mais além do mesmo

pensamentos, idéias, construções e desconstruções...

Jean Alessandro Bertollo

Eu sou minha própria verdade

A mesmice nossa de cada dia

Já se perguntou por que raios aquelas pessoas sentam sempre no mesmo banco de ônibus, ou na sala de aula? Ou por que sempre tocam as mesmas músicas nas festas, festas aonde vão sempre as mesmas pessoas? Por que na TV passa a mesma porcaria de sempre? E por que você continua fazendo as coisas do mesmo modo, repetindo os mesmos erros, viciando sua mente? Se já se perguntou, esse texto é pra você! Se não, feche a janela, e continue fazendo o mesmo de sempre...


zumbi.jpg Tudo que é novo nos causa estranhamento e nos tira da zona de conforto e monotonia. Como diz a famosa frase: A ignorância é feliz. Bom, o comodismo e coitadismo também. Dá muito trabalho mudar, você precisa planejar pensar, se responsabilizar, errar (muitas e muitas vezes), achar um método pra você, que FUNCIONE pra VOCÊ, ahh e isso dá trabalho, pode crer. As emoções viciam, são as drogas mais viciantes que existem. Não é difícil, com um pouco de observação e estudo, prever ações, decifrar emoções e personalidades da maioria das pessoas. mato 02.jpg Imagine a seguinte situação: Você quer atravessar uma floresta, essa floresta é sua vida, todas as arvores, buracos, plantas, animais e flores, são as possibilidades que você tem na vida, que você poderá aproveitar. Agora você esta entrando na floresta fechada e virgem, a primeira coisa a fazer será uma trilha, que facilite a travessia. O problema é que fica tão fácil atravessar a vida toda pela mesma trilha, que acabamos por esquecer as flores e as arvores que estão bem do nosso lado, e quanto mais nós andamos nessa trilha, mais medo temos do mato fechado.

Às vezes tentamos sair da trilha, por que sentimos que podemos estar perdendo alguma coisa, e se enroscamos em galhos espinhosos, pisamos em tocos que machucam nossos pés, ou nos deparamos com animais ferozes, rangendo os dentes, esperando uma presa fácil. Assustados, voltamos para a velha trilha, e nos conformamos a fazer tudo igual. Nossos neurônios criam padrões, quanto mais você faz uma coisa, melhor você será em fazer ela. É o principio do treinamento. Mas, espera ai... E se eu treino pra fazer tudo igual sempre...?? Bingo!!! Sua mente fica muito boa nisso. Engraçado não? Sem falar no seu sentimento de EU, que quanto mais se repete, mais se auto-afirma, mais se consolida. Como entrar na floresta? Encare o medo, e use-o como impulso, afinal não é disso que se trata quando se fala em coragem? cerebro.jpg

Faça as coisas diferentes hoje, faça um pouco de Neuróbica: consiste em fazer algo simples, como abotoar a camisa, calcar um sapato, ou vestir-se apenas com uma das mãos, ou de olhos fechados. Tente tocar violão com as cordas viradas, andar um de olhos fechados. Segundo os especialistas, esses exercícios potencializam suas conexões neurais, aumentam sua capacidade de concentração. Mas isso são apenas EXEMPLOS. Abotoar a camisa com uma mão não vai mudar a vida de ninguém. Mas tente entrar na floresta, e não desista quando o primeiro galho cutucar você. Freud usava uma metáfora interessante: dizia que vivemos em uma cidade, mas que andamos por ela de carro, no carona. O motorista é nosso inconsciente, que percorre sempre as mesmas ruas. Fazer análise, segundo Freud, seria um dos modos de conhecer as outras ruas da sua cidade, de ver o que há ali com outros olhos. Também não estou tentando convencer ninguém a se analisar, simplesmente quero dizer: Faça diferente hoje! Suba nas arvores, olhe as coisas la de cima, olhe as flores, corra atrás dos animais, sente em outro banco no ônibus, va por outro caminho até o trabalho. E tente mudar, ao menos aquilo que você esta vendo que esta ruim, que não esta legal, apenas mude, e continue repetindo apenas o que dá certo e te faz evoluir.


Jean Alessandro Bertollo

Eu sou minha própria verdade.
Saiba como escrever na obvious.

deixe o seu comentário

Os comentários a este artigo são da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não veiculam a opinião do autor do artigo sobre as matérias em questão.

comments powered by Disqus
version 1/s/recortes// @destaque, @hplounge, @obvious, @obvioushp //Jean Alessandro Bertollo