um dia foi somada a vontade de manter sendo, ainda que diferente. De fazer existir, enquanto possível, aquilo um dia existente. Por isso a fidelidade está ligada a lealdade; ser leal é manter dito. Manter dito é simplicidade. Sendo tão simples em sua essência o amor não tolera teorias. A Traição traz em si uma rede de aclarações. O Amor não comporta balancetes; a traição talvez, por isso antônimos. Traição não se compendia aos órgãos genitais, traição é ato, gestos. Um amigo trai em atos e gestos, o amante também. Amo o que me enche de alegria, o que me faz bem, o que me sacia, o que me tranquiliza. Amo o objeto do meu sentimento. Amo portanto, e também, o meu amor. Talvez seja por isso que a traição dói, porque há na traição uma lembrança de mim, um eu quebrado, um eu ausente, um desdizer.

Trair um amigo ou um amor é apagar belezas, desbotar cores. A traição é um desbotar.


Luciana Chardelli

Apaixonada por duas xícaras de café nublado em dias fortes..
Saiba como escrever na obvious.
version 2/s/recortes// @destaque, @obvious //Luciana Chardelli